Tag: sonho

Geração Y vs Empregos de merda

7029-workaholics-workaholics

 70% dos profissionais estão insatisfeitos com  seus empregos. ADVERTISEMENT Entre as principais desculpas para tal situação desesperadora, uma das responsáveis pela pesquisa aponta que “(…) essa insatisfação é relativo a famosa Geração Y que possui muito menos paciência para esperar que as coisas aconteçam”. Claro. A culpa é dos funcionários e não das empresas que não se atualizam. Arram. Acontece que a nova moda no mundo empresarial é culpar a Geração Y.

A empresa oferece salários de merda para empregos de bosta e quando o profissional vai pedir um aumento ou promoção, falam que o mesmo é jovem demais e está com pressa. Ou que o mercado está foda – a mesma desculpa de sempre. Oferecer boas condições de trabalho, plano de carreira ou perspectiva ninguém quer. É mais fácil contar com escravidão voluntária de centenas de jovens que se formam nas faculdades todos os anos.

scott_pilgrim_vs_the_world_trailer_2_image_27_zpsed08cbfb

As reclamações são sempre as mesmas:

-Maldita geração Y que acha que um profissional deve ser promovido ou receber aumento de acordo com o quanto trabalha ou realiza;

-Maldita geração Y que quer um ambiente de trabalho mais harmonioso e que inspire criatividade;

-Maldita geração Y que não quer ouvir broncas de um chefe estúpido que não explica suas ações;

-Maldita geração Y que quer fazer horários alternativos para poder escapar do trânsito;

-Maldita geração Y que não quer ficar presa 60 horas por semana dentro do escritório.

Se você é gestor e está reclamando da “maldita geração Y,” deixa eu te contar: Não são os profissionais que estão ruins, é a sua empresa que oferece empregos de bosta. Falo isso por experiência própria. Já tive um cargo de gestor e vi muitos talentos indo embora porque minha empresa se recusava a oferecer perspectiva ou até mesmo aumentos de salário. Isso que eram cargos “pequenos”.

 Enquanto isso, gestores dinossauros ganhavam uma bolada para ficarem sentados em seus tronos de marfim reclamando que seus funcionários precisavam ser mais proativos ou empreendedores. Não é a toa que, nos 4 anos que estive lá, vi projeto atrás de projeto afundar.

Continue reading

Quanto tempo Cochilar?

how longgg

Especialistas no artigo dizem que uma soneca de 10 a 20 minutos dá a melhor efetividade, mas dependendo do que você quer que o cochilo faça por você, outras durações podem ser ideal .
Para um rápido impulso de alerta, os especialistas dizem que um cochilo de energia de 10 a 20 minutos é suficiente para voltar a trabalhar em uma pitada.

Para o processamento de memória cognitiva , no entanto, uma soneca de 60 minutos pode fazer melhor, Dr. Mednick disse . Incluindo o sono de ondas lentas ajuda a lembrar fatos , lugares e rostos. A desvantagem : alguns sentem sonolência ao acordar.

Continue reading

Qual é o seu Sonho?

make-dreams-come-true- sonho realizando balão www.destruidordedogmas.com.br

Eu já quis ser rockstar, organizador de shows, psicologo, mitólogo, cineasta, e quadrinista, eles nao param por ai, mas todos temos muitos sonhos do que aspiramos ser, ter, conquistar.

Muitos ainda não descobriram qual são os seus, talvez por não terem experimentado muito na vida, mas ainda vão achar, é um fato, acharemos algo que nos de prazer, mas não para carne…

Para a Alma.

Continue reading

Documentário: Sonhos, do Filme “Inception”

Um filme que vem nos extras do Dvd do Filme Inception (A Origem).

Devo dizer que muitas obras e invenções foram criadas a partir de sonhos, certa parte da Divina comédia foi recebida por um sonhos, e invenções foram criadas deles também, por ser o processador de informações do dia ou de uma época ele daria uma visão única das coisas.

Separei algumas frases do documentário.

  1. Sonhos fazem as pessoas mudarem suas opiniões, suas vidas.
  2. Sonhos parecem reais, assustam.
  3. Sonhos sintetizam situações.
  4. Sonhos nos ajudam a simular situações de medo para que estejamos preparados na hora (teoria da evolução)
  5. Sonhar é a percepção livre de limites.
  6. Índios pensam que o sonho são outras realidades
  7. Nosso cérebro não consegue diferenciar o sonho do real, temos emoções reais nos sonhos, e qual seri a diferença entre o sonho e a realidade, nenhuma, os dois são ilusões.
  8. O cérebro tem um simulador de realidade nele mesmo.

