Tag: projeto venus

Quietude = Estagnação ?

JAMAIS! Devo exclamar.

A sociedade hoje em dia implanta muitos desejos/necessidades nas pessoas, são ordens arremessadas no espaço, esperando um olhar desatento, um inconsciênte despoliciado.
A frase imperativa invadi sua mente, e sistematiza sua capacidades, as ordena de acordo com as vibrações externas.

Devemos dar uma olhada cirurgica em nossos atos e padrões de necessidades que temos, pois muitas delas são inuteis e fazemos apenas por costume.

E depois de nos analisarmos deverá surgir mais momentos sozinhos, sem ter o que fazer ao primeiro olhar. Mas quem disse que ficar um instante parado, fora dessa onda de ações e reações é ruim? Pelo contrário.
O que falta muito nas pessoas hoje em dia, é se conhecer. Principalmente na época do fim da adolescência e começo de faculdade ou 20 e poucos anos, as pessoas não tem tempo pra respirar, e nessa idade é quando enchergamos o mundo de uma maneira ímpar, que muitas vezes jamais irá voltar a acontecer.

Estar silenciado, na quietudade, significa alcançar a si mesmo, uma parte que a maior parte do tempo se encontra subjugada pelo caos e movimentação externa.

Ter contato com seu eu interior acontece quando somos criativos, quando temos um Salto Quântico de Criatividade como diria Amit Gowsami, ou Satori em japonês, ou Moksa como se diz na india. É fazer algo que realmente venha do seu interior, que ti represente totalmente e que seja tudo de uma vez.

Como antiagamente na época dos reinos na Europa, apenas o primeiro filho iria herdar o reino então os outros livros não tinham ocupação, e todos eles vendo sua falta de objetivo ou funcionalidade no reino acabavam virando cantores, músicos, pintores e dançarinos, artes que ao meu ver necessita de criatividade para se fazer bem. O que quero dizer é que a quietudade nos faz aprender e fazer coisas envolvidas muito mais com nós mesmo do que simplesmente fazer parte de alguma coisa grande apenas por Status ou Funcionalidade Social. Isso é o que mais é valorizado hoje em dia, como um dever vital que já nascemos encarregados de cumprir, e quem se desvia desse caminho programado é tido como Corrupto dos Padrões Sociais, ou seja vagabundo ou alguêm que não presta.

Muitas Pessoas tem medo do Projeto Vênus, ele é apresentado no documentário Zeitgeist 2 Addedum já postado aqui no Destruidor de Dogmas. E essas pessoas tem medo, pois numa sociadade que teoricamente se aproximaria da perfeição o que as pessoas fariam se não quisessem ser uteis? Pois você poderia trabalhar no que quiser, e se existisse muitas coisas que facilitassem a vida, como aparato automáticos e robóticos, o que um ser humano que não queira se engajar faria?

Veja que a história pode se repetir denovo, as pessoas com medo ainda não descobriram a quietude.

Silencie-se para descobrir quem és.

A catarse acontecerá uma hora ou outra.

E ela tem mão dupla.

Documentário: Paradise Or Oblivion – Paraíso ou Esquecimento

Tudo é Utopia pra quem é ignorante.

E isso meus amigos, quem consegue ver possível são só as pessoas que conseguiram se desprender dos tentáculos da sociedade e mídia.

Não deixemos nossas diferenças para trás, temos que dar outro significado para elas, o verdadeiro, diferenças nos fazem ricos, mais interessantes e únicos, elas devem ser celebradas e não domadas.

Temos que suprir as necessidades básicas da humanidade para começar a cortar o trabalho braçal e substituir com máquinas, só assim teremos tempo, disponibilidade  e e chance de cultivar nossa criatividade ao limite.

A função do homem primeiramente é crescer, não é preciso um sistema político de competição e imoralidade para tirar isso do homem, ele já nasce com a curiosidade e o desejo de fazer algo que signifique, que o reconecte consigo fazendo-o esquecer de tudo, como músicos que ficam extremmente concentrados quando tocam, estão em sintonia com o seu Deus, com eles mesmos, e consequentemente com o mundo.

Documentário sobre o Projeto Vênus. Veja mais videos sobre o assunto aqui.

Site Oficial: http://www.paradiseoroblivion.com/

Palestra: Para onde Vamos? – Zeitgeist

Ótimo video, como se espera do Movimento Zeitgeist.

Video: Permissão para um Mundo Livre

1- A maior preocupação da humanidade é o Combinado o bem comum da comunidade humana, a biosfera e sua biodiversidade.
2- A vida, em todas as suas formas, é rara, preciosa e livre para florescer dentro do comum e uma boa.
3- Cada pessoa é um cidadão igual da comunidade humana, sem o estigma, o rótulo ou privilégio.
4- Cada pessoa tem acesso a todas as exigências de uma vida saudável, sustentável e cumprindo, livremente e sem subordinação a dívida ou obrigação.
5- Toda a energia e os recursos de que dispomos são a propriedade comum de todas as pessoas, e são alocados de acordo com as necessidades do comum e uma boa.
6- Cada pessoa aceita que os recursos mundiais são limitados, ea necessidade de consumo mínimo e dos resíduos.
7- Cada pessoa reconhece que se trata de uma única peça de uma única comunidade, que conta com todos os seus membros de forma igual para a sobrevivência e progresso.
8- Nós reconhecemos a eficácia ea imparcialidade do método científico e sua aplicação como nosso principal meio de resolução de problemas.
9- Reconhecemos a necessidade de uma educação relevante para os nossos filhos e nosso dever de cuidar de membros da comunidade são incapazes de contribuir ou manter-se.
10- Cada pessoa aceita a nossa responsabilidade colectiva de pessoas ainda não nascidas, e manter uma biosfera diversificada e sustentável para as gerações futuras possam desfrutar.

