Tag: realidade (page 2 of 4)

Justiça, e suas Consequências.

animal preso

A diferença de justiça e vingança é que para se condenar alguém pelos seus atos, a justiça diferente da vingança não utiliza sentimentos negativos no processo.

Vendo dessa forma, sugiro que demos um panorama pela nossa sociedade, onde justiça é comprável, pois advogados bons ou influentes podem usar dos furos de leis incabíveis para uma sociedade onde o crime é realidade, onde todos já pensamos em roubar pelo menos uma vez na vida. Estamos muito próximos da violência, e por quê?!

A resposta é o clichê, pelo sistema de ensino, super população, e uma economia baseada em dinheiro, em posses, muitos acabam ficando de fora desse ritmo. O índios da america do norte, quando chegaram os colonizadores e falaram que eles tem certas terras demarcados, que são donos de certas terras, o índio apenas rio de sua inocência em pensar que pode ser dono de algo que todos sabemos que é de todos, e não me limito a falar de humanos e sim seres vivos.
Hoje em dia podemos ver que o sistema de justiça do país é um sistema infantil, pois ele não liga para as pessoas que ingrigiram a lei.

Como um pai irresponsável que apenas por ver seu filho fazendo algo “errado” ou incômodo a sua tranquilidade o coloca de castigo sem motivo, e sem se perguntar se aquilo que fez realmente se mostrou significatico para o aprendizado da criança, infelizmente não vivemos com o sentimento de irmandade ou fraternidade ou mesmo amor pelo próximo, a primeira reação ao incômodo ou errado é a repulsa e a crítica sem intenção de ser construtiva, e sim destruidora, é uma reação natural aos olhos de hoje alguém falar mal de outra pessoa, em vez de tentar entende-la, pois com certeza se ela faz algo que é mal, existe um porquê e muitas vezes a resposta disso pode ser mais forte que a pessoa.

Vemos mais e mais pessoas indo para a cadeia, e o que percemos com isso é que o sistema, é uma máquina, ele não pensa, apenas condena. Podemos ver isso no caso de pessoas boas que em sua situação limite se veem agora como infratoras da lei, não há um entendimento que a maioria das pessoas postas nesse tipo de situação limite vai apenas para um lado, o do crime. Digo a maioria, pois com certeza existem aquelas que conseguem sair e se “dar bem”.

Não apredizado depois de ir para a cadeia, algumas até conseguem tirar algo de todo o sofrmento passado lá, mas aprendizado real é inexistente, pois muitas dessas pessoas são Retratos de uma Sociedade em Colapso, elas se transformaram, se adaptaram a um tipo de sobrevivênci em que tem que viver no underground da realidade imposta pela mídia.

O sistema de justiça deveria ser um pai que ensinasse os valores de uma vida honesta, honestidade essa que é determinada por um governo falho, mas ainda sim chegando perto da honestidade, e de que adianta prendermos esses fora-da-leis se nós mesmos não aprendemos com os erros mútuos?!

Sair da prisão deveria ser uma revolução na vida de alguém, mas quando se dá o primeiro passo para a liberdade, e se sente a mesma brisa gélidamente cortante de um mundo em que nada mudou em sua ausência, não perceberam sua falta, e ainda não lhe dão a possibilidade de voltar melhor que antes, só pior, pior, pior.

Itajubá em Foco- Dr. Francisco Di Biase

Perdido na Floresta

http://espanol.video.yahoo.com/watch/4986108/13270560

Na entrevista acime o Phd. Neurocientista Dr. Fracisco di Biase fala de modo bem consciente sobre seus livros e suas idéias, a compreensão dele foge do comum, pois por ser cientista deveria ser cético ao que errôneamente chamamos sobrenatural ou esotérico, o que na verdade não passa da sutil estrutura e mecânica do universo, mas não, ele fala com base em experiências, assim como Amit Goswami, como a consciência e a mente podem tendenciar coisas, e até curar o seu próprio corpo, como já disse em post antigos.
Uma pessoa que tem cara de cientista dá uma outra face para o tema, apesar de falar a mesma coisa que os livros de Goswami.

