Tag: eua (page 2 of 3)

Documentário: A Revolução não será Televisionada legendado Pt

Sinopse :

(The revolution will not be televised) Documentário. 2003. Irlanda.

O documentário A revolução não será televisionada, filmado e dirigido pelos irlandeses Kim Bartley e Donnacha O’Briain, apresenta os acontecimentos do golpe contra o governo do presidente Hugo Chávez, em abril de 2002, na Venezuela. Os dois cineastas estavam na Venezuela realizando, desde setembro de 2001, um documentário sobre o presidente Hugo Chavez e o governo bolivariano quando, surpreendidos pelos momentos de preparação e desencadeamento do golpe, puderam registrar, inclusive no interior do Palácio Miraflores, seus instantes decisivos, respondido e esmagado pela espetacular reação do povo.

É apresentado o cenário em que se desencadeiam os acontecimentos de abril de 2002. A Venezuela está entre os cinco maiores países produtores de petróleo do mundo, sendo um dos maiores fornecedores dos Estados Unidos. Ao assumir a presidência, em 1998, Hugo Chavez passou a defender a distribuição dos rendimentos auferidos com o petróleo para investimentos sociais voltados à maioria do povo e intensificou as críticas às políticas liberais inspiradas nos EUA, o que levantou a ira das classes dominantes locais e do imperialismo norte-americano, acostumados a governos submissos.

A partir de então, o governo de Hugo Chavez e a “revolução bolivariana” passariam a enfrentar, diariamente, uma verdadeira cruzada na mídia empreendida pelos cinco canais de televisão privada do país. A cruzada foi respondida com o avanço da mobilização e a organização da grande massa de explorados do país, abrangendo mais de 80% da população pobre. Em 1999 foi aprovada, por meio de referendo popular, a nova Constituição da Venezuela. Ela ampliou a participação política das massas populares através da organização dos círculos bolivarianos pelos bairros e favelas.

Com bastante propriedade, o documentário consegue mostrar a permanente campanha de mentiras urdida pelos meios de comunicação contra o governo de Hugo Chavez, as relações da grande mídia com a elite econômica, militares dissidentes e a articulação dos EUA na manipulação dos fatos. Evidencia também a intervenção direta do imperialismo norte-americano na organização do golpe, em sua preparação e organização na embaixada americana em Caracas que foi, posteriormente, comprovada com documentos. Como disse o então diretor da CIA George Tenet, em entrevista na TV Venezuelana, dias antes do golpe, Chavez “não está preocupado com os interesses dos EUA”.

As articulações que envolveram a grande mídia na tentativa golpista foram por ela mesma reveladas, momentos depois de empossarem Pedro Carmona. Momentos, aliás, muito bem registrados no documentário: mostram a arrogância do procurador, designado por Carmona, ao anunciar a dissolução do Congresso, da Corte Suprema e revogar a Constituição, e depois de algumas horas, todo assustado, ao ser preso, num canto de uma sala do palácio.

Outro aspecto importante do documentário é a revelação da manipulação dos canais de televisão comerciais sobre os responsáveis pelos assassinatos dos manifestantes em 11 de abril de 2002. Todos os canais privados de televisão que, junto à imprensa escrita e radiofônica, justificaram o golpe de estado de 11 de abril com uma edição de imagens em que aparece um grupo de apoiadores de Chavez, situados na Ponte Llaguno de Caracas, realizando disparos. Estas imagens foram utilizadas para afirmar que “Chávez foi quem ordenou disparar contra a multidão”. “A revolução não será televisionada” demonstra, ao apresentar a edição completa da seqüência de imagens (manipulada na edição das TVs), que os grupos situados sobre a Ponte Llaguno de Caracas respondem ao fogo de franco-atiradores (estes sim atiram nos manifestantes) e não disparam sobre os manifestantes.

