Tag: espiritualidade (page 1 of 2)

Documentário: Eu Maior – Higher Self

 

“Todos mundo quer renascer, mas ninguém quer morrer”

A vida é sorte ou azar?

Sim e não, mas com ênfase no não. Estamos sujeitos ao acaso, somos criações das probabilidades, mas não quer dizer que somos resultado do acaso, mas de uma série infinita de ações, que ainda não terminou, desde a criação do universo.

O micróbio virou alga, que virou peixe, que virou anfíbio, que virou réptil e mamíferos e somos o resultado de milhões de anos de resultados probabilísticos.

E quando me perguntam se a vida é sorte ou azar, tenho que me esforçar em tentar explicar como funciona o universo e explicar primeiramente porque o universo não vai favorece-lo só porque você quer, ou por mais que você se ache merecedora de um destino divino ele não irá te ajudar (intencionalmente).

Devo falar que há sim estudos com relação a orações e o resultado prático disso, e tudo sugere que há efeito positivo, mas isso é algo a parte.

A questão de sorte ou azar implica que há ou não benefício para uma das partes ou se espera que aconteça algo, bom ou ruim para um indivíduo, um grupo de indivíduos ou mesmo objetos, astros, ou seja, qualquer coisa.

Allan Fred Wolf disse nos anos 80 que a mente consegue interferir na matéria, disse isso pois o experimento quântico de fenda dupla altera seu resultado quando há um observador, alguém olhando, uma consciência. E essa frase distorcida anos depois criou a religião do The Secret, um pseudo documentário, digno do history channel. Nesse movimento criado era divulgado que você poderia ficar rico se quiser, basta mentalizar, o que não é verdade.

Há estudos que provam que mentalizar afeta as chances de algo acontecer, mas de forma muito sutil, nada como uma intervenção divina, divisão do mar vermelho e etc.

Fazemos parte do universo, nossos pensamentos também, e o universo está todo conectado, mas são tantas as variantes que é melhor agir do que mentalizar, mas claro, também é um bucado mais difícil, e todo mundo quer o jeito mais fácil de resolver as coisas.

Existe gente que é mais “sortuda” na vida, claro, mas isso é a gente que coloca uma qualidade, esperando que haja significado nessa sorte ou azar, mas as coisas não tem esse tipo de qualidade, pelo menos do jeito científico de olhar a vida, e isso me leva a um outro ponto.

A questão de sorte ou azar no mundo espiritual, na organização sutil do universo, invisível aos olhos “normais”, vamos falar sobre isso.

No espiritismo se acredita que nossos espíritos planejam a vida que teremos encarnado, pois ele sabe que qualidades devemos trabalhar, e isso leva em consideração sucessos e falhas, seja elas uma vez ou que dure anos, como vemos na novela ” além do tempo” de forma brilhante. Quem não viu, assista.

Não importa o que você acredita tenha algo em mente, nada é por acaso, seja ela resultado de um plano divino, seja ela resultado de uma série praticamente infinita de ações conjuntas que resultou no dia de hoje.

Somos o resultado de muito trabalho, de muita história, mas o destino a gente sabe que não é escravo, todo plano mesmo que divino pode falhar, ou melhor, seguir pela menor probabilidade, então é você que faz a sua vida ter sucesso ou não.

E não, você não vai ter sucesso 100% do tempo, se não há dificuldade não há como você se conhecer, e ser o melhor que pode ser.

*Dedicado a Aline vieira

Escolas de auto-conhecimento e espiritualidade em SP e RJ

ippb-brasil-epiritualidade-projecao

www.ippb.org.br

Vou fazer um curso lá essa semana sobre projeção astral, ainda não tinha feito nada nesse lugar, mas conheço alguns profissionais de lá pela internet e posso dizer que são muito sérios, depois conto como foi.
ATUALIZADO: Fui lá e foi bem legal, o Wagner Moura com certeza sabe bastante e vai resolver muitas dúvidas sobre viagem astral, infelizmente são apenas duas aulas a primeira parte com o valor de 210 reais, e ainda vão ter 3 fases se não me engano.

 nova-acropole-filosofia-espiritualidade

http://nova-acropole.org.br/

Esse lugar é sensacional, tem uma filosofia linda por trás, já fiz um curso de filosofia lá, e comecei um de auto-conhecimento muito bom pra quem está querendo buscar mais e mais informação para crescer. Nesse lugar ainda há o curso de artes-marciais e de lutas com espadas (Kenjutsu e Iaijutsu), e existem várias em várias cidades.