Peço que vejam a parte de Pensamento Quântico do blog.

Documentário: Maconha – Grass

Este documentário não é uma exaltação patética à maconha, mas sim um filme informativo, envolvente e sensato. Uma excelente produção sobre a erva maldita. Los Angeles Times “Um documentário expressivo e divertido sobre a história da marijuana nos Estados Unidos no século 20.” New York Times Maconha (Grass), do diretor canadense Ron Mann, é um documentário instigante e polêmico, inédito no Brasil, que foi aclamado nos países onde pôde ser apresentado. Com uma linguagem moderna, o filme conta a história secreta da proibição da maconha, mostrando os interesses políticos e econômicos por trás dela. Maconha se baseou numa imensa pesquisa histórica e traz imagens surpreendentes (e divertidíssimas) de antigas campanhas publicitárias anti-drogas. Esse DVD marca a estréia da Série Grandes Documentários do Cinema, que vai trazer os melhores e mais inovadores filmes de não-ficção já produzidos para a tela grande. Foi eleito como o melhor documentário de 2000 pela Academia Canadense de Cinema e TV e inclui a reportagem histórica da SUPER que pôs fogo no debate sobre a cannabis no Brasil!
Um documentário corajoso sobre um dos assuntos mais polêmicos dos nossos tempos!

Para baixar clique no link abaixo:
Baixar Filme

Sou a favor do livre arbítrio, assim como o Partido Verde e Soninha não ligo a mínima se alguém quiser fumar maconha, as pessoas devem buscar o que querem, e o que as deixem feliz. Acho que se fosse legalizado e deixassem dessa baboseira moralista, o próprio governo iria ganhar com os impostos e talvez a vida melhorasse e não seria mais necessário dar dinheiro para traficante, sem contar que hoje em dia na maioria dos estados dos EUA a maconha é a planta que mais dá dinheiro, passando a batata.

Caos na USP.

Estamos em Greve

Sinto a necessidade de explicar e dar minha opinião sobre o que acontece na Usp.
Moro do lado dela e tenho alguns amigos que estudam lá dentro e consigo sentir o que se passa lá através deles.
O primeiro fator causador dessa greve ou caos, é a imaturidade e egocentrismo de jovens que como todos sabem dedicaram anos estudando para entrar numa faculdade, deixando de sair, deixando de experimentar, deixando de viver, uma pessoa sem contato real com o mundo não sabe como funciona a realidade, e acaba achando que seu mundo pode ser como os livros que ouve falar, de Marx ou Chê.
Muitos que estão lá são crianças querendo apenas baderna, fazendo assim com suas atitudes perderem o valor impactante da conquista, ao usar o movimento de invadir a reitoria como primeira ação pseudo-revolucionária, a greve deveria ser o ultimo recurso, deveria estar além das negociações, além do modo “civilizado” de negociar.
Mas a USP é um universo a parte do outros, pois é auto-sustentável, muitas pessoas vivem lá do dinheiro mandado dos pais, e praticamente não precisam sair de lá. Fazendo com que a maioria siga uma linha de racioncínio, e também uma estética muito parecida. Quando também se invade a reitoria são roubados objetos de lá, fazendo perder o significado da ação por alguns badernistas.
Mas o Catalisador da greve não foi isso, e sim várias outras, pois como dito a invasão da reitoria já tinha perdido seu efeito, e também devo dizer que muitas pessoas não queriam a greve, mas duas coisas mudaram a cabeça das pessoas.
A Reitora pediu para a policia entrar na USP, e não foram poucos, chegando a mais de 200 policiais armados parados lá, formando uma barreira de escudos, mas até então parados, até que os estudantes começaram a cercá-los para intimidar, mas ainda assim fisicamente pacifico, porém xingando muito os policiais, e eles(policiais) não perderam e começaram a jogar bombas de efeito moral para dispersar as pessoas, o que sempre é em efetivo, e certas pessoas correram para os prédios onde os professores estavam, o que também seria inteligente. Mas a policia não se intimidou e além de espantar todos para abrigos mandaram bombas de efeito moral dentro dos abrigos, fazendo as pessoas entrarem em pânico, pois a frase clichê foi posta em prática, ” se fica o bicho come, se correr o bicho pega”, e foi nesse abuso de poder desnecessário em que a maioria da Usp hoje se encontra a favor da greve. Até porque existe a lei que a policia não pode entrar na Usp e todos querem viver no seu mundo seu repressão.

