Tag: Livro

ISAAC ASIMOV: UMA VIDA DE APRENDIZADO (HQ)

isaac

Leiturinha rápida, de 5 minutos, mas que vai ficar com você por muito mais tempo. Dá um break aí.

As frases usadas nesta HQ foram retiradas de uma entrevista dada por Isaac Asimov em 1988 (tem no YouTube). Nela, Asimov faz umas previsões sobre um futuro próximo em que os computadores iriam ajudar as pessoas a aprender o que elas quisessem, no conforto de suas casas e da maneira que fosse mais prazeroso para elas.

ISAAC ASIMOV: A lifetime of learning

ASIMOV01

O próprio Asimov é um exemplo de aprendizado por conta própria e pela vida toda. Tem uma formação acadêmica, um PHD em Química, que colocou em prática na Marinha Americana durante a segunda guerra mundial. Depois virou professor na Universidade de Medicina de Boston e começou a escrever pequenos contos no seu horário livre, até que em 1958 resolveu se dedicar inteiramente à escrita. Sua produção foi nada menos que espetacular, não apenas pela excepcional qualidade de seus textos mas também pela quantidade: foram mais de 500 livros (sim, você leu certo, foram 500 livros) e mais de 90.000 cartas.

“Escrever é meu único interesse. Até o falar me parece uma interrupção”

Faça valer o privilégio de estar vivo na época em que estamos vivendo. Para além dos Facebooks e Instagrans da vida, tem um mundão de textos, músicas, filmes, hobbies, viagens e novos amigos só esperando por você. Seu tempo é finito, sua curiosidade não. Use com sabedoria! Tic-tac-tic-tac…

Fonte: ZEN PENCIL e a arte é de AUNG GAVIN 

Lançamento de Livro

Donec dictum leo enim. Fusce vitae lacinia quam. Donec sit amet urna viverra, venenatis ante ut, placerat felis. Fusce at magna at orci commodo viverra eget ullamcorper elit. Aliquam tincidunt dolor elit, ullamcorper sollicitudin orci egestas id. Sed laoreet odio sed pharetra hendrerit. Pellentesque vel ipsum non eros posuere lobortis ut in dolor. Cras neque quam, posuere dictum convallis vitae, blandit quis nisl. Etiam facilisis ut nisl eget ornare. Praesent a posuere risus. Cras varius dictum massa, sed tincidunt lorem volutpat ultricies. Maecenas volutpat lectus at mauris fermentum, vel auctor magna adipiscing. Pellentesque consectetur feugiat semper. Donec ornare tellus vestibulum, accumsan mi vel, pretium nunc. Nullam leo lorem, tincidunt sit amet sapien quis, volutpat pulvinar est. Aenean cursus ultricies lectus eu faucibus.
Continue reading

Livro: O Mensageiro

Hoje venho falar sobre algo especial para o DDD, Paulo Ferreira, uma das pessoas que escrevem no site acaba de lançar um livro sobre exatamente o objetivo do site, Acordar.

Paulo passa longe da arrogância que a idéia de “alguém te fazer acordar” traz, ele mostra que é possível para você caminhar para fora da estrada do entorpecimento e rumar não a esmo e sim a um lugar de sua escolha.

O livro foi escrito por Paulo no final do ano passado,  e devo falar que o livro é perfeito para a pessoa que está desconfiada, incomodada com a forma que as pessoas e com o caminho que o mundo está tomando. A maioria das pessoas que se encontram nessa situação se quer sabem que podem sair, e não só escapar, mas sim escolher o ambiente em que você quer estar, e isso não se trata de auto-ajuda e sim de auto-conhecimento.

Continue reading

A Escuridão da Noite

O Título do post é o nome de um livro de Edward Harrison, fisíco discute uma questão intrigante, o paradoxo de Olbers: Pensem, se o universo é infinito, e se há infinitas estrelas, a luz  de maioria delas seria o suficiente para fazer nosso céu brilhar como o Sol. Teríamos um céu tão iluminado quanto a superfície do Sol. E porque isso não ocorre? O livro é muito interessante, e busca a explicação dessa questão explorando a história das diferentes concepções da astronomia, desde os gregos até os dias de hoje, quando chega a uma solução mais satisfatória. Tentei achar uma versão on-line do livro mais não consegui, quem puder compre ou pegue o livro na biblioteca. O conteúdo é acessível, mas os apêndices no final requerem um bom conhecimento em física. Mas eles não fazem falta na leitura do texto principal.

Para vocês terem uma palhinha, estou postando um video aqui muito bom que explora a mesma questão do livro. Cuidado, o video apresenta spoiler do livro (hehehe)

O Ser da Quarta Dimensão

Primeiramente queria pedir desculpas por esse texto bem grande, pois não costumo fazer isso, mas prometo a vocês que valerá a pena.

