Tag: drogas

Documentário: DEEP WEB (Netflix)

 

Esse documentário conta uma história muito recente do que a internet pode ser no futuro.

Uma pessoa, ou mais de uma, criaram o site na Deep Web chamado Silk Road, um site para venda de drogas de todos os tipos, apenas drogas, e o gorverno dos EUA não ficaram nada contente com isso.

Todas as agências de seguranças foram acionadas para achar os responsáveis, mas na Deep Web você usa o programa Tor para navegar e ele é impossível de se rastrear, e aí fica a pergunta de um milhão de dólares, como o FBI conseguiu rastrear o servidor aonde estava  o site?

O filme só achei no Netflix, infelizmente, mas traz muitas questões importantes sobre como nossas vidas poderias ser de uma nova perspectiva, como por exemplo:

  1. – A guerra contra as drogas não tem como objetivo acabar com a venda de drogas, e sim criar um sistema onde várias áreas lucrem ao mesmo, desde o produtor das drogas até a policia, investigadores, cadeias, juizes, cria-se um movimento do dinheiro, onde há necessidade de melhorias é algo constante. A melhor prova disso aqui no Brasil é ver o helicóptero com pasta base de cocaína do senador que foi apreendido há pouco tempo, e nada foi feito contra ele, apesar de ele ser claramente o FABRICANTE de COCAÍNA e senador.
  2. – O governo deve estar consciente de tudo que se passa na sociedade? Isso é algo tão comum em nossas vidas que nem questionamos, mas realmente não seria poder demais para o governo? Quais são os interesses do governo, eles combinam com a sociedade? Pelo visto não.
  3. – Até onde uma investigação pode quebrar leis para capturar um fora-da-lei? As agências de segurança podem ser hipócritas nesse sentido? Não temos mais a proteção da privacidade?

Na Deep Web acontece muita coisa ruim, mas acontece muita coisa útil também, como é descrito no documentário a Deep Web serve para trazer segurança para informações sigilosas de empresas e bancos.

Ross Ulbricht, um dos Dread Pirate Roberts (nome inspirado em um personagem das telinhas que passava seu nome para o sucessor), era um pessoa idealista, falava sobre liberdade da informação e controle de nossas vidas não pelo governo, mas para nós mesmo, e por causa disso eu acredito que tudo isso foi armado de forma ilegal e injusta principalmente para prender perpetuamente Ross.

Felizmente nesse caso vários outros sites foram criados, e citando uma frase do filme: “Os ratos vão vencer, mas quando eles vencerem os gatos já estarão bem satisfeitos”

E isso é verdade, o governo não quer perder as rédeas da sociedade, e a deep web mostra um real potencial de se criar um sociedade a parte.

DICA: Vejam também o Documentário Making a Murderer da Netflix que também fala sobre casos injustos, e o Anime Ghost in the Shell que dá uma amostra do que a deep web pode ser no futuro.

 

 

A Fama do Mendigo de Curitiba

Na falta de uma palavra melhor que Preconceito, usarei “Ignorância” para descrever o que aconteceu com as pessoas que viram e se expressaram com relação à esse mendigo que ficou famoso esse mês passado, em sua maioria.

Pra quem não sabe, ele é de Curitiba, ex-modelo e atual mendigo usuário de drogas (crack ao que tudo indica) que ficou famoso após pedir para alguém tirar uma foto dele, e esse usuário divulgar essa foto no facebook. Resultando em mais de 17 mil compartilhamentos.

Foram milhares as pessoas que soltaram comentários como: “Que mendigo bonito. Precisa de um caça-talentos”; “Mendigo bonito… Vai ficar famoso rapidinho”; “Da até vontade de levar pra casa”; “Traz pra Goiás que pra esse ai dou casa, comida e roupa lavada”, dizem alguns dos comentários.

Ele virou Meme por dias sem saber, viraria notícia nos maiores sites e jornais (globo, uol, folha), viraria conversa de bares, e seria discutido sobre como ele teria virado um mendigo. “-Mendigo? Bonito assim? De olhos azuis?” foi o hino de outubro de 2012. Continue reading

Documentário: Cortina de Fumaça – Sobre drogas

Um documentário independente sensacional que desmistifica várias drogas, mas a maconha ganha um destaque maior. Várias pesquisas mostradas no documentário falam o como a maconha é útil em milhões de coisas desde tecido até sabonete, e que ela não é tão prejudicial quanto se pensa, e se divulga por aí, a mídia infelizmente continua divulgando esse tipo de pensamento e ainda ligando as drogas a violência, sendo que nunca houve nenhuma pesquisa sobre o assunto, apenas querem colocar esse falso moralismo nas pessoas, mas acaba que se torna meio sem sentido essa busca deles em divulgar essa visão, pois muitas pessoas usam ou já usaram drogas, mesmo sendo elas tabaco e álcool, que como  todos sabemos são bem mais prejudiciais que a maconha, e o álcool ainda potencializa ações violentas.

Continue reading

Palestra: Glândula Pineal – Novos conceitos e Avanços nas Pesquisas

Sérgio Felipe de Oliveira é um psiquiatra brasileiro, mestre em Ciências pela USP (Universidade de São Paulo) e destacado pesquisador na área da Psicobiofísica. A sua pesquisa reúne conceitos de Psicologia, de Física, de Biologia e do espiritismo.

Desenvolve estudos sobre a glândula pineal, estabelecendo relações com atividades psíquicas e recepção de sinais do mundo espiritual por meio de ondas eletromagnéticas. Realiza um trabalho junto à Associação Médico-Espírita de São Paulo AMESP e possui a clínica Pineal Mind, onde faz seus atendimentos e aplica suas pesquisas.

Segundo o mesmo, a pineal forma os cristais de apatita que, em indivíduos adultos, facilita a captura do campo magnético que chega e repele outros cristais. Esses cristais são apontados através de exames de tomografia em pacientes com facilidade no fenômeno da incorporação. Já em outros pacientes, em que os exames não apontam tais cristais, foi observado que o desdobramento fora facilmente apontado.

Segundo a revista Espiritismo & Ciência,[1] “o mistério não é recente. Há mais de dois mil anos, a glândula pineal é tida como a sede da alma. Para os praticantes da ioga, a pineal é o ajna chakra, ou o “terceiro olho”, que leva ao autoconhecimento. O filósofo e matemático francês René Descartes, em Carta a Mersenne, de 1640, afirma que “existiria no cérebro uma glândula que seria o local onde a alma se fixaria mais intensamente”.

Sérgio Felipe de Oliveira tem feito palestras sobre o tema em várias universidades do Brasil e do exterior, inclusive na Universidade de Londres. Numa apresentação na Universidade de Caxias do Sul, o pesquisador afirmou ter recebido vários estímulos para estudar a glândula pineal quando ainda estava concentrado em pesquisas na área de física e matemática. Um desses estímulos foi uma visão em que lhe apareceu o professor Zerbini, renomado médico cardiologista e pioneiro dos transplantes de coração no Brasil. Zerbini, a quem sérgio teria substituído em seus dois últimos compromissos acadêmicos, sugeriu a Sérgio insistentemente (durante a visão) que estudasse a glândula pineal, conforme o relato do pesquisador.

Fonte: wikipedia

Post Relacinoado: Santo Daime, Experência Fora do Corpo e Et’s

Facebook