Na minha opinião e acho que na de muitos, os dois lados são muito errados.

O Mnn, pra quem não sabe é o movimento negação da negação, as pessoas desse grupo estão em peso nos C.A.’s da USP, e são os Pseudo-revolucionários que como vimos não argumentam, apenas agem sem negociar, onde já aconteceu de falarem dada seguinte maneira com pessoas importantes da USP: ” Cala Boca, seu Idiota!”. Para mim é o mesmo que ir discutir com uma criança e quando ela ve que vai perder a discussão ela mostra o dedo do meio.

Infelizmente as pessoas que tem comprometimento com algo, são as menos preparadas. Usam a faculdade como trampolim para a política.

O que eles não percebem é que a polícia só estava cumprindo ordens superiores, e que eles são apenas sobreviventes de um sistema educacional falho, em que não se cria pessoas corretas, apenas se valoriza a dedicação para algo que na sua essência não vai ti tornar uma pessoa melhor.

Profecia Maia e Nassim Haramein

super nova

A parte 34 devo ressaltar da Palestra de Nassim Haramein, ela fala das previsões maias sobre os dois sóis e que Júpiter está entrando em ignição, pois caso não viram ainda o documentário do Universo, Júpiter é uma estrela que não deu certo, ou seja, ele tem a mesma composição que o Sol, e as erupções solares estão queimando Júpiter. O que muito provavelmente iria transformá-lo num Sol futuramente, concluindo assim a profecia maia, que a concepção de Tempo mudará, até porque iremos ter dois sóis segundo Nassim Haramein, e uma reorganização do sistema solar. Para lembrar devo informar que na verdade poucos sistemas solares são compostos por somente uma Estrela.

Palestra de Nassim Haramein

O grande Físico Nassim quebra VÁRIOS dogmas com suas idéias e teorias, vejam calmamente, pois é muita informação, ainda não está todo legendado, mas espero que logo será.

As Dimensões e o Universo 1
As Dimensões e o Universo 2
As Dimensões e o Universo 3
As Dimensões e o Universo 4
O Vácuo e a Densidade do Infinito 5
O Vácuo e a Densidade do Infinito 6
O Vácuo e a Densidade do Infinito 7
Vácuo, Campo Magnético e o Tetrahedron 8
Relação do Tetrahedro e a Esfera da Realidade 9
Teotihuacan e a Matriz Vetorial Isotrópica 10
O Octahedro e Número 12 na Antigüidade 11
Os Crop Circles e os Octahedros 12
Os Crop Circles 13
Os Crop Circles e a natureza Fractal 14
Crop Circles e o Pi 15
Sobre os Buracos Negros 16
Geometria do Colapso 17
Sobre a Física Quântica 18
A trandução da Água, as Ondas e a Geometria do Vácuo 19
As Ondas, Orbitação e o Campo Magnético 20

Caso queiram ver a outra metade não legendada, que não tão difícil, pois o inglês dele é bem fácil.
Clique aqui.

Não é a mesma palestra, mas você pode seguir a partir da parte 20 desse link.

Aconselho a verem logo depois o Documentário O Olho de Hórus, pois tem sua teoria posta em cima de outras.

Como os cientistas determinam se uma explosão nuclear aconteceu?