O ponto alto do documentário é registrar a força das massas exploradas que derrotam os golpistas e restituem o governo a Hugo Chavez. O povo enfrentou e passou por cima de toda a mentira, fraude, manipulação da informação, da repressão iminente e mostrou que é mais forte. Não aceitou as “notícias”, recusou-as e saiu às ruas na manhã de sábado, 13 de abril, para denunciar que Chavez “não renunciou! Está seqüestrado!” e “não te queremos Carmona! Ladrão!”. Centenas de milhares de pessoas nas ruas cercam o Palácio Miraflores para exigir “Queremos a Chavez!” e clamar “Chavez amigo, o povo está contigo!”.

Um ponto importante a ser identificado e debatido: durante a noite do dia 11 de abril e na madrugada do dia 12, o Palácio Miraflores foi cercado e os golpistas ameaçaram bombardeá-lo caso Chavez não renunciasse.
Chavez resistia e afirmara que não renunciaria. As horas passam e o prazo dado pelos golpistas estava por terminar. A maioria do governo considerou que não havia saída: “O jogo acabou… é a vitória da morte” afirmara seu Ministro do Desenvolvimento. O Conselheiro Político expressou que “os adversários eram muito poderosos e não deu tempo… Não organizamos uma política de comunicações”. Por volta das 3:30 h da madrugada, Chavez comunica que sairia e se entregaria, mas sem renunciar, para ficar claro que se tratava de um golpe. Um sinal de que aquele não seria o desfecho final é manifestado pelo próprio Chavez, na saída do Palácio, diante da afirmação de um aliado que grita: “Presidente voltaremos”. Chavez afirma “Ora! Nem fomos embora”.

Download do documentário: Em torrent e com legenda em Pt-Br
cliquei Aqui.

Documentário: Fabricando Discórdia

michael moore

Tentando separar os fatos da ficção e a ficção da lenda, a narrativa segue as pegadas de Michael Moore após o lançamento do seu explosivo Fahrenheit 9/11 (Palma de Ouro em Cannes 2004). Ao mesmo tempo, registra a tensão política que pairava na sociedade americana daquele momento, mostrando como Moore passou de um simples desconhecido a ícone da esquerda mundial. Analisando as táticas de Moore, os diretores do filme acabam se desencantando com o seu estilo de polemizar, o que resulta numa visão crítica daquele que é considerado um dos mais influentes documentaristas da atualidade.

Você sabia que em “Roger e eu”, primeiro longa de Moore, ele omitiu uma entrevista que fez com Roger Smith, presidente da General Motors, que levava abaixo sua argumentação? E que em “Tiros em Columbine” diversas situações ditas verídicas foram armadas? “Fabricando discórdia” mostra e documenta essas e outras falhas de Moore.

Mas o curioso é que, na argumentação, os diretores usam as mesmas táticas dos próprios filmes de Moore. Com inteligência, humor e aquele mesmo tom propagandístico, o longa faz um exame minucioso da figura do documentarista, descrito por amigos como “um sujeito megalomaníaco e paranóico”. É imperdível tanto para fãs quanto para críticos de Moore.

Download do documentário: Com legenda embutida no rapidshare, Pt-Br
Parte 1
Parte 2
Parte 3
Parte 4
Parte 5
Parte 6
Parte 7
Parte 8
Parte 9

Acho que muito melhor que mostrar os documentários de Michael Moore, seria conhecermos sua pessoa e seu percurso até hoje. Não é que eu não goste dos documentários dele, acho que para sua finalidade é ótimo, até porque ele muitas vezes comprova coisas que já sabemos, mas o modo que faz, o impacto que ele consegue dar em uma edição de video ou num constragimento de alguém de alta patente é o que faz as pessoas verem, além de toda a informação claro. Não digo para julgá-lo ou crucificá-lo, mas ele apenas quer contar uma história para ressaltar o sentimento de incômodo que temos, ou até arranjar uma justificativa para não ficarmos parados.
Na minha opinião, quero que continue fazendo documentários, até porque é uma das poucas formas de se incomodar as corporações.

A Assustadora Coréia do Norte?

