Tag: mudança (page 2 of 2)

Leis Modernas da Vida Global




São 5 videos de 2 minutos cada que conseguem falar muito.

Seres em Desconforto

Começo dizendo nesse post que não gosto de falar de mim aqui, pois posso ser mal entendido, mas muitas vezes é melhor falar de experiências próprias do que alheias, e esse post não seria sobre a minha pessoa em si, e sim, num tipo de pessoa.

Tive uma conversa com Eduardo Maques, dono do site Pensar 21 que tem um objeto bem parecido com o DDD,  eu o estava informando sobre um projeto meu sobre um documentário e perto do final de nossa conversa ele falou: “no final somos apenas pessoas tendam juntar idéias para melhorar o mundo”.

E num almoço com Paulo Ferreira, também escritor tem um blog, me pergunta em uma parte de nossa conversa: -Porque mudar?, e eu respondi: “Porque é necessário!”, e realmente não vejo como um ser consciente com potencial pode se negar a contribuir para a familia humanidade, há de se fazer algo quando vemos todos afundando na lama, por mais espinhudo que possa ser o galho que você arranjou para tirar alguns de lá, eles vão querer sair no final, seja usando todas as suas forças ou utilizando o desespero ao olhar a face da morte e da desesperança, a sobrevivência em muitos casos prevalece, em outros sucumbi.

E é engraçado que uma das primeiras coisas que conversamos foi determinar o que é absurdo, ou melhor, o que pode não ser absurdo, e que absurdo é apenas uma concepção de época, muitas coisas pareciam impossíveis em certo momento, e depois aconteceram, e acho que o medo de ter um pensamento “Além de seu tempo” é um grande castrador de potencial e de novas idéias.

Existem poucas pessoas que conseguem ser conscientes da sua situação ou da situação de seu ambiente, seja ela uma cidade ou um país, e essa pessoa tem um grande potencial de mudar, e de melhorar com sua visão aguçada dando contribuições como se fosse alguém olhando tudo de cima, aliás, essa é uma das explicações para que o Deus Hórus tenha a cabeça de águia, por conseguir ver mais que os outros. Felizmente a maioria das pessoas ao ver alguém caindo tenta ajudar, mesmo não sabendo como, mesmo as vezes piorando, a idéia de ajudar é inata em muita gente.

O único problema é que a maioria das pessoas não tem/se preocupam em ter ferramentas para ajudar, não que você tenha que ter, muitas pessoas se preocupam só em viver suas vidas sem afetar muito o seu ambiente, mas todos buscamos nossa função, nossa contribuição, mesmo que não seja em forma de projetos, apenas viver mostrando como um estilo de vida pode ser bom também, é uma contribuição.

Por mais que seja egoísta o seu motivo de ajudar algo, ou um desejo altruísta, ou mesmo a junção de um pouco dos dois, (como no meu caso) o que as pessoas mais temem é não serem capazes, não estarem preparadas, mas todos somos pessoas criativas, basta apenas sabermos no que podemos utilizar essa criatividade, e criatividade não digo arte em si, e sim, tudo, pois qualquer coisa está sujeita a soluções inteligentes, desde a carpintaria até calculos extremamentes complicados de física quântica.

E quando chegar essa hora de estar pronto para fazer algo, não tente pegar as ferramentas dos outros, apenas se inspire no que já fizeram.

Outro dia pensei numa frase que cabe bem para esse post.

“Se voce tem consciência das engrenagens e molas de um relógio, você poderá eventualmente construir um no seu ritmo.”

Mas termino esse post com um poema:

Uma estrutura sólida de forte
Convicção e objetivos indomáveis,
Formam a base para um grande humanismo.
Ninguém pode confiar no coração daquele
Que é arrastado pela tendência dos tempos,
Ou sucumbe ao elogio ou censura.
Tal pessoa, com o tempo, se tornará isolada e desprezada, como um pedaço de madeira flutuante sendo puxada pela corrente do destino. Porém vocês meus companheiros,
Devem ser pessoas de convicção,
Como uma nobre, magnifica e imutável montanha, impertubável à mais severa ventania.

Daisaku Ikeda
Poema “O sol da manhã de felicidade brilha no porto da paz”

“Cooperativismo” Minimalista

A Crítica em si tem que ser construtiva, ela em sua essência não pode ser apenas um comentário ou uma acusação, tem que acrescentar algo ao receptor do comentário.

