Tag: dívida

Video: O Maior Esquema do Mundo (em inglês)


Parte 1


Parte 2

Uma perfeita visão do papel do dinheiro no mundo, vivemos para pagar dívidas dos bancos, vivemos para dar a eles, nossos senhores, a vida que desejaríamos.

Documentário: Devidocracia/Debtocracy 2011 Legendado

(Grécia, 2011, 74 min. -Direção: Katerina Kitidi e Aris Hatzistefanou)

Comentários de Jair de Souza: “Documentário que revela a crise econômico-social pela qual passam os países periféricos da União Europeia, em especial a Grécia. Vemos como as políticas econômicas neoliberais impostas pelos agentes financeiros da UE levam à bancarrota os países de sua periferia e os deixam maniatados às decisões das grandes corporações financeiras extranacionais. O interesse primordial é sempre a defesa dos ganhos dos grandes grupos financeiros dos países mais fortes, principalmente da Alemanha, em detrimento das maiorias populares dos países de segunda linha, como Grécia e Irlanda.

O filme também nos mostra que é possível enfrentar com êxito às pressões dos aparelhos a serviço do capital financeiro mundial (FMI, Banco Mundial, etc.) quando os governantes do país ameaçado têm suficiente dignidade para colocar em primeiro lugar a satisfação das necessidades de seu povo, e não a obsessão por lucros dos magnatas financeiros. É o caso do Equador dirigido por Rafael Correa.

Este documentário expõe a crueldade que move o neoliberalismo em seu afã por ganhar cada vez mais às custas do sacrifício de todos os demais setores da população. Ele também deixa claro que, com a decidida mobilização das maiorias populares, o monstruoso aparato financeiro pode ser derrotado.”

Site Oficial: http://www.debtocracy.gr/
Download:
Torrent
Legendas pt-br 

Ou assista diretamente em parte única aqui

Agradecimentos à Juliana Mendes Svete, João Costa, Celestino Cele, Cristiane Adiala e Jair de Souza pela sugestão e links.

Fonte: blog docverdade

Criando Dinheiro

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=_KS2ePuzaAk&feature=player_embedded]

Vamos imaginar que o banco possui uma quantidade total de ouro, de digamos, 100 moedas de ouro.
Que é a quantidade total de ouro que existe. 100 moedas, nenhuma mas.

Ademais deste bom homem, existimos outras 10 pessoas mais: Você, eu, um ferreiro, um par de vaqueiros, uma costureira. Enfim, 10 pessoas no total.

Todos necessitamos de ouro para comprar e todos pedimos um empréstimo.
10 moedas para cada um. Um total de 100 moedas.

Se perde?
Não.

Claro que não.
O banqueiro nos entregou todo o seu ouro, com absoluta generosidade.
Em troca de um simples 10%? 1 moedinha por pessoa?

… justo.

Mas…
Isso é, mas…

De acordo com Pitágoras, temos um problema. Si ao cabo de 12 meses, temos que pagar 11 moedas cada um, da onde a gente vai tirar essas moedas? 11 moedas cada um são 110 moedas.

Isso significa que existem 10 moedas, sem juros, que nunca poderão pagar-se. NUNCA. Aconteça o que aconteça.

Não tem problema, o banco foi inventado para facilitar as coisas, não para complicar-las.
Existe uma solução razoável.

Não se preocupem. Vocês podem devolver só os juros: 1 moeda cada um. Eu vou esperar.
E no próximo ano, vocês vão me devolvendo a quantidade emprestada inicialmente.

As primeiras 10 moedas do começo.

Adiante

Ainda assim, se devolvemos 1 moeda, ficaremos com nove. Nove para cada um.

Assim que, se ainda devemos 10 moedas, ao passar de 10 anos, seguiremos com o mesmo problema e ademais, teremos menos dinheiro.

Certo, uma moeda menos que o ano anterior.

Si repetimos a operação durante 10 anos, e sempre que o banqueiro deixe que a gente pague só os juros, nesse tempo ficaremos sem nada. Desaparecer· todo o dinheiro, e ainda assim, seguiremos devendo o empréstimo do começo.

O banco vai recuperar todo o ouro, e nós não vamos ter nada, e ainda vamos dever o que o banco emprestou no começo.
100 moedas entre todos, que nunca vamos poder devolver, porque simplesmente, não existem.

Então vamos a perder nossas terras, os animais, os alimentos que damos como garantia no principio 10 anos atrás.

Em 10 anos o banco terá o que tinha antes, e mais todas as nossas coisas. E nos não vamos ter nada, absolutamente nada. Na pratica quer dizer que, viramos escravos do banco.

E por quê?

Por nada, em troca de nada.

Fonte:www.vidasostenible.wordpress.com

Facebook