Usina Nuclear

“A Coreia do Norte assinou com os EUA em 1999 um acordo pelo qual os norte-coreanos abriam mão do seu programa nuclear em troca de combustível enviado, porém sob a administração de George W. Bush os EUA descumpriram sua parte do acordo, o que combinado com um crescimento das hostilidades da potência norte-americana, levou a Coréia do Norte a acelerar o seu programa nuclear.
O país afirmou ter o direito de testar tais mísseis, pois é um país soberano. O Conselho de Segurança das Nações Unidas adotou dia 15 de julho daquele ano uma resolução impondo sanções à Coreia do Norte por seus testes de mísseis. Em 9 de Outubro de 2006, a Coréia do Norte teria realizado um teste subterrâneo de um artefato nuclear. Dias depois, as sanções voltaram em vigor, pois o Conselho de Segurança da ONU considerou uma ameaça à paz mundial. Até a China, principal aliada da Coréia do Norte, apoiou a implantação das sanções.”

Os orientais ja desconfiam dos ocidentais, todos principalmente os políticos já sabem que há uma lei silenciosa que só certas pessoas “confiáveis” pelos donos de bombas nucleares podem ter bombas, aliás com muito mal gosto, quando se faz um trato para o anulamente de uma futura ameaça por simples combustível, Bush talvez pensando que ninguém levantaria a mão contra os Eua, ignorou o trato, esperando o que?
Existem pessoas com coragem ou insanidade governando ainda, não se sabe qual dos dois.
Um País que se isola, não havia necessidade de tal ato desleixado.
A ONU condena suas ações, mas ela pelo o que vemos na realidade não tem qualquer poder sobre qualquer lugar, e também como sabemos é basicamente financiada pelos Eua, ou seja, suas opiniões muito provavelmente influenciadas a seu favor.

Cronologia desse atrito:
http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2009/05/090525_coreiacronologiag.shtml

A Desculpa Perfeita

exercito

Ao ler o Velho Testamento eu sempre tive a teoria/impressão que aquilo não condiz com um Deus, tanta repressão, conquista, mortes desnecessárias e desumanas, sempre pensei que algum líder da época usava a desculpa Deus para justificar/intensificar/motivar suas ações e ainda por cima fazer parecer algo divino.
Já vimos na história e nas notícias atuais que essa desculpa tem O Poder de tirar a sanidade e toda a limitação moral, pois tudo agora pode ser feito em nome de Deus. Nos Eua mesmo teve um caso em que uma mulher matou os dois filhos porque Deus tinha mandado, ou então o próprio Bush filho que mata civis em nome do Deus assassino americano.

Agora olhem o extremo dessa idéia.

O Exército evangélico americano.

http://www.forceministries.com/

Se o Deus Da Bíblia Visse Israel

israel-soldier

Não consigo parar de pensar na contradição colossal que Israel se tornou, ou já era, mas agora está materializando sua real personalidade.
Fico incorfomado com a falta de respeito e sensibilidade com a vida só para obter a terra sagrada.

Apesar que se for realmente pegar o Deus do velho testamente tenho certeza que ele mataria os palestinos, sem deixar mulheres e crianças, mas será que eles realmente não enxergam que mataram mais de 1000 pessoas, muitas delas crianças. Aí a gente se toca que eles querem destruir a estrutura da faixa de gaza, destruindo escolas e hospitais, matando pessoas até da ONU.

Na guerra de 1967 Israel já tinha ganhado uma terra 3 vezes maior que a anterior, a fome de poder financiada pelos Eua não tem limite, e todas as forças vizinhas se encontram estagnadas, pois fazer países do Oriente Médio se proteger da Desumanidade Israelense é para os ocidentais Caos causado pelos mulçumanos, pois aqui a única imagem que temos deles é que ao uma povo caótico que não consegue se organizar e viver bem consigo mesmo, mas isso tudo é por culpa da interfêrencia indevida dos Eua.

Fazer guerra com Israel é enfrentar os Eua junto.

Obama não valoriza tanto as ações militares quanto Bush ou Mccain, mas como sabemos não presidente que toma todas as decisões, e já vimos o que acontece quando há presidentes independentes e que visam o bem do povo.

Uma solução para a crise seria cortar em 9/10 o dinheiro gasto em armas e guerras e gastar na infraestrutura, tenho certeza que em um ano tudo isso ia acabar. Mas quando o Páis da guerra não investe em guerra, o que ele será?

Para saber mais o que se passa lá veja os documentários.