Documentário: Homem Premonição – Premonition Man

Sinopse:
“O Homem das Premonições” conta a história de Christopher Robinson, uma pessoa comum, dessas que encontramos todos os dias. Ele não é um místico ou religioso, mas desde 1989 vem sendo perseguido por premonições e sonhos premonitórios regularmente.
Conhecido como o “Detetive dos Sonhos” Christopher vem tendo premonições de acidentes de avião, atrocidades terroristas e assassinatos, há mais de vinte anos.
Os sonhos começaram em 1989, quando a Inglaterra estava sofrendo com o terrorismo irlandês e vivia sob ameaça constante da organização conhecida como IRA. No primeiro sonho Christopher ficou assustado e horrorizado, ele havia sonhado com uma bomba explodindo e, mais tarde, iria ler sobre o mesmo evento no jornal do dia seguinte. Ele prontamente contatou a polícia e foi tratado inicialmente com descrença e, quando suas previsões se tornaram realidade, foi detido e acusado inicialmente pelo atentado.
Não demorou muito para que as autoridades percebessem que Christopher não era o autor do crime, mas apenas um inocente mensageiro, tentando convencê-los de que eu não era louco, e que havia tentado mudar o curso dos acontecimentos. Os sonhos raramente são simples, mas ao longo dos anos Christopher aprendeu a ler as mensagens enigmáticas e muitas vezes entender seus significados.
O Homem das Premonições” contém entrevistas com cientistas, investigadores psíquicos, psicólogos e jornalistas, que já cruzaram o caminho de Christopher e confirmaram suas premonições extraordinárias. Em Abril de 2001 Christopher, em uma tentativa de ter seu dom cientificamente testado, contatou o professor Gary Schwartz, da Universidade do Arizona. Schwartz é um cientista publicado e respeitado especialista em indivíduos que parecem ter habilidades psíquicas.
Schwartz foi cético em relação às afirmações de Christopher, mas finalmente concordou em fazer algumas experiências. Schwartz construiu uma experiência em que Christopher teria que sonhar com dez destinos durante dez dias, antes que o destino fosse escolhido por uma terceira pessoa, que os sortearia de um total de 20 possibilidades. Esses testes ficaram conhecidos como os “Experimentos do Arizona”, e foram realizados em agosto de 2001. Os resultados, que foram reconstituídos e examinadas em profundidade, são extraordinários.
“O Homem das Premonições” examina as “Experiências do Arizona”, e também premonições lúcidas e aterrorizantes de Robinson de atentados do IRA, 11 de setembro, os atentados em Londres em julho de 2007, e a morte da princesa Diana. Um filme essencial para qualquer pessoa interessada na natureza e dinâmica dos sonhos e da própria realidade.
Fonte: DocPrimus
Crítica:
Eu achei o documentário muito lúcido e sem sensacionalismo, que é o que acontece geralmente nesse tema. A interpretação do sonho como Christopher Robinson faz pode talvez servir para muita gente que ainda não sabe desse recurso. Eu mesmo já tive coincidências que pensei um pouco antes naquilo, acho que todos já tivemos, mas o que Christopher Robinson faz é algo extraordinário, com uma riqueza de detalhes absurda.
Acho interessantíssima a pergunta que os entrevistados levantaram sobre de onde e quem manda as mensagens para ele, pois se ele não as compreende de primeira provavelmente alguém as mande, já que estão pensando no fator espiritual como alavanca da premonição, mas o subconsciente está no meio do processo para dificultar as coisas. Mas uma outra visão para isso seria a que nós temos essa conexão incosciente do meio em que vivemos e quando deixamos o ego e nossas barreiras sociais de lado podemos alcançar, ou sentir a realidade sem a formatação que usamos no mundo quando estamos em estado de Vigília. Explicarei isso nos próximos posts.
Trailer (Legendado)
Dados do Arquivo:
Direção: Steve Gammond
Qualidade: TVRip
Áudio: Inglês
Legenda: Português (Embutida)
Tamanho: 699 MB
Duração: 00:55:22
Formato: AVI
Servidor: Depositfiles (DF) | Rapidshare (RS)
————————————————————————————————————————————–
Download (DF)
Download (RS):
————————————————————————————————————————————–