 

Acho que a maioria das pessoas se perguntam como uma sociedade pode ter essa mudança de paradigma sem acabar com os recursos naturais, pois temos muitas pessoas no mundo, e se tudo for de graça todos quereremos tudo. O que é uma idéia completamente errada, pois nossa mente ocidental pode imaginar essa impossibilidade, mas quando se vê pelo mundo o que acontece quando temos pessoas mais educadas (escolas e faculdades), vê-se que as pessoas tem consciência que ter muitos filhos é desnecessário e prejudicial para o ambiente, como podemos ver no ótimo documentário da BBC, “Quantas Pessoas Podem Viver no Planeta Terra?”.

 

Video Explicativo do Projeto Vênus

Mais um video bem direto sobre o Projeto Vênus.

Caso queira ver os outros videos de entrevistas e documentários clique nos links abaixo.

Documentário: O Futuro Pelo Design

Tudo Sobre o Projeto Vênus e Jacques Fresco

A Sociedade Perfeita, ou Algo Próximo

O que seria uma sociedade perfeita, ou que chegue perto pelo menos?

Com certeza seria algo que não dê chances para as pessoas se corromporem, como tirar vantagem de alguém, ou lucrar muito acima, mas como controlar tais desejos? Eles só iriam nascer da necessidade de ter dinheiro ou de valores distorcidos, como comerciais que mandam você ter algo sendo que é óbvia sua inutilidade.

E para que isso aconteça é necessário suprir de maneira adequada ou até razoável as necessidades básicas do ser humano, pois se formos ver a maioria das pessoas não querem no fundo do coração serem ricas e esbanjar futilidades, e sim alcançar uma felicidade mesmo que momentânea com objetos ou situações, mas descobrirão que essas felicidades são importantes, mas não essenciais, mas uma felicidade duradoura é o que no final fazem elas buscarem esses atalhos através de coisas físicas.

O Sistema de ensino e de saúde são duas coisas envenenadas por mentes auto-corruptas, onde não há valorização da criatividade e do potencial humano no sistema de ensino, matando assim qualquer possibilidade de uma visão horinzonal além das montanhas criadas por essas mentes, e o sistema de saúde atrapalhado pela burocracia e empresas farmacêuticas que envenenam as mentes dos médicos fazendo terem diagnósticos tendenciosos ao produto que dê mais lucro algumas vezes. É urgente um novo pensamento, ou talvez a capturação de antigos.

Se a lei da procura e da oferta como você disse é interessante, sim é mesmo, e muito, mas o capitalismo infelizmente não é feito somente disso, visa também o lucro, e o lucro por si só é algo que corrompe, pois abre as portas para suas necessidades futeis, e outras não tanto.

E o que poderia acabar com essa necessidade futil e a corrupção, a necessidade nasce da falta e da impressão de necessidade, a auto-corrupção dos valores distorcidos, então devemos acabar com as fontes deles, ou pelo menos direciona-los para que dê frutos bons. Já vimos que as pessoas mais estudadas ou de consciência maior não costumam ter muitos filhos, e em uma sociedade que não tem uma explosão populacional é muito mais fácil de prover suas necessidades, e provendo elas, não haverá necessidade de passar por cima dos outros e de lucrar, pois a felicidade com relação ao ambiente estrutural já estaria presente, e a educação respeitável também, o que levaria cada vez mais as pessoas a terem menos filhos e por conseguinte tendo menos trânsito também, que daria mais tempo para as pessoas aproveitarem suas vidas.

A robotização de trabalhos braçais é urgentes também, pois já passou o tempo de o ser humano automatizar várias coisas, coisa essa que não aconteceu devido a necessidade de ter empregados quase que obrigatória no mercado, e claro a outra necessidade de ter homens sem estudo, pessoas que simplesmente estagnam pelo conforto.

Se estamos pensando em uma sociedade “perfeita” é necessário que o ser humano trabalhe seu potencial ao limite e por vontade própria principalmente, pois toda pessoa quer fazer algo, não digo ser útil, pois esse “título” carrega muitas idéias que não é o que queremos alcançar aqui. Ser útil é uma vontade não um eufemismo para cumprir a agenda que a sociedade nos empõe sigilosamente.

Para alcançarmos o Übermensch de Nietzsche é preciso quebrar as barreiras limitantes no ser humano para mutualmente ser criado o ambiente perfeito para ele e o ser perfeito para criar um melhor ambiente, é um troca que ascende espiralmente.

Por enquanto acredito que apenas assim conseguiremos alcançar o que seria algo parecido com o Projeto Vênus.

A preocupação com o ser e seu ambiente.

Começar pelo lado mais frio do iceberg é acertar a ponta de forma mais efetiva e definitiva.

Obs: agradeço ao leitor Hiroshi John por ter me ajudado com seus emails a chegar a esse post, que foi uma resposta de um deles. Logo mais postarei os texto que ele me indicou.