Occupation 101: Vozes da Marioria Silenciada

AIDS: A Grande Trapaça

aids
por David Icke

HIV não causa Aids. HIV não causa nada. Uma declaração cambaleante dado o exagero e aceitação pelo estabelecimento científico e, através deles pelo público, de que o vírus HIV é a única causa da Aids. O HIV é um vírus fraco e não afeta o sistema imunológico. E a Aids não é transmitida sexualmente. Há dois tipos principais de vírus. Usando a analogia do avião, você poderia chamar um destes vírus de “piloto”. Ele pode mudar a natureza de uma célula e deixá-la doente. Isto normalmente acontece muito depressa depois que ele a infecta. E então há o vírus “passageiro” que vive fora da célula, entra pra dar uma volta, mas nunca afeta a célula ao ponto de causar doenças.

O HIV é um vírus passageiro!

Então como diabos ele conseguiu o título de vírus mais ameaçador do mundo? A pessoa que anunciou que o HIV causava Aids foi um americano, o Doutor Robert Gallo. Desde então ele tem sido acusado de má-conduta profissional, o seu teste foi exposto como fraudulento, e dois dos executivos do seu laboratório foram considerados culpados de infrações criminais. Dezenas de milhares de pessoas fazem testes para anticorpos de HIV todos os anos e Dr Gallo, que patenteou o seu “teste”, ganha royalty por cada um deles. Luc Montagnier, o sócio de Gallo na teoria HIV-causa-Aids, admitiu em 1989: “O HIV não é capaz de causar a destruição do sistema imunológico que é visto em pessoas com Aids”. Quase 500 cientistas ao redor mundo concordam com ele. Assim como o Dr. Robert E Wilner, autor do livro “A Decepção Mortal. A Prova de que Sexo e HIV não Causam Aids”.

O Dr. Wilner até mesmo injetou o vírus HIV em si mesmo em um programa de televisão na Espanha para apoiar as suas reivindicações. Outros doutores e autores chegaram às mesmas conclusões, entre eles Peter Duesberg PhD e John Yiamouyiannis PhD, no livro deles, “Aids: A Boa Notícia é que o HIV não Causa essa doença. A Notícia Ruim é que “Drogas Recreativas” e Tratamentos Médicos Como o  AZT Causam”. Este é um título longo, mas resume a situação. Pessoas estão morrendo de Aids por causa dos tratamentos usados para “tratar” a Aids! Isso funciona assim: agora é aceito pelo estabelecimento e pelas pessoas que o HIV causa Aids, o sistema construiu este mito em cima do seu diagnóstico e “tratamento”. Você vai para o doutor e lhe dizem que seu teste de HIV deu positivo (positivo somente para os anticorpos do HIV, na verdade eles não fazem o teste para o próprio vírus). por causa da propaganda, muitas pessoas já começam a morrer emocionalmente e mentalmente quando lhes dizem que eles são HIV-positivos. Eles foram condicionados a acreditar que a morte é inevitável.

O medo da morte os leva a aceitar, freqüentemente até exigir, os altamente exagerados “tratamentos” que supostamente vão parar a manifestação da Aids. (Mas eles não vão.) O mais famoso é o AZT, produzido pela organização Wellcome, possuída pelos… espere por isto, Rockefellers, uma das principais famílias manipuladoras na Nova Ordem Mundial (NWO).

O AZT foi desenvolvido como uma droga anti-câncer para ser usada em quimioterapia, mas foi considerado muito tóxico até mesmo para isso! O efeito do AZT no “tratamento” do câncer foi o de matar células – simplesmente isso – não só matar células cancerosas, mas também células saudáveis. A questão seguinte (e isto é aceito até mesmo pelo estabelecimento médico), era: o AZT mataria as células cancerosas antes que tivesse matado tantas células saudáveis que matasse o corpo? Esta é a droga usada para “tratar” o HIV. Qual é o seu efeito?