Livro Nada Brahma,  pg.119 …


Ao tentar tornar compreensível a natureza “ilusória” de nosso conceito de espaço e tempo, é comum posrtular-se  existência de dois seres dimensionais como um espécie de “ponte mental” pois, se não conseguimos imaginar um mundo com mis de 3 dimensões, só podemos até certo ponto abordá-lo imaginando-o com menos de três dimensões. Ele conhece apenas duas dimensões: altura e largura. Para esse ser, “um círculo ou um quadrado girando em torno do seu centro será um fenômeno inexplicável e incompreensível por causa do seu movimento duplo, tal como é incompreensível o fenôomeno da vida para o físico moderno”.

Quando um cubo multicolorido passa pela superfície onde vive o ser bidimensional, se uma linha azul substituir uma vermelha, o ser desse plano verá a linha vermelha como um fato do passado. Não estará em condições de captar a idéia de que a linha vermelha ainda existe em algum lugar… No Tertium Organum P.D. Ouspensky fala sobre a multidimensionalidade do mundo. E prossegue:”Para esse ser que vive na superfície existe o que se encontra em cima ou embaixo… no tempo, no passado e no futuro… Portanto, embora ser ter a idéia da forma do seu universo, e olhando-o como infinito em todas as direções, o ser da superfície pensará involuntariamente no passado como algo localizado em algum lugar, em algum ângulo do todo, e pensará no futuro como que estando em algum lugar do outro lado dessa totalidade.

Desse modo, o ser da superfície terá a idéia de tempo. Percebemos que essa idéia surge  porque o ser bidimensional capta apenas duas das três dimensões do espaço a terceira ele só captará depois que seus efeitos se tornarem manifestos na superfície; portanto, ele a vê como algo diferente das primeiras duas dimensões do espaço, e a chama de tempo.” Continue reading

Livros Para despertar: A Interpretação dos sonhos, Sigmund Freud

"Sem dúvida nos terá surpreendido a todos saber que os sonhos não passam de realizações de desejos" S. Freud

Bom dia a todos,

Estava aqui estudando, quando e dei conta de que necessitava de ler um dos que eu considero maiores livros da história da Psicologia, e do pensamento moderno. Essa obra é o “A Interpretação dos Sonhos”, de Sigmund Freud. O mérito desse livro foi o de ter mostrado, por debaixo do sonho – um fenômeno ainda hoje tratado por neurocientistas como simples resíduos de pensamentos diurnos, um sentido que pertence à nossa vida. Se bem interpretado, o sonho é hoje uma das melhores vias de autoconhecimento, pois ele revela uma forma de contato com o mundo anterior à todos esses preconceitos e conceitos que o conhecimento nos impôs.

Aqui vai o link, disponibilizado gratuitamente pelo Plano Nacional de Leitura do governo brasileiro:

Parte 1

Parte 2

Livros para despertar… ou para confundir: O Processo

Sei que temos uma ótima categoria no site que postam documentários muito interessantes e reveladores… Mas antes mesmo do cinema nos revelar facetas ocultas do mundo, escritores importantíssimos, por meio da ficção, mostraram-nos um mundo que ainda hoje se mostram atuais… Além disso, nos apontaram problemas cruciais de nossa sociedade. Vamos com o tempo dar algumas dicas de leitura a vocês, para que, caso se interessem, naveguem pelo mundo revelador dessas narrativas.

Escolhi hoje falar sobre uma obra perturbadora que li há alguns anos: O Processo, de Franz Kafka (para ler, clique aqui). Geralmente conhecemos desse autor seu conto “A Metamorfose”, que narra a história de um sujeito que se transformou em uma barata. Já nesse texto, o universo fantástico de Kafka nos leva a conhecer a trajetória do protagonista K., que certo dia recebeu uma intimação pois estava sendo acusado de um crime. Entretanto, nem K. sabia o crime que cometeu, nem foi informado disso… a partir de então, nos enredamos em um universo burocrático que nos engole, nos confunde, e mostra como a estrutura burocrática de nossa sociedade acaba ficando sem sentido, e guia nossos destinos por uma via na qual perdemos nossa liberdade… Todo mundo que já passou por essas filas, ligações eletrônicas de teleatendimento, e até em questões importantes como pedidos de adoção, saberão qual o sentimento do personagem. Espero que tenham uma perturbadora e angustiante leitura (pois foi isso o que senti e é incrível)!

 

 

“Os Números Marcham Avante em um Máquina do Tempo.”

Os Eternos não vivem para sempre,
Os Eternos não sabem tudo, nem o que sentem
Os Eternos não demonstram sentimentos,
mas são constantes num tempo eternamente presente.

Se enxergam em terceira pessoa,
Observam tudo, tudo, tudo…
analisam tudo, tudo, tudo…

Procuram detalhes invisiveis ao mundo,
seguem uma ética simples e obscura,
mudam a realidade para o equilibrio que procuram.

Não é hoje, não vai ser amanhã,
as coisas mudaram e é difícil voltar,
o tempo mudou, sem alto nem baixo,
não existe mais como arriscar.

Voltar para hoje significa contar as possibilidades
de minha casa estar no mesmo lugar,
o que estaria de diferente?
será que eu vou notar?

Os eternos sabem contar.
Os eternos sabem mudar.
O que daria mais medo,
a possibilidade de errar ou de acertar?