Explosao

por Julia Layton – traduzido por HowStuffWorks Brasil

Foto cedida pela Força Aérea Norte-americana
Constant Phoenix WC-135
Nos primeiros relatórios divulgados desde que a Coréia do Norte anunciou seu teste nuclear subterrâneo, oficiais chineses e norte-americanos disseram não ter encontrado, no ar acima do local do teste, evidências de uma explosão nuclear. Mas, no último relatório, um oficial norte-americano afirmou que os cientistas encontraram evidências preliminares de uma explosão nuclear.
Mesmo que os especialistas não tenham detectado partículas trazidas pelo ar que normalmente resultariam de uma ocorrência nuclear, isso não significa que nenhuma explosão nuclear tenha ocorrido. Essa falta de evidências pode significar várias coisas:

*Nenhuma explosão nuclear ocorreu;
*Uma explosão nuclear ocorreu, mas foi excepcionalmente pequena e/ou não foi totalmente bem-sucedida;
*A explosão subterrânea foi completamente contida (um acontecimento bastante improvável);
*A explosão não foi completamente contida, mas a verificação foi feita antes que a cratera subterrânea desmoronasse para formar uma abertura na superfície do local de teste, liberando partículas radioativas na atmosfera.

Em 10 de outubro de 2006 um dia depois da divulgação do teste, os Estados Unidos enviaram um avião “farejador” para verificar os céus da Coréia do Norte em busca de evidências radiológicas de um acontecimento nuclear. O avião que realizou essa tarefa foi o Constant Phoenix WC-135, uma “aeronave de coleta atmosférica” que executa missões de patrulha regulares para assegurar o Tratado de Restrição para Testes Nucleares de 1963. De acordo com a Força Aérea norte-americana, esse avião farejador tem “aparelhos de fluxos externos para coletar partículas em um papel filtro e em um sistema compressor para amostras de ar completas coletadas em áreas de retenção”. A tecnologia do avião inclui equipamentos de análise que apresentam resultados em tempo real, então, se partículas radioativas estão presentes no ar, isso é descoberto imediatamente, assim que o avião sobrevoa um local específico.

Então, o que exatamente o WC-135 procura em suas verificações atmosféricas? Ele procura por radiação ionizante – isótopos radioativos, especificamente vários isótopos de xenônio, característicos apenas em acontecimentos nucleares. Eles são produzidos no ato da detonação nuclear, resultando da fissão que gera a explosão (veja Como funcionam as bombas nucleares). Não são apenas as explosões atmosféricas que geram essa precipitação radioativa: os testes nucleares subterrâneos e realizados debaixo da água quase sempre liberam essas partículas no ar. Uma explosão nuclear completamente contida é um acontecimento raro (veja É possível testar uma arma nuclear sem gerar precipitação radioativa?).

Embora a verificação atmosférica não consiga apontar a localização exata de uma explosão nuclear, ela pode afirmar se a explosão realmente ocorreu se encontrar o índice característico de isótopos de xenônio na atmosfera. Essa descoberta é considerada uma marca nuclear absoluta.

Outro método para detectar uma explosão nuclear é por meio de um sismógrafo, o aparelho que monitora os tremores da Terra para apontar e analisar a atividade dos terremotos (entre outros tremores do solo). Na verdade, existe uma rede inteira com 500 estações de sismógrafos posicionadas ao redor do mundo que têm o trabalho de registrar incidentes que fazem o solo tremer, e isso inclui quaisquer evidências de explosões de bombas. O artigo “Detectando explosões nucleares subterrâneas”, da NPR, informa que a atividade sísmica registrada no dia 09 de outubro de 2006 indicou um distúrbio no solo que seria equivalente a um terremoto de magnitude 4,2. Essa magnitude indica uma explosão com cerca de 1 quiloton, equivalente à potência de mil toneladas de TNT.

Descobrir se um acontecimento sísmico é um terremoto ou uma explosão é relativamente simples. Os cientistas realizam análises de padrões de onda, que podem confirmar com precisão o que ocorreu. De maneira bastante simplificada, em um terremoto o solo começa a tremer devagar à medida que as placas se chocam umas contra as outras, e depois a atividade sísmica aumenta quando o solo realmente começa a se movimentar. Em uma explosão, o estouro inicial é extremamente poderoso. Em seguida, a movimentação do solo vai ficando cada vez mais fraca. Descobrir se o que ocorreu foi uma explosão e não um terremoto é, porém, apenas uma parte do processo, já que os sismógrafos não conseguem determinar, na natureza, se a explosão foi convencional ou nuclear. Além disso, é possível “esconder” uma explosão nuclear detonando-a, por exemplo, em uma grande cavidade subterrânea. Isso diminui os efeitos no solo porque todo o gás liberado pela explosão fica confinado no buraco enorme. Essas limitações do sistema sismográfico fazem com que a verificação atmosférica seja um componente necessário no sistema de detecção nuclear.