Ele destrói o sistema imunológico, CAUSANDO assim a Aids. As pessoas estão morrendo do tratamento, não do HIV. Aids é simplesmente o colapso do sistema imunológico para o qual há infinitas causas, nenhuma delas é sexualmente transmissível. Essa é outra trapaça que tem rendido uma fortuna para os fabricantes de preservativos e criado um medo enorme ao redor da expressão de nossa sexualidade e da liberação e expansão de nossa força criativa.

O que tem acontecido desde A Grande Trapaça é que agora qualquer um que morre por causa de uma fraqueza no sistema imunológico é dito ter morrido do abrangente termo, Aids. Isso é até mesmo posto no diagnóstico. Se você é HIV positivo e morre de tuberculose, pneumonia, ou 25 outras doenças não relacionadas, agora conectadas pelos Trapaceiros à “Aids”, você é diagnosticado como tendo morrido de Aids. Se você não é HIV positivo e morre de um dessas doenças, você é diagnosticado como tendo morrido dessa doença, não Aids. Isso manipula o quadro diariamente para indicar que só HIV-positivos morrem de Aids.

Isso é uma mentira.

Muitas pessoas que morrem de Aids não são HIV-positivos, e a razão para que o número das mortes causadas pela Aids não tenham subido às nuvens como o predito, é que a grande maioria das pessoas diagnosticadas HIV-positivas nunca desenvolveram Aids. Por que?

Porque o HIV não tem nada a ver com a Aids.

Qualquer coisa que destrói o sistema imunológico causa Aids, e isso inclui as chamadas drogas recreativas. A vasta maioria das mortes nos Estados Unidos envolvem homossexuais, e isto perpetua o mito de que a Aids tem algo a ver com sexo. Mas os homossexuais no EUA estão entre os maiores usuários das drogas que doutores genuínos têm ligado à Aids. Prostitutas que freqüentemente tomam drogas pegam Aids, prostitutas que invariavelmente não tomam drogas não adquirem Aids. A elevação da Aids nos Estados Unidos corresponde perfeitamente com o aumento no uso de drogas – a maioria das quais são disponibilizadas às pessoas nas ruas através de elementos dentro do Governo dos EUA, incluindo Bill Clinton e George Bush. Na África, o colapso do sistema imunológico, agora conhecido como Aids, é causado por falta de boa comida, de água limpa e pelos efeitos gerais da pobreza. Hemofílicos não morrem por causa de sangue infectado com HIV, eles morrem, da mesma forma que eles faziam antes da fraude Aids, de um erro no próprio sistema imunológico deles. O sistema imunológico deles ataca proteínas externas no sangue infundido, e em raras ocasiões ele pode ficar confuso durante esse processo e atacar a si mesmo. O sistema imunológico deles, em efeito, comete suicídio. O HIV é irrelevante pra isso. Contudo quantas pessoas que hoje foram diagnosticadas HIV-positivas estão tendo as suas vidas destruídas pelo medo de que os sintomas da Aids começarão a qualquer momento?

O AZT é o assassino. Não há um único caso do AZT revertendo os sintomas da Aids. Como poderia? Ele os está causando, pelo amor de Deus.

A indústria da Aids vale agora bilhões de libras por ano e faz uma fortuna inimaginável para a indústria de drogas controlada pelos Rockefellers e pelo resto da Elite Global.

fonte: http://br.geocities.com/umanovaera/Aids.htm

________________________________________________________________________

Nota do Destruidor de Dogmas: Eu já tinha visto esse assunto a muitos anos quando pais de uma amiga adquiriram aids, e fui pesquisar sobre o assunto e hoje vendo videos me deparei com  a farsa da Aids que coincidentemente tem a família Rocekfellers envolvida em mais um caso de manipulação e conspiração para a morte de vários civis, envolvendo marketing enganador e falsas pesquisas divulgadas. Eu puis esse texto sobre a Aids aqui com certa dúvida, pois o autor é bem mal visto no mundo acadêmico, mas quantas cientistas não foram expulsos por terem idéias novas?! (vários arqueólogos, pessoas contra a teoria da evolução, psicólogos como Jung) Milhares, resolvi dar a chance do leitor ver se é verdade, assim como deveriam fazer com tudo, até porque não tenho conhecimentos médicos.