 

Screen Shot 07-08-15 at 12.15 PM 002

http://www.portalmonroebrasil.com/

Apesar do site ter site dos anos 90 o lugar é muito bom, ainda não fiz o curso, pois perdi a data esse ano, mas ano que vem faço o de projeção astral. Esse é o único lugar no brasil a passar o conhecimento do Instituto Monroe. Para ver um vídeo bem informativo da Débora Sachs no Jô Soares clique aqui.

Você já deve ter visto esse adesido em vários carros, mas como eu pensou que era uma campaha a favor da vida no trânsito, felizmente não é isso. É uma escola anímica, de animus, alma, ou seja, ela ensina você a desenvolver as características da alma, como projeção astral, clarividência (visão de outro lugar independente do tempo), e a telepatia. Ainda não conheço muito, mas com certeza farei um curso lá. O curso inicial é de 7 dias seguidos e custa 600 reais.

Screen Shot 07-08-15 at 12.16 PM

http://www.ieesp.org.br/cursos.htm

Conheci esses dias esse lugar, ainda não sei muito sobre ele, mas é focado no espiritismo.

Screen Shot 07-08-15 at 12.15 PM 001

http://www.conscienciacosmica.com.br

Esse é um lugar onde há várias cursos de muitos assuntos, conheci sem querer na Fnac.

Screen Shot 07-08-15 at 12.16 PM 002

http://www.amorc.org.br/

Uma ordem antiguissima, muito parecida com a Maçonaria.

Documentário: Eu Maior

O Documentário que eu queria ter feito.

Sente-se e aprecie essa incrível obra brasileira.

Transcendências

 

No inicio, o homem criou o computador à sua imagem e semelhança.

Todo o processo partindo de um mesmo princípio:

Impulso elétrico = 1

Sem impulso elétrico = 0

Impulso elétrico computacional = sinapse mental

Com esta simples afirmação, estão abertas as portas para uma nova percepção.

Por meio da nossa criatura, o computador, podemos começar a entender  nossa origem e nossa criação.

 

 

Introdução

Meu objetivo não é discutir em profundidade as crenças das pessoas. Nenhuma delas em especial, nem todas elas em geral.

Meu objetivo é propor algo diferente. É construir uma ponte de entendimento para as pessoas de diversas crenças, inclusive aquelas com nenhuma crença.

Uma ponte que cria aceitação, entendimento e que abre possibilidades.

Uma ponte feita de ISTO E AQUILO, para que passemos acima e além dos muros feitos de ISTO OU AQUILO.

 

Onde não há matéria, não precisa haver escolha.

 

Onde não há matéria, não existem as limitações das leis da física.

Não há a limitação nem necessidade da escolha. Não existe OU. Tudo é, ou pode ser, ao mesmo tempo, no mesmo espaço.

Mas vamos tratar isso de modo bem simples e objetivo:

Onde há matéria física, a escolha é indispensável: você está numa sala escura, com a luz apagada, por exemplo. Pode acender a luz, e a sala ficará clara. Imediatamente, todos na mesma sala, anteriormente escura, passarão a estar numa sala clara. A sala está clara ou escura, para todos ao mesmo tempo, no mundo físico.

Num mundo não-físico, não há necessidade de escolher: numa sala de bate papo virtual, por exemplo, qual é a realidade objetiva? Que aspecto tem a sala? A luz está acesa?

Isso depende apenas da sua vontade e da sua interpretação. Numa mesma sala virtual, dez pessoas podem conceber dez versões diferentes da mesma sala. Podem representar essa visão em suas telas. Todas essas visões do mesmo espaço são individualmente válidas e verdadeiras ao mesmo tempo. Ainda assim, todas as dez pessoas estão na mesma sala, trocando idéias ao mesmo tempo. Qual é a sala real? A sala real é composta apenas de energia elétrica mantendo impulsos digitais. A sala real é apenas um constructo digital. Mas ela não é menos real por ser virtual. As pessoas naquela sala podem fechar negócios. Podem propor casamento. Podem trocar de emprego. Podem mudar suas vidas.

O que elas fazem e vivem ali é absolutamente real, embora estejam dentro de um ambiente diferente do mundo físico material.

Agora imagine que duas daquelas dez pessoas na sala querem se conectar de modo diferente. Querem compartilhar algo apenas entre elas. Então elas escolhem ver a sala do mesmo modo. Com a mesma luz. Escolhem falar, ao invés de teclar. E elas podem permanecer na mesma sala – mas estarão invisíveis aos demais oito ocupantes da sala – apenas porque escolheram isso.