fonte:http://ciencia.hsw.uol.com.br/deteccao-nuclear.htm

Instalações de Sonhos em Você

macaco-pensador1

Lá vai um conto.

O mulá Nasruddin estava sob a luz da rua, procurando freneticamente alguma coisa. Um transeunte lhe perguntou ” O que está procurando, mulá?”
“Perdi minha chace; estou procurando minha chave”, resmungou o mulá.
O transeunte comecçou a procurar também. O tempo foi passando. “Onde perdeu sua chave, mulá?”, perguntou ele.
“Na minha casa”, disse o mulá.
“Então por que está procurando aqui, seu tolo?!”, gritou o homem, exasperado.
“Há mais luz aqui”, apontou calmamente o mulá.
Há mais “luz” no mundo exterior dos estímulos sensoriais, e por isso nós procuramos e a felicidade ali. Mas a verdadeira fonte de toda a felicidade encontra-se dentro, com o eu quântico, e além, em turiya – a consciência em si mesma.

Fonte: A Janela Visionária, pág. 214 2º parágrafo de Amit Goswami.

O que desejamos muitas vezes são implementações de necessidades e sonhos da filosofia social atual, a maioria das pessoas sente um vazio naquilo que busca, naquilo que trabalha, se é que faz algo/busca algo, as opções são quadradas e suas variantes de ângulos retos, enquanto nós deveríamos viver num espiral de realizações, incabível para esse sistema de crenças e engajamentos.

Amit Goswami no Roda Viva

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=nzfIwwp3Gc8]

Um dos poucos homens a tentar refazer a ponte entre a Espiritualidade e a Ciência, usando a Física quântica,
veja o vídeo para saber um pouco sobre ele e seus livros que me inspiraram a fazer esse blog.

Livros que indico:
A Física da Alma
A Janela Visionária
Deus Não Está Morto

Cura da AIDS: ganhador de Nobel é acusado de roubar invenção

celula

Um pesquisador francês, ganhador do Nobel, que fez a co-descoberta do vírus que causa a doença, foi acusado, ontem, de roubar os créditos por uma invenção revolucionária que promete ser a cura da AIDS.

O professor Luc Montagnier está travando uma batalha legal com o inventor Bruno Robert pelos direitos de uma invenção que pode significar a cura de doenças como AIDS, Alzheimer e Parkinson. Tudo isso através de sinais eletromagnéticos.

A esperança é que, uma vez identificadas, as doenças podem ser bloqueadas ou neutralizadas com um sinal eletromagnético oposto.

Basicamente, os dois cientistas, Robert e Montagnier, que trabalharam juntos no projeto, tentaram registrar a patente da mesma invenção.

Na última quinta feira, Montagnier levou Robert à corte, clamando que os direitos da descoberta eram seus. O veredicto sairá dia 20 de maio.

O advogado de Robert alega que Montagnier já admitiu que a idéia não era dele e que ele havia assinado um contrato que dava todos os direitos da descoberta a Bruno, em 2005, em troca do valor de 100mil euros – e ele não recebeu o dinheiro. O advogado de Montagnier, por sua vez, declara que o contrato era apenas protocolar e não representava um contrato legal.

Montagnier ganhou um prêmio Nobel no ano passado por identificar o vírus que leva à AIDS, junto com outro cientista. Um terceiro pesquisador, envolvido no processo, não teria sido mencionado, embora seus colegas tenham dito que ele foi uma peça fundamental para a descoberta.

fonte: http://hypescience.com/cura-da-aids-ganhador-de-nobel-e-acusado-de-roubar-invencao/

Older posts Newer posts
Facebook