Documentário: O Futuro dos Alimentos

foodposter

Existe um revolução a acontecer nos campos e nas mesas de refeição – uma revolução que está a transformar a natureza da comida que comemos.
O documentário “The Future Of Food” apresenta uma investigação profunda à verdade perturbadora dos alimentos manipulados geneticamente, não etiquetados e patenteados,
que, aos poucos, vão conquistando lugar nos nossos mercados.Desde as pradarias de Saskatchewan, Canadá, aos campos de Oaxaca, no México,
este filme dá a voz aos agricultores que foram afetados por estas mudanças. Os perigos para a saúde, as políticas governamentais e os
lobbies globais são algumas das razões porque muitas pessoas estão alarmadas pela introdução de alimentos alterados geneticamente.
Filmado nos Estados Unidos, Canadá e México, “The Future Of Food” analisa a complexa malha de forças políticas e
econômicas que estão a alterar o que comemos à medida que enormes multinacionais procuram controlar o sistema alimentar mundial. O filme
também explora as alternativas para a agricultura industrial, colocando a agricultura biológica e sustentável como soluções reais
para a crise agrícola atual.

“Um excelente documentário sobre os perigos que os organismos geneticamente modificados representam (OGM’s), tanto a nível ambiental, como de saúde, econômico e social. O controle absoluto, a corrupção, manipulação e destruição dos mercados alimentares por parte das indústrias de biotecnologia, com conseqüências desastrosas para as sociedades do mundo e todo o ambiente no planeta.”

Download do Documentário:Video  com legenda em Pt-Br
Para ver Online
Nota destruidor de dogmas: É um jogo muito bem elaborado pelas cabeças do governo americano que também trabalham ou revezam na Monsanto. A Monsando vende seu milho abaixo do preço de custo, processa fazendeiros, toma todas duas economias e as vezes até sua fazenda, tem domínio sobre as sementes e 11 mil patentes de tipo de comida, não está sendo bem vista pelos estrangeiros por todo o mundo, todos os fazendeiros estão desesperados pela presença da Monsanto ou pagam a Monsando para evitar problemas e não poderem falar sobre o assunto ou arriscam bater de frente, o que se mostrou muito ineficaz pelo tamanho da influência e poder das leis de patentes americanas.
O que acho que vai acontecer é que nesse jogo de manipulação extremamente previsionário, muitos fazendeiros vão falir e os que não falirem vão estar ajoelhados perante o medo que a Monsanto impõe, e ela irá dominar toda a comida dos EUA quando a crise bater a porta deles de vez, pois como vimos no primeiro filme do Zeitgeist, na crise de 1929 os que sobraram fomos só os grandes, e na crise vai se filtrando, e deixando menos pessoas/empresas no comando, até sobrar apenas uma elite monopolista.
Além do mais a comida transgênica não tem nada de mais nutritivo, para “acabar com a fome do mundo” como dizem por aí, acabar com a fome do mundo é questão de acessibilidade, os transgênicos em países pobres só vão fazer eles mais pobres ainda. E o pior de tudo plantando comida transgênica ela pode contaminar todas as outras plantações, dando assim direito da Mosanto sobre aquela plantação, mesmo se não for culpa ou intenção do fazendeiro. Fazendeiros não tem chance contra as leis de patentes americanas.
Plantar transgênicos é acabar com a biodiversidade e da saúde, sem contar a contaminação das sementes suicídas que não podem ser plantadas.

Documentário: Esoteric Agenda legendado Pt

esotericagenda

SINOPSE

Sempre que o assunto é governo e religião você pode esperar discordância e debate, e frequentemente guerras baseadas nesses dois tópicos controversos.

Esse filme com 2hrs6mins de duração, mas que vale muito a pena ver, tem um ponto de vista completamente diferente sobre o mundo e sobre nós como seus habitantes.

A premissa é que todos os poderes que você vê nos meios de comunicação e as figuras mais proeminentes do mundo são simples marionetes para um poder maior que controla o destino da humanidade. O filme mostra detalhadamente conexões de organizações secretas muito antigas como os Iluminati, Cavaleiros Templários e outras.