Não vamos nos questionar,
Escolhamos o caminho do meio,
sem ter com o que se preocupar.
Mas existe um tempo que nunca vamos passar.
Não se sabe o porquê, mas os Eterno não conseguem alncaçar.
Ser Eterno não significa conseguir ir pra todo lugar.

Espaço e o tempo andam de mãos dadas,
controlamos o tempo, mas não saimos de casa.
Será que erramos em algo, ou cortaram nossas asas?

Quando tropeçar não se tornar algo insuportável de se pensar,
as pessoas verão as estrelas sem as nuves para atrapalhar,
vivendo nessa vizinha circular que chamamos de via lácteá.

Inspirado no Livro: O Fim da Eternidade – Isaac Asimov

Altamente recomendado.

Manuscrito de Voynich: O livro mais misterioso do mundo

voynich

Foi descoberto em 1912 na Villa Mondragone, em Frascati, perto de Roma, aquilo que representa um dos maiores enigmas do mundo. Junto de outros livros, um manuscrito misterioso e de conteúdo indecifrável até os dias de hoje, vem desafiando pesquisadores em etmologia (estudo da formação dos idiomas) e cientistas em várias áreas.

Tudo teve início quando um comprador de antiguidades, o americano Wilfrid M. Voynich, adquiriu de um antigo colégio de jesuítas na Itália um estranho livro de caracteres indecifráveis até os tempos atuais, tendo em anexo uma carta com data de 1666 se referindo ao antigo proprietário do livro, o imperador Rodolfo II, da Boêmia (hoje região da Alemanha)

O livro estranho foi parar em Nova York depois de morte de Voynich e sua esposa. Por sua vez, o comprador, Hans P. Krauss, o doou para a biblioteca da Universidade de Yale.

O denominado “ Manuscrito de Voynich” tem 235 páginas contendo ilustrações de plantas desconhecidas, quase bizarras, e é escrito em um idioma desconhecido em toda a face da Terra. Há também espécies animais já extintas (?), imagens sobre os temas astronomia, anatomia, além de calendários e figuras de humanos. Há estranhos caracteres, ilustrações de flores e plantas nunca vistas e mulheres nuas que se divertem em banheiras conectadas a estranhos encanamentos.

Outros detalhes intrigantes do manuscrito são planilhas mostrando peças astronômicas vistas por um telescópio, ou ainda células vivas observadas por microscópio. Nas mesmas planilhas, um enigmático calendário com figuras, ou desconhecidos signos zodiacais.

As Várias Teorias

As teorias sobre o livro e sua escrita enigmática variam, desde fraude, ou uma brincadeira de quem pensava em intrigar a sociedade. Mas, de acordo com estudiosos, a repetição de determinados caracteres indicam uma espécie desconhecida de informação, e não uma brincadeira à base de rabiscos sem propósitos.

Outros passaram a acreditar que a escrita vinha de uma língua artificial. Mas, nem mesmo a língua “Ignota” criada por Hildegarde de Bingen se assemelhava aos caracteres do livro.

Quem tentou e quase conseguiu lançar uma luz sobre o assunto foi o botânico Hugh O’Neill, em 1944. Sua conclusão era a de que algumas daquelas plantas representavam espécies do Novo-Mundo, o que provocaria hipótese sobre a confecção do livro após o ano de 1492, data em que Cristóvão Colombo pisou na América trazendo sementes de girassol e pimenta.
Mas, nos desenhos, a pimenta é colorida em verde (ao invés de vermelha) e a identificação de um girassol nas ilustrações gerou dúvidas.

William Romaine Newbold causou outro alvoroço em 1919, ao anunciar que o livro era obra do filósofo inglês Roger Bacon e que o mesmo conhecia a utilização de telescópios e microscópios.
Sendo assim, de acordo com Newbold, Bacon conhecia a formação em espiral da vizinha galáxia de Andrômeda, bem como os micróbios, organismos invisíveis a olho nu, e ainda a formação do embrião partindo da união do espermatozoide e do óvulo..

O Mistério Continua

Parece ser uma espécie de manual ou almanaque voltado para botânica, astronomia e biologia, ou mesmo uma apostila com noções básicas de ciências naturais.

Durante a Segunda Guerra Mundial, peritos militares suspeitaram que o manuscrito pudesse representar informações sigilosas e de espionagem e tentaram destrinchar a inscrição toda mas não conseguiram encontrar uma fórmula para a decodificação do documento.

È de conhecimento público várias falsificações através da história, mas esse tipo de ato sempre buscou um ganho, uma vantagem. Mas , no caso do “Manuscrito de Voynich”, quem se interessaria em produzir trabalhosamente um enigma em mais de 230 páginas sem qualquer intento?

Uma enorme comunidade de cientista, composta de historiadores, bibliófilos, criptógrafos e linguistas, debruça sobre o pequeno livro de 18 por 23 centímetros de comprimento. No entanto, o mistério persiste.

Quem conseguir decifrar mais esse enigma da Terra, poderá entrar para a história.

Facebook