A UBI, universal basic income (renda básica universal), já é uma realidade/necessidade.

Quem ainda reluta contra isso ainda não entender como estamos em questão de tecnologia, automação e inteligência artificial. Muitos dos empregos de fábricas vão ser dizimados e isso tem que ser feito estrategicamente, pois não dá pra jogar milhões de trabalhadores na rua, na verdade dá, mas é preciso pensar em soluções para essas pessoas.

Muitos países tem população descontrolada e muito acima da média, alguns estudiosos falam que a população ideal para o mundo seria menos de 1 bilhão de pessoas, e no futuro provavelmente alcançaremos esse número, ou chegaremos perto, pois para a renda básica universal funcionar é preciso ter menos gente no mundo. Como na Europa que alguns países para para pessoas terem filhos, ou simplesmente morarem em certas regiões, lá é possível, pois há uma população numericamente viável para se governar.

Um caso interessante é  como o fundador do eBay, Pierre Omidyar, pretende fazer um dos primeiros testes sobre a renda básica universal. Ele pretende financiar durante 12 anos as pessoas do Kenia e ver  qual vai ser o impacto disso. A ONG  GiveDirectly irá dirigir o processo que terá o investimento da empresa filantrópica de Pierre, a  the Omidyar Network.

Já é realidade e muito perceptível pra quem quer ver que quem tem mais acesso a cultura e  informação produz menos filhos, pois acaba focando em outras atividades, e existe um esquema que explica um pouco do porquê a UBI vai dar muito certo, ele se chama o Triângulo de Maslow.

A ideia é que para se alcançar a realização pessoal é preciso preencher com sucesso as partes inferiores, claro, nem tudo é tão quadrado assim, mas se olharmos atentamente muitas situações que já vimos em nossas vidas refletem isso.

E Dando a população as duas partes inferiores com a UBI as pessoas poderão focar em outras coisas de uma forma mais saudável, poderão fazer tudo de uma forma melhor e não se preocupar em trabalhar para sobreviver, a sobrevivência já estaria “garantida”, e essas duas partes são as maiores, assim deixando nossa atenção voltada a família, relacionamentos, realização pessoal e tudo isso feito de forma mais harmoniosa e não sofrida.

Hoje em dia um garoto que passa na FUVEST morador da favela é algo raro e digno de notícia, como se o que faltasse para as outras pessoas da favela é esforço, mas na verdade não, se as pessoas tivessem mais acesso a informação e não ter que trabalhar com 14 anos muitos poderiam ter sucesso e assim aumentando a taxa de negros em faculdades também.

E Refaço agora a pergunta que o governo suiço fez à sua população na primeira imagem desse post:

“O que você faria se sua renda fosse dada pelo governo?”

O que você faria?

A renda mínima universal não é de esquerda ou direita. É pra frente.