Essas organizações recentemente diretamente ligadas à monarquia britânica, controlam tudo no mundo de hoje, desde o que contém a nossa comida até o que vemos nos meios de comunicação.

Esse super poder por trás dos panos faz tudo isso através da manipulação de potências como os Estados Unidos e os seus líderes. Governo, leis, meios de comunicação estão todos focados em uma coisa, e uma coisa apenas: lavagem cerebral e controle de 87% da população mundial que está susceptível a essa hipnose de massas.

Depois de utilizar a informação como a ferramenta mais simples para controlar as pessoas mais vulneráveis, o MEDO é o derradeiro motivador para os mais resistentes que escolhem ver o mundo por si mesmos e não conforme o que querem que acreditemos.

Se estivermos atentos econtraremos sinais desses fatos todos os dias. A cobrança de impostos é o maior elemento de controle da população, pagamos ao governo uma grande percentagem do que recebemos pelo nosso trabalho árduo para que guerras sejam empreendidas em outros países, enquanto os nossos próprios problemas econômicos são negligenciados.
A população em geral é escrava de empréstimos e do comportamento consumista de comprar tudo
o que nos aparece à frente através dos meios de comunicação. As noticias são feitas de forma que tenhamos medo daquilo que o governo quer que receemos, para que depois nos possam “proteger”. A proteção vem em forma de novas leis que se olharmos de perto, nos privam mais dos nossos direitos como seres humanos. Não dos direitos constituídos pelos governos dos países nos quais residimos, mas dos direitos naturais de habitantes deste planeta.

Sendo assim, por quê governo e religião são assuntos que consideramos melhor não discutir entre amigos? Bem, esses dois tópicos estão intimamente relacionados. A religião criou o governo e o governo é apenas uma ferramenta para controlar as populações. Olhe para o passado e pergunte a si mesmo se algumas das coisas que vc vir nesse filme não são realidades envoltas em burocracia e escondidas pelas notícias que nos passam.

Também refere a outra face da questão do aquecimento global e do impacto do filme “An Inconvenient Truth”.(…)

O filme são duas horas de instrução bem aproveitadas, e sim, há alguns tópicos que parecem inacreditáveis, mas isso é o que faz grandioso o ser humano: a capacidade de formar a sua própria opinião em qualquer assunto e ser capaz de ver o mundo por nós mesmos e não pelo que as instituições do mundo querem que vejamos. Tenha a mente aberta enquanto você assiste esse vídeo, mas por favor não o deixe consumir a sua vida, lembre-se que é apenas a opinião de alguém, criada depois de “ligar os pontos” da história e formar uma conclusão.

________________________________________________________________

Se quiser comprar um dvd do filme por favor clique aqui.

Pra quem quiser baixar clique aqui.

Ja com legenda clique aqui.

ZEITGEIST – O FILME

ZEITGEIST, ou espírito do tempo em alemão, é um documentário de 2007 lançado na intenet de 116 min, produzido por Peter Joseph, que procura mostrar verdades e mentiras, neste filme especificamente sobre religião, política, 11 de Setembro e as guerras causadas pelos E.U.A. . Explana sobre uma nova filosofia que envolve desde economia, espiritualidade, a meio ambiente, pois, como mostrará, estão mais interligados do que parecem e teoriza uma conspiração que age através deles. Mas o vídeo dirá por si.

Endereço do vídeo:

Estrutura do filme

Primeira Parte: The Greatest Story Ever Told (A maior história alguma vez contada)

A primeira parte do filme é uma avaliação crítica do cristianismo. O filme sugere que Jesus seja um híbrido literário e astrológico e que a bíblia trata de uma miscelânea de histórias baseadas em princípios astrológicos pertencentes a civilizações antigas (Egito, especialmente). A atenção do filme se foca inicialmente no movimento do Sol e das estrelas, fato este que é uma das características das religiões “pagãs” (pré-cristãs). É então apresentada uma série de semelhanças entre a história de Cristo e a de Hórus, o “deus Sol” egípcio que partilha de todos os predicados do messias cristão. Há referência sobre o papel de Constantino na formação da Igreja e seus dogmas.

