Tag: nova ordem mundial

A nova cara da Inquisição

Interrogatório no “Strappado” (Bessonov Nicolay, 1992)

A internet fornece conteúdos apresentados de todos os tipos. As novas roupagens e os raciocínios apresentados nos leva a encarar o que vemos como verdades, caso não desenvolvamos um mínimo de raciocínio crítico. Bom, hoje mesmo entrei em contato com um blog cuja missão me pareceu interessante: A Mídia Illuminati, que visa “esclarecer” a mente das pessoas sobre o simbolismo oculto dos grandes satanistas, que buscam através do controle mental instaurar uma nova ordem mundial.

Creio que não estão errados em seu argumento inicial, segundo minha opinião. As altas rodas da sociedade desde muito utilizam-se de estratégias, nem todas conscientes, de manipulação da sociedade, buscando o controle da opinião pública. Nós aqui do Brasil sabemos bem claramente o sistema: ensino público de baixa qualidade, somado a uma mídia poderosa e formadora de opinião. Não é preciso mais que isso para dar início a uma massa manipulada.

Entretanto, o site vai além: associa o controle a uma seita satânica, e coloca que a Nova Ordem Mundial é aquela sobre o controle do Diabo. Diz que o controle mental se encontra nos inúmeros simbolismos espalhados pela mídia. Aí começa a mistura: Cabala, Illuminatti, Maçonaria, Rosacrucianismo, Paganismo, etc, todos os símbolos aparecem como forma de controle mental, exceto um: o Cristianismo.

Se vocês quiserem ver a ideia básica deles, comecem por ver esse video:

Esse é o início de uma série que explica a forma de raciocínio dos criadores do blog. Sinceramente, poderia passar horas debatendo cada argumento, relativizando cada símbolo, cada entrevista, cada informação. Mas não cabe aqui um trabalho tão profundo. Espero que os leitores tenham por si a capacidade de refletir sobre o que vêem.  O que me interessa é a conotação de perseguição religiosa que aparenta na posição dos autores.

Há claramente uma posição cristã, que nem é citada diretamente no vídeo – o que demonstra que para eles a verdade cristã é a única, tão óbvia que nem precisa ser citada. O vídeo todo parte do discurso paranoico tão comum às teorias de conspiração: busca-se uma lógica oculta, não acessível a todos, e que foi criada por alguém ou alguma instituição, a fim de controlar ou obter algum tipo de benefício.

Eu dou valor ao críticos. Às pessoas que olham as coisas e se questionam sobre o que há por detrás delas. Assim, é importante vermos que as músicas, os clipes, e os artistas não são simples profissionais, mas propagam determinadas ideologias e possuem estruturalmente propósitos políticos-ideológicos, e pode ser até espirituais. Mas antes disso, devemos questionar também o questionador.

Eu, Enquanto alguém que questiona, devo ser questionado, debatido. O que digo não é verdade, mas OPINIÃO (já digo isso me preservando de possíveis contra-argumentações…).

Assim, posso então colocar meu ponto de vista: Essa perspectiva de ver o satânico em tudo, sem nem ao menos contextualizar os símbolos e teorias religiosas que tanto apontam, não teria relação com a mesma postura Católica, na Idade Média, que, em parte, absorveu símbolos de outras religiões, mas que categorizou todos os outros como símbolos satânicos? Seria essa a nova roupagem da Inquisição, uma forma do pensamento religioso ser preservado na mente mais jovem, fascinada pela face oculta do poder? Assim, se captura no pensamento cristão a parcela de pessoas que age não pela pregação, ou seja, pela participação e defesa das ideias cristãs, mas sim pela busca e denúncia do que não é cristão.

É divertido caçar demônios. Mais divertido que ir à missa. Ouvir discos ao contrário, buscar imagens simbólicas no símbolo da Coca-Cola… Essa forma de pensar não é nova, e sobrevive até hoje. O que a torna ruim, ao meu ver, é que ela é uma forma de pensar pela metade, ou seja, você critica mas não se critica. Não se avalia de onde parte para pensar o outro.

Assim, a conspiração dita “satânica” pode ser tão verdadeira quanto a conspiração que se diz “cristã”…

Explicando O Sistema da Reserva Federal

A Criatura da Ilha Jekyll – O Sistema da Reserva Federal

Transcrição de uma palestra proferida por G. Edward Griffin, com base em seu livro The Creature from Jekyll Island — A New Look on the Federal Reserve. Quem cria o dinheiro? De onde ele vem e para aonde vai? Os segredos dos magos do dinheiro são revelados. Examine de perto os espelhos, as máquinas de fumaça, as roldanas, rodas dentadas e polias que criam a grande ilusão chamada dinheiro. Longe de ser uma leitura árida e maçante, este artigo o deixará fascinado logo nas primeiras páginas. Parece uma história de detetive, mas é tudo verdade. A criação do Sistema da Reserva Federal, uma parceria entre o governo americano e um cartel de grandes bancos internacionais, é uma das maiores fraudes da história. Está tudo explicado aqui: a causa das guerras, dos ciclos de expansão e crises, inflação, depressão e prosperidade. Griffin expõe o problema do dinheiro fajuto, criado a partir do nada, por um passe de mágica, que ele chama de “Mecanismo Mandrake”. Após ler este artigo, sua visão do mundo mudará definitivamente; você também nunca mais confiará nos políticos e nos banqueiros.