Sonho Junguiano

Mascara Tribal

Não sou um estudioso de Jung, porém o deveria. Creio que há muitas coisas interessante para a psicologia, filosofia, e para a vida cotidiana também. Jung se aproxima da psicanálise, creio, com a ressonância entre eles no estudo dos mitos e símbolos. Lembrem-se que Freud era um colecionador de peças antigas e um conhecedor de mitos, tanto que muitos de seus conceitos são nomeados com a inspiração da mitologia greco-romana: Édipo, Eros, Tânatos, Narcisismo…

 Mas, se por um lado Freud falou basicamente de um inconsciente pessoal, enraizado também nas heranças genéticas, Jung o extrapolou para um inconsciente coletivo, abaixo desse: há um tecido de sentidos, de símbolos universais, que atuam e influenciam nossa vida e o sentido que damos a ela. Esses são os arquétipos, que se encarnam em diversas figuras.

Lembro-me agora do único sonho junguiano que tive. Não que haja sonhos mais apropriados para cada tipo de pensamento, mas que, conforme vamos estudando psicanálise, nas linhas de cada autor, durante a universidade, ocorre um fenômeno interessante, é como se nossos sonhos ficassem mais facilmente traduzidos pela teoria que estamos vendo no momento. Mas não sei como explicar isso totalmente.

 Bom, voltando ao sonho: foi rápido, e ao acordar. Despertei pela estranheza do sonho. Era época de eleições municipais, com aquelas propagandas chatas e rápidas dos vereadores, que só tinham tempo de falarem seu número. Meu sonho foi o seguinte. Imaginem um fundo preto, e uma iluminação tipo com holofotes, debaixo para cima, dando um clima mais sombrio. Havia em destaque uma máscara, dessas tribais, do tipo como uma oval na vertical, mas com as pontas finas. Essas máscaras de tribos havaianas, que vemos nos desenhos animados. Aparecia uma legenda abaixo, como nas propagandas dos vereadores, e que era repetida pela máscara, em uma voz obscura e tenebrosa, bem forte: “Votem Ourska Persona”!

 Estranho não hehehehe… bom, vamos a interpretação que fiz, junto com minha professora na época. Há um dicionário de símbolos, que muito ajuda às análises junguianas. Nele encontramos a palavra “KA”, que se refere a uma força anterior, antiga, que rege nossas vidas, um conceito egípcio. Não me lembro direito do que estava escrito, mas era algo assim. Minha professora desmembrou o nome “Ourska” em “Ours-ka”, ours em inglês significa “nosso”. Assim, poderíamos estar falando de “nosso ka”, de uma força coletiva que nos move.

 Já persona, é um conceito de Jung famoso. Se refere àquela parte de nossa personalidade que se mostra para os outros, nossa máscara social, que oculta nosso self. Interessante minha máscara ser uma máscara tribal, e seu primeiro nome ser justo uma forma de arquétipo, pois ela mostra aquilo que pretendia ocultar…

 Bom, o que se vê com Jung é que, enquanto sujeitos, temos raízes profundas, que nos sustentam. Essas raízes nos mantém atados a um solo comum a todos, a Natureza simbólica. Há quem coloque esses arquétipos em um mundo espiritual, em uma unidade espiritual, em outro mundo. Mas eu acho que, conforme vamos mudando nossa sensibilidade para as coisas, vemos que esse horizonte de símbolos comuns está aqui mesmo, entre nós, naquilo que fazemos e no que somos. O mundo em que vivemos já nos fornece materiais para a imaginação, e nos fornece determinados símbolos: a terra, mãe, que nos sustenta e alimenta, o fogo, quente mas assutador, necessário mas perigoso, a água, refrescante, nos acolhe, o ar, tão efêmero e invisível mas tão presente… Assim, penso, antes de procurar um mundo além do nosso, precisamos ver que no nosso mundo mesmo há muita coisa inexplorada. O oculto é o que está diante dos nossos olhos, não é assim que dizem?