Isso significa o fim do OU. Isso é o início do E.

Isto E aquilo. Claro E escuro. Cheio E vazio.

Isso é uma realidade que nós construímos. Nós, os seres que segundo nossas próprias estimativas, usamos de dez a vinte por cento de nossa capacidade mental, no máximo.

Agora permita-me passar do virtual ao transcendente:

Porque a vida transcendente, aquela que acontece fora da matéria física, deveria ser de um modo OU de outro?

Sim: este é o ponto. Não precisa, e não é.

A vida fora da matéria É de muitos modos, ao mesmo tempo. Todos verdadeiros e válidos.

E qual é a vida fora da matéria que é REAL? Assim como a sala virtual REAL é apenas energia elétrica mantendo impulsos digitais; a vida fora da matéria é feita apenas de energia mantendo processos.

A nossa sala, no alem – tem exatamente as mesmas características que usei para descrever a nossa sala virtual. Ela é, ao mesmo tempo, clara E escura. Tem inúmeros ocupantes, mas nem todos se vem. E nem por isso é menos real.

Ela é, isto sim, imaterial, não-física. E por isso está alem do OU, alem da escolha e dos limites. Mas é absolutamente real, tanto quanto nossa sala virtual.

Agora, vamos nos provocar mais um pouco: algumas pessoas nunca estiveram numa sala virtual. Não sabem o que é. Não conseguem imaginá-la. Não podem conceber um lugar ao mesmo tempo claro para uns e escuro para outros.

Em suma, elas não acreditam na existência da sala virtual.

E agora? Você já esteve numa sala virtual. Você sabe que ela existe. Você inclusive fechou um trabalho ali, pelo qual foi pago. Mas de nada adianta apresentar o recibo do trabalho. Ele não prova a existência da sala virtual. Aliás, se amanhã o provedor mudar ou fechar aquela sala, como você provaria que esteve na sala que você descreveu?

Outras pessoas estiveram lá. Mas para elas, a sala era outra, diferente. E de fato, isso é verdade.

Bem, você pode falar com a pessoa que contratou seu serviço, e ela testemunharia que vocês estiveram na sala virtual. Mas qualquer um poderia continuar não acreditando. Pensando que você e seu parceiro se falaram, na verdade, por telefone ou fax. Por fim, por que você se ocuparia com isso? Você sabe que a sala existe. Você esteve lá. Mas não existe uma prova material incontestável disso. Esse jogo poderia continuar pela eternidade, mas você não se interessaria por ele.

Porque, acima de qualquer discussão, você ESTEVE lá.

 

Esferas e freqüências

Há muito tempo  sabemos que na verdade não existe apenas um mundo. Há muitos mundos no nosso mundo, mesmo no material. O mundo de alguém de alto poder aquisitivo que vive em Manhattan não tem a menor semelhança com o mundo habitado por um índio isolado na Amazônia. Parecem dois planetas distintos. Mas são ambos reais, partes do mesmo mundo material.

Você sabe, eu escrevi este texto em São Paulo, num computador criado na Califórnia e construído com peças vindas do oriente. E você talvez o esteja lendo em outro lugar muito distante. E pode ter pago por ele com seu cartão de crédito, através de um site de compras na internet. O dinheiro eventualmente foi transferido para a minha editora, que depositou uma parte na minha conta. Talvez a sua copia seja digital, jamais torne-se papel. E eu usei o dinheiro que recebi pela sua compra do meu livro para adquirir um casaco, que comprei com o meu cartão.

Tudo muito corriqueiro, hoje em dia. Mas completamente imaterial. Todas as transação aconteceram, no caso do livro digital, sem que houvesse um único produto material a ser vendido ou comprado. E no caso dos pagamentos com cartões e transferências, nenhum dinheiro material. Apenas Dígitos sendo transferidos de um lado para outro, até que finalmente eles se materializaram no meu casaco.

Agora me diga: como é que eu explico isso para um índio isolado da Amazônia? Ele sequer sabe muito bem porque nós consideramos que algumas Cédulas de papel pintado podem valer mais que um peixe de verdade que pode virar comida em sua panela.

Este é um exemplo das muitas esferas que existem no nosso mundo material. Para o índio, tudo que eu e você fizemos nessa transação não tem o menor sentido, ele não pode entender. Está alem daquilo que ele pode considerar verdade. Por isso, ele não acredita.