Segunda Parte: All The World’s a Stage (O mundo inteiro é um palco) 40 min: 30 seg

A segunda parte do filme foca-se nos ataques de 11 de setembro de 2001. O filme sugere que o governo dos Estados Unidos tinha conhecimento destes ataques e que a queda do World Trade Center foi uma demolição controlada pelo próprio Governo norte-americano. O filme assegura que a NORAD, entidade responsável pela defesa aérea dos Estados Unidos, tinha sido propositadamente baralhada no dia dos ataques com exercícios simulados em que os Estados Unidos estavam a ser atacados por aviões seqüestrados, justamente na mesma área dos reais ataques; mostra dezenas de testemunhas e reportagems que sugere que as torres ruiram não por causa dos aviões, mas por explosões internas e sabotagem; demonstra as ligações entre a família Bush e a família Bin Laden, parceiros comerciais de longa data, entre outras teorias intrigantes e alarmantes acerca da política mundial atual.

Terceira Parte: Don’t Mind The Men Behind The Curtain (Não liguem aos homems por detrás da cortina) 1h:14min

A terceira parte do filme focaliza-se no sistema bancário mundial, que supostamente tem estado nas mãos de uma elite de famílias burguesas que detém o verdadeiro poder sobre todos os países a eles associados, e na sua conspiração para obter um domínio mundial total eles tem modelado toda a mídia e cometido diversos crimes, muitos deles encenações para fins ocultos. O filme denuncia que a Reserva Federal dos Estados Unidos da América foi criada para roubar a riqueza dos Estados Unidos e também demonstra, como exemplo, o lucro que foi obtido pelos bancos durante a Primeira Guerra Mundial, Segunda Guerra Mundial, Guerra do Vietnã, Iraque, Afeganistão, e a futura invasão à Venezuela para obtenção de petróleo e comércio de armamento. O filme descreve a conspiração destes banqueiros, argumentando que o objetivo deles é o controle sobre toda a raça humana através da implantação de um chip localizador e identificador através do qual todas as operações e interações humanas serão realizadas, escravizando por fim a humanidade. Estão secretamente criando um governo unificado, com exército unificado, moeda unificada, e poder unificado, e que servirá apenas aos interesses dessa elite. Segundo o filme, o aspecto mais impressionante disso tudo é que tais mudanças serão aceitas pelo próprio povo naturalmente, pois está sendo manipulado pela mídia.

Vênus Project:
Video Explicativo do Projeto Vênus
Documentário: Futuro Pelo Design

Tudo Sobre Jacques Fresco e o Projeto Venus
Quietude = Estagnação?
A Sociedade Perfeita

Zeitgeist Movement:
Sinopse do ZeitGeist Movement
Filme: ZeitGeist
Filme: Zeitgeist Adeddum

Reserva Federal:
Explicando o Sitema da Reserva Federal

Vilões do Outro Lado da Fronteira.

samurai-mau

Heróis no campo de batalha
é ouvida a trovoada de sua marcha
em seguida vem a chuva de suas flechas
todos valorizam as mesmas coisas,
mas as bandeiras os polarizam nessa peça,
Estandartes ao vento determinam,
O Herói e o vilão
O Vilão e o herói
ambos idolatrados por fracos que se tornarão mártires
mártires de reinos que esquecem de viver
mártires de reinos que não sabem quem é você
eles se preocupam em conflitar, em separar, em classificar
as diferenças causam guerras, igualar, união

Rufem os tambores para o sangue jorrar
Em respota os gritos voam aos ouvidos inimigos
covardes ou valentes
valentes ou covardes
quando a lâmina ti cortar ela não saberá qual é de verdade
no baço ou na virilha
você corta e atira
sobreviver é a questão
alguns esquecem a honra
outros a honra faz questão de deixar.

São todos sanguinários que pensam seguir algo para se confortarem
Deus, conduta, leis ou reis
são todos significantes significados do saber batalhal
o propósito ti deixará em pé
e a falta, ti fará tropeçar e cair,
pois você se torna o mal
que ataca todos sem sentir
que ele é tão ignorante quanto você
para entrar numa guerra sem saber
nada ganha, a não ser que queira mesmo morrer.

Older posts Newer posts