The American Dream – O Sonho Americano (2011)

(EUA, 2011, 30 min. – Direção:Tad Lumpkin e Harold Uhl)

Uma animação bem humorada desse assunto tão abordado hoje que é a Economia Global, e quem são os donos dos bancos e empresas famosas do mundo, como os Rockfeller, Rothchilds e outros. Muitas coisas que eles fizeram foram escondidas da população mundial, e hoje em dia começa a ser revelada com a ajuda de muitas pessoas que já foram envolvidas ou que simplesmente estão levantando seus punhos contra esse sistema.

Esse sistema monetário irá cair logo, pois sua base é a dívida, e o FED (semelhante a Casa da Moeda) não é uma instituição público, e sim privada, ou seja, visará o lucro em cima dos trabalhadores americanos.

Para saber mais sobre isso indico ler esse texto que explica detalhadamente, de forma leve e fluida, o como tudo isso começou, é muito bom, o texto chama A Criatura da Ilha Jekyll – O Sistema da Reserva Federal, indicação do leitor Hiroshi John.

Site Oficial

A Segunda Vinda, e a Função do Sonho de Que tudo vai Melhorar

Cristo um ser iluminado que por ser o professor da vida naquela época para seu povo era mal visto pelos poderosos, pois ele simboliza algo muito maior do que ele próprio, sendo ele ou não filho de Deus (no sentido Deus com personalidade como temos no cristianismo), seus seguidores abusaram ao pedir provas de sua divindidade e Jesus raramente se negava a demonstrar sabedoria ou a curar as pessoas, aliás, ele estava alí para “salvar” o povo, sendo da escuridão da ignorância ou de alguma forma de perdição que poderíamos enfrentar sem seus ensinamento que seguem a linha budista em muitos pontos, não preciso nem citar o diabo eu acho.

A sua segunda vinda foi profetizada nos ultimos anos de sua vida, fazendo assim a idéia que seus seguidores tinham dele ainda maior, um ser divino, um deus na terra, e me atrevo a citar algumas palavras de Wilhelm Reich, “ele gostava das pessoas ao seu redor, gostava das mulheres e dos homens que conheceu”, pois esse fato fez com que qualquer pessoa que quisesse seguisse seus passos e ouvisse seus ensinamentos, mas infelizmente esse foi um dos seus erros, se tomarmos a história da bíblia como um livro de história.

E é aqui que cruzamos as frases do título do post. Na nossa sociedade temos a idéia silenciosa de que as coisas tendem a melhorar e que no final se seguirmos nossas vidas honestamente tudo dará certo, o que infelizmente não é realidade, esse pensamento é implantado em nós por todos os lados, nas propagandas, nas novelas, nos filmes, nos livros, o que a maioria das pessoas esquecem de perceber é que o esforço e sacríficio é essencial na jornada para o objetivo de nossas vidas, sendo esse objetivo inteiramente mutável durante o percorrer do curso pó ao pó.

Os humanos hoje como são educados não conseguem aproveitar uma chance ao saber do resultado ou da probabilidade de tal, acabam tomando-se de emoções e ansiedade que apenas irão atrapalhar suas chances de concretizar o provável. Isso é muito bem demonstrado na trilogia da Fundação, um dos livros do grande Isaac Asimov (escritor de “Eu, robô”, “O Homem bicentenário”, e o romance sci-fi mais genial que li até o momento, “O Fim da Eternidade”), a história gira em torno de um psico-historiador, que inventou uma ciência baseada em probabilidades de como as massas de comportam, e ele acaba virando um profeta, chegando até a gravar mensagens em video dele mesmo para ajudar a nossa galáxia de ir para um lado ruim, ou ser dominada por ditadores.

Deixando a coincidência entre a ficção e realidade de lado, a moral é que as pessoas não sabem como agir, como reagir, mesmo em situações em que foram treinadas, a essência de seu ser é na maioria das vezes fraca e frágil, é como se a mente fosse uma fazenda, mas só se cuida da região que é perto da casa, a parte que é perto da floresta é deixada aos lobos.

Há urgência em um auto-didatismo para a vida,  procurar saber como, procurar saber onde, procurar experienciar situações, sejam elas no mundo real ou no mundo literário, a partir dessa projeção/vivência da vida é que iremos saber nos comportar diante da tal. Ser apenas alheio a ela se mostra hoje em dia um modo inefetivo de enfrentar acontecimentos inesperados. Quem não lê, ou procura formas de experiênciar outras coisas além de sua vida tem menor chance de aprender, ou de tirar algum proveito de algo.

Portanto, Experiencie independente da mídia.

Experiencie.

Facebook