É por isso que vou falar do Cooperativismo Minimalista, esse termo que inventei para determinar certo tipo de atitude ou vício psicológico de muitas pessoas muitas vezes bem intencionadas, pessoas do bem, porém não tem uma vontade ou uma iniciativa de colocar pra fora sua vontade de mudança.

Você com certeza tem aquele amigo que não come em certos fast-food, que não bebe refrigerantes por motivos de saúde ou por motivos políticos, ou aquela pessoa que não come carne, mas come soja (e não sabe se sua soja é transgênica ou não), ou então mesmo aquela pessoa que simplesmente recicla lixo ou gosta de pegar lixo na rua e jogar em uma cesta de lixo mais próxima.

São vários os tipos de formas de cooperação minimalista, essas pessoas se satisfazem por fazerem o mínimo, por “fazerem sua parte”, acho ótimo isso, mas é no canto antecedido de vitória que nasce o comodismo, e dele surge a chance de derrota, o desleixo, a preguiça por saber que sua parte está garantida.

Infelizmente ou não, não vivemos em umas das animações da Disney que tudo acaba bem, as pessoas pensam que não pode fazer nada para mudar, apenas se defender do mundo, apenas regar as flores do seu jardim que está tudo bem, mas existe uma batalha invisível de informação acontecendo do lado de fora dos portões de sua casa, e com certeza todos podemos fazer nossas revoluções, nossas divulgações de pensamentos e reflexões, como diria Emma Goldman ” Se não posso dançar essa não é a minha revolução”, e falo que sim, você pode dançar assim como outras coisas, e essa mudança de atitude não deve ser algo chato e tedioso, tem que ser algo interessante e divertido, o conhecimento e a critividade são infinitos, com certeza existe uma dança ou uma música que você irá gostar, e assim como eu tenho esse blog, você pode ter uma banda, uma roda de amigos, estilo de arte-marcial, uma interação pela internet, ou simplesmete uma poesia.

A humanidade de acordo com os livros da escola nos dá 30 mil anos de idade, de acordo com os arqueólogos que foram excluídos por falarem a verdade de suas pesquisas nos dão até milhões de anos de idade.

Acho que já está mais no que na hora de sermos maduros e não sermos tão indefesos, o mundo é construido de atitudes, e está na hora de tomar a sua.

Pseudo Anti-Comodismo

Esses dias ouvi a frase ” Eu não quero que mendigos durmindo na rua sejam percebidas como coisas naturais e sem impacto ao meu olhar, quero sempre me indignar quanto a isso”, a frase foi algo assim.

Essa é uma frase muito falada por pessoas que acham que podem mudar o mundo com apenas seu pensamento.
Você não se se acomodar é muito bom, mas está na mesma posição no mundo físico do que um acomodado.

Uma árvore que pensa continua não mudando nada a sua volta a não ser pelos seus ciclos naturais que não exigem nada além do natural.

A indignação deve se materializar em ação para ter seu efeito real, se não é apenas pensamento.

Cito um exemplo, preconceito e discriminação, as pessoas usam essas palavras de modo errado. Preconceito todo mundo tem, é natural e involuntário, acontece sem  a gente perceber, já discriminar é botar esse pensamento mesmo que não natural para fora. Uma situação que isso pode acontecer é quanto vemos pessoas vestidas de forma muito suja e andando rapido em nossa direção, o medo ou preocupação vem rapidamente em nossa mente, fazendo-nos muitas vezes ir para o outro lado da rua.

É algo natural, acontece.Mas devemos lutar contra os preconceitos ruins.

Vou citar um acontecido dessa semana que aconteceu comigo; tinha um cara com o carro quebrado na marginal pinheiros e estava tendo uma puta chuva, tinha uma pessoa acenando para parar, e decidi parar, ele estava precisando de 36 reais para comprar uma peça do carro que quebrou, e eu só tinha duas notas de 20, e dei pra ele, instantaneamente meus amigos me olharam com a cara (você vai fazer isso mesmo?!), ele me prometeu ligar e depositar o dinheiro pra mim, o que não aconteceu ainda.

É esse tipo de mudança que devemos viver, simplesmente ação, não adianta nada você simplesmente ver alguém precisando de ajuda e se sentir mal, se sentir mal é assumir uma derrota ao estilo de vida capitalista, e esse estilo preve uma acomodação, ser ativo

É quebrar um ciclo.

É acordar do modo zumbi,

É ser um dos poucos sóbrios do bar.

Portanto, não fique aí sentindo a realidade, vá e a modele ao seu modo.

Newer posts