Esse jogo, também, poderia continuar pela eternidade, mas não temos interesse por ele. Porque, acima de qualquer discussão, nós sabemos o que fizemos, pelo que, e como pagamos.

 

Negação

Enfim, para terminar:

Nós criamos este mundo virtual composto de fios, cabos, impulsos elétricos e endereços de internet.

Nós criamos um mundo real e verdadeiro que não existe de fato na matéria.

Nós criamos uma realidade imaterial, na qual muitas vezes não precisamos optar entre uma coisa OU outra. No qual é Possível que uma sala seja CLARA E Escura, ao mesmo tempo.

Nós fomos capazes de fazer isso.

Negar a possibilidade de um mundo real, porém imaterial, no qual as coisas podem ser ISTO E AQUILO ao mesmo tempo, é negar aquilo que nós mesmos criamos, e sabemos que pode ser feito.

Já não podemos negar essa possibilidade, se quisermos ter um mínimo de coerência e de pensamento inteligente.

Muita gente pode continuar não acreditando na existência e negando a possibilidade.

Esse é um jogo que também pode continuar para sempre. Mas porque teríamos interesse nele?

Acima de qualquer discussão, nós sabemos, não somente, que é possível.

Nós sabemos que é real. Nós fizemos.

Paulo Ferreira, 2012. (autorizada a reprodução total ou parcial, desde que citada a fonte)

Respeite Minha Religião

Nessa fase da minha vida de muito trabalho e busca pelo deus mais popular do século XXI – o Sr. Dinheiro –  é tão bom encontrar pessoas que expressam o que sinto! Além de me economizar tempo e “penso”* para organizar a escrita, acabo por me expressar sem me atrapalhar com as palavras!

*penso = a trabalheira de pensar, segundo uma mulher muito prática! Um dia conto a historinha desse “neologismo”.

Então, abaixo está um texto da escritora  Dorothy Murdock, mais conhecida  como “Acharya S”expert em religião. O texto foi traduzido pelo querido fundador deste site: o Mako, a quem sou grata! E o texto expressa o que sinto com relação as religiões, e vou além: quando as pessoas trocarem as religiões dos homens por Meditação, aquela que leva ao autoconhecimento e consciência, então o amor florescerá!

“Respeite minha religião” texto de  Acharya S

“Nos dizem freqüentemente para “respeitar a religião das pessoas.” Em primeiro lugar: muitas idéias religiosas são muito desrespeitosas para com o ser humano, assim, não merecem ser respeitadas. Em segundo lugar: e a troca sobre as pessoas respeitarem a nossa religião?

A palavra “religião” vem do latim religiō, que significa, dentre outras coisas, “consciência” ou “escrupulosidade.” Em minha perspectiva da realidade, eu me esforço para ser extremamente escrupulosa e consciente. Portanto, alguém poderia me chamar de “religiosa” e minha perspectiva de “religião”. Continue reading

ONG – Instituto Pensamentos Filmados

Falar da minha cura ativa a cura alheia. E também diante da minha história de vida e de quem eu sou, não me restaram muitas alternativas a não ser fundar e tocar uma Ong – o Instituto Pensamentos Filmados e também escrever para este site “Destruidor de Dogmas”, que é muito interessante e vai de encontro a meu Ser rebelde!

Ao longo de meu longuíssimo caminho da cura, descobri diversas ferramentas, ainda pouco divulgadas como a medicina integrativa, para melhorar da Depressão agressiva que estourou na minha infância devido ao ambiente familiar disfuncional em que vivi, onde apesar de estar junto de adultos inteligentíssimos, amorosos e espíritas kardecistas, sofri abusos morais e sexuais por parte de meu pai, e ninguém me ouviu.

Meu pai foi um médico muito amado e famoso na cidade em que cresci, de uma inteligência (Q.I.) brilhante que o fez passar em uma excelente residência médica, em primeiro lugar do Brasil todo! Mas a falta de conhecimento acerca do funcionamento psicológico e dos mecanismos da mente, a falta de Consciência, como ele mesmo colocou para mim anos mais tarde quando se desculpou por tudo que fizera comigo, o fez se perder.