Fonte: “The Big Eye”, http://www.bigeye.com/griffin.htm


Começaremos bem no passado para darmos certa perspectiva histórica ao assunto; iremos ao primeiro século antes de Cristo, ao pequeno reino da Frígia. Houve ali um filósofo chamado Epicteto, que disse: “Existem quatro tipos de aparências: As coisas são como parecem ser; ou nem são nem parecem ser; ou são, mas não parecem ser; ou não são, mas parecem ser.” Quando li essa afirmação pela primeira vez, ri muito e pensei que, com toda a certeza, se Epicteto estivesse vivo hoje, ele provavelmente seria um professor de Teoria Monetária e Sistema Financeiro na Universidade de Harvard; essa frase dele soa como tantas explanações que já li sobre vários aspectos do Sistema da Reserva Federal. O que ele fez foi pegar um conceito bem simples, mas ao tempo em que ele o explicou, ninguém fez a menor idéia sobre o que ele estava falando. Tudo o que Epicteto disse é que as aparências podem às vezes ser enganosas.

Entretanto, pensei que talvez acidentalmente, Epicteto tinha me dado uma trilha a seguir. Na verdade, isto poderia ser o tema, pois se existe alguma coisa enganosa no mundo, isto é o Sistema da Reserva Federal. Na verdade, ele é uma daquelas aparências do quarto tipo, aquelas que não são, mas que parecem ser. Vou usar isto como uma espécie de gancho para o assunto. Voltaremos ao tema de tempos em tempos porque ele nos diz algo no nível mais fundamental sobre o Sistema da Reserva Federal — que as aparências podem ser enganosas.

Quando fiz minha pesquisa sobre este assunto cheguei à chocante conclusão que o Sistema da Reserva Federal não precisa ser auditado, ele precisa ser abolido. É muito intrigante achar que devemos auditar o Fed, mas descobri que provavelmente, se o Fed fosse auditado, nada de irregular seria descoberto porque ele está fazendo exatamente o que deve fazer de acordo com a lei. O que ele deve fazer de acordo com a lei é a justificativa para aboli-lo, de modo que tudo o que precisamos fazer é compreender o que o Sistema da Reserva Federal faz e ficaremos bastante decepcionados com isto. O fato é que a maioria das pessoas não tem a mínima idéia sobre o que o Fed na verdade faz.

 

Cheguei à conclusão que a Reserva Federal precisa ser abolida por sete razões. Gostaria de lê-las para vocês agora apenas para que tenham uma idéia de onde estou vindo, como se diz. Coloquei essas razões na forma mais concisa possível para torná-las bem chocantes e talvez então vocês consigam memorizá-las:

 

  • A Reserva Federal é incapaz de cumprir seus objetivos declarados;
  • Ela é um cartel que opera contra o interesse público;
  • Ela é o supremo instrumento da usura;
  • Ela gera o tributo mais injusto que temos;
  • Ela incentiva a guerra;
  • Ela desestabiliza a economia;
  • Ela desestimula a formação de capital privado.

 

Não sei o que vocês pensam sobre esses pontos. Sei que muitos de vocês concordam com eles, mas presumo que existam alguns céticos aqui nesta noite e espero realmente que existam, pois, caso contrário, serei como um pregador falando somente para convertidos na igreja. Na verdade, sei que sempre existem alguns céticos que vêm a esses encontros e, francamente, é para vocês que estou falando hoje à noite. Uma vez, não muito tempo atrás, eu estava nessa mesma estrutura mental. Eu teria pensado comigo mesmo que estas são afirmações muito extremistas e acharia que elas não possam ser fundamentadas de forma factual. Embora o tempo não me permita abordar todos esses pontos aqui nesta noite, gostaria de explorar os quatro primeiros tópicos por certo tempo e mostrar que existe na verdade razão suficiente para uma pessoa racional concluir que essas afirmações são verdadeiras.

Acho que o melhor lugar para iniciar é com a formação da “criatura da Ilha Jekyll”; a criação da Reserva Federal. Isto me leva de volta ao título do meu livro, “The Creature from Jekyll Island” e se alguém aqui veio pensando que vamos exibir um filme que é a continuação de Jurassic Park, então você está no lugar errado. Obviamente, o título foi escolhido para atrair a atenção, mas também tem um grande significado. Para aqueles de vocês que nunca tiveram a oportunidade de se aprofundar no assunto, devo explicar que a Ilha Jekyll é uma ilha real, situada na costa do Estado da Geórgia. Foi naquela ilha, em 1910, que o Sistema da Reserva Federal foi criado em um encontro altamente secreto que ocorreu ali. O que eu gostaria de fazer é ilustrar para vocês que o encontro realmente ocorreu e mostrarei alguns dos documentos que estão disponíveis para provar que o sigilo era total e então chegaremos à pergunta: “Por que o segredo?” Quando as coisas são feitas em segredo, freqüentemente há algo a esconder e exploraremos o que eles queriam esconder. Uma vez que chegarmos a uma compreensão disso, então finalmente compreenderemos um aspecto muito importante do Sistema da Reserva Federal que geralmente não é compreendido pelas pessoas.

Continue reading

Facebook