Continue reading

Médiuns – Minha Experiência

 

Um assunto muito polêmico para alguns, uma certeza tão absoluta quanto a morte para outros.Peço primeiramente aos visitantes do site que entram aqui por causa dos outros assuntos que não fechem sua mente para isso, veja isso como uma experiência e tente entender os lados positivos de tudo isso a ser descrito, no final todos os assuntos convergem, as vezes até antes.No começo do ano eu escrevi um projeto de documentário sobre Psicógragfos e fui atrás de algumas pessoas que foram me indicando outras pessoas até chegar na Maísa Intelisano. Mas antes devo falar como tudo isso funciona, e vou colocar algumas partes do projeto, então por favor não reparem a linguagem formal de algumas frases do post que complementa esse. CLIQUE AQUI PARA VER.

Eu sempre estudei esse assunto, mas só nesses últimos tempos que fui ter contato com ele realmente, conheci pessoas que escreviam cartas sem ter intenção, e conseguiram parar com isso, e conheci outras que ainda escrevem apesar de tudo, e se sentem bem com isso. A Maísa teve a bondade de me conceder uma entrevista com uma boa duração e explicou bastante coisa bacana, de como tudo funciona e como as pessoas que psicografam reagem e sentem quando atuam (Irei colocar um pedaço da entrevista aqui no DDD). A minha experiência começou quando eu fui indicado pela minha professora Maria luisa Bairão a encontrar a médium Cristina Tanaka (Site Oficial) num sábado na casa em que ela dá algumas palestras explicando coisas sobre energia, espiritos e dando alguns exercícios de limpeza energética.

E a história começa assim: eu estava indo pra lá, mas a rua não tinha o número que me passaram, e entrei na casa com o número mais próximo, era uma igreja messiânica, uma vertente da religião sukyo mahikari (obviamente japonesa, veja mais em aqui), e ao perguntar lá percebi que não era lá, mas era uma grande coincidência, depois percebi meu erro e fui até o lugar certo, eu tinha ido na rua errada.

Continue reading

Entrevista: Robert Happé – Consciência é a Resposta


Parte 2
Parte 3
Parte 4

Uma Chuva Torrencial de Sabedoria, fico muito feliz quando vejo que existem pessoas que pensam exatamente como eu, esse video eu tinha colocado como referência em outro post, mas de tão bom resolvi dar a devida importância/destaque a ele.

 

Médiuns – Números Relevantes Pt 3


Números Relevantes

1- Segundo o Censo do IBGE de 2000, o espiritismo tem 2,5 milhões de adeptos no Brasil (declaram-se evangélicos 26 milhões, e católicos, 125 milhões). A Conta da Federação Espírita Brasileira é diferente: Seriam 14 milhões de espíritas no Brasil.
2- Mais de R$ 500 milhões é o valor do faturamento do mercado editorial espírita ao ano no Brasil – Isso antes do boom de filmes espíritas de 2010, cuja influência ainda não foi medida.
3- Pelo Censo, o Espiritismo é a terceira maior religião do país. O quarto lugar está muito atrás: são 525 mil da Umbanda e do Candomblé.
4- O Brasil tem 10 mil centros espíritas, mais do que a soma de todas as paróquias e centros pastorais católicos de Portugal (lá são 7 258, segundo o Vaticano).
5- Mais de 150 milhões de livros espíritas já foram vendidos no Brasil – 70% dos títulos são obras psicografadas. É mais do que a venda mundial da saga “Crepúsculo” de Stephenie Meyer, que chega a cerca de 110 milhões de exemplares.
6- 35 milhões foi a renda da bilheteria do filme Nosso Lar (2010), inspirado no livro homônimo, psicografado por Chico Xavier. É a mesma arrecadão de Harry Potter e as Relíquias da Morte (parte 1) no Brasil, em 2010. 7- Em 17 de setembro de 1865 foi fundado o primeiro centro espírita brasileiro, em Salvador.
8- 3,4 Milhões de pessoas viram no cinema o longa de Chico Xavier, de Daniel Filho, de 2010 – praticamente a mesma marca dos sucessos nacionais Se Eu Fosse Você (2006) e Cidade de Deus (2002).

Pesquisa feita sobre Psicografia
A pesquisa realizada por Paulo Rossi Severino, com o apoio de Maria Julia de Moraes Prieto Peres e Marlene Rossi Severino Nobre, gerou o livro intitulado A vida Triunfa. A equipe estudou 45 casos entre cem catalogados pela Folha Espírita e, a partir de dados colhidos por um questionário padrão, chegou a conclusões reveladoras sobre o perfil dos destinatários das mensagens e o conteúdo básico divulgado dos textos.

Continue reading

Older posts