Tag: Deus (page 1 of 5)

Quão importante é a fé? O que ela muda em nossas vidas?

O que é Fé? Todos temos no fundo ou quem não acredita em Deus não tem fé?

Muitas pessoas confundem a palavra com muitas coisas, mas vamos esclarecendo o que ela é a priori, e vamos tirar um explicação do wikipedia;

“Fé (do Latim fide)[1] é a adesão de forma incondicional a uma hipótese que a pessoa passa a considerar como sendo uma verdade[2] sem qualquer tipo de prova ou critério objetivo de verificação, pela absolutaconfiança que se deposita nesta ideia ou fonte de transmissão.”

Agora ficou um pouco mais fácil de entender. Então ter fé é acreditar em algo que não há provas para acreditar, apenas acreditamos.

Até o mais dos céticos pode ter um pouco de fé em si, ela pode ser algo fora do nosso controle. Muitas vezes as pessoas acreditam que algo vai acontecer com elas, sem base em nada, apenas um pressentimento, que pode ou não ter validade futura, e isso também é fé, otimismo as vezes pode se encaixar na fé.

O tempo não é linear, apenas experienciamos dessa maneira, o passado, presente e futuro são uma coisa só, e muitas vezes algumas pessoas pensam prever algumas coisas, e elas podem estar certas, mas não temos como provar isso hoje em dia.

Mas imagine o seguinte, se o tempo não é linear e nossas ações podem mudar o futuro porque não pensar que tudo vai dar certo?

Continue reading

Dá pra dialogar com um terrorista ou um extremista islâmico?

Primeiramente você iria precisar de uma máquina do tempo, voltar em torno de 2 mil anos e viver lá durante um tempo para aprender a cultura local, ver os castigos e sofrer tudo o que um povo arcaico pode proporcionar as pessoas que pensam diferente ou tem azar.

Claro, isso não tem nada a ver com o islamismo em si, mas com diversos povos que hoje em dia se recusam a progredir, modernizar, e isso infelizmente vai propagar o sofrimento de muita gente.

Muitos países apoiaram, ou melhor, não fizeram nada contra o estado islâmico, pois ele estava derrubando Assad, e isso deu no que deu, agora eles tem verba para provocar ataques em qualquer lugar do mundo.

Mas isso é atualidade, vamos voltar um pouco, algumas centenas de anos.

Continue reading

Suposta esposa de Deus teria sido riscada da história da Bíblia, afirmam pesquisadores

Screenshot 2015-05-19 at 15.06.19Será que uma deusa pagã, atacada na Bíblia como uma das maiores inimigas do culto ao Deus verdadeiro, poderia ser, na verdade, a esposa Dele? De forma bastante simplificada, esse é um dos principais debates que dividem os historiadores da religião do antigo Israel nos últimos tempos. Inscrições misteriosas, pequenas estatuetas de cerâmica e o próprio texto da Bíblia indicariam que a deusa em questão, conhecida como Asherah, não teria sido adorada como rival de Javé, o Deus judaico-cristão, mas sim como sua companheira.

Isso, é claro, para um dos lados do debate. Para outros pesquisadores, os símbolos da deusa Asherah (cujo nome às vezes é aportuguesado como “Asserá”) teriam sido simplesmente “incorporados” pelo culto de Javé, sem que a deusa fosse adorada como entidade distinta pelos antigos israelitas. A ambigüidade é, em parte, lingüística: embora Asherah fosse o nome de uma deusa dos cananeus (habitantes pagãos da Palestina), a palavra também é um substantivo comum, “asherah”, que designa um poste de madeira usado para cerimônias religiosas.

“As posições estão bem marcadas: uns acreditam que se trata de um símbolo cúltico, outros já assumem que se trata de uma deusa. No entanto, uma coisa não necessariamente exclui a outra, porque o poste também simbolizava a deusa, de forma que uma referência a ele sugere o culto a Asherah”, diz Osvaldo Luiz Ribeiro, doutorando em teologia bíblica da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ).

Continue reading

Se existe um Deus, ele não é o que pensamos

god-and-man

Como podemos imaginar algo que está acima da gente?

A diferença de nosso DNA pros ratos é de apenas 1%.  Um rato não consegue entender pra que serve o cano em que ele anda, não consegue entender como o queijo que ele come foi feito, ele faz afirmações simples em sua cabeça, isso é comida, isso é um caminho.

Assim somo nós também, mas com outra magnitude.

Se com 1% de diferença de DNA dos ratos nós somos tão mais inteligentes, e somos capazes de compreender um pouco do Universo, quanto seria a diferença de DNA de Deus para gente?

Absurda no mínimo.

Continue reading

O Perigo do Exército da Igreja Universal – Saiba tudo que isso tem de errado

exercito_evangelico-altar-gladiador

A seita evangélica está em todo lugar hoje em dia no Brasil, desde casas no seu bairro, no mínimo umas 5, até em cargos políticos importantes em que tomarão decisões importantíssimas para o avanço do país e de nosso povo, e agora nesses últimos dias foi lançado na internet um vídeo de seu exército, chamado de Gladiadores do Altar.

O objetivo do exército de acordo com o site da Igreja é o seguinte:

“Assim é formado o “Gladiadores do Altar”, um projeto que visa formar jovens disciplinados e altamente preparados para enfrentar os desafios diários de ganhar almas e fazer discípulos.

O projeto realiza reuniões semanais com os rapazes que estão dispostos a abrir mão de suas vidas para que outras pessoas sejam ajudadas, cumprindo assim o que Jesus disse: “Ide por todo mundo e pregai o evangelho a toda criatura.” Marcos 16.15″


Claro que isso que a igreja anunciou não chega perto da verdade, ou melhor, chega mas não é nada disso.

jovens-universal-exercito

O exército que mais parece ter saído da Alemanha nazista com esse seu movimento de sentido, é na verdade um agente de conversão de pessoas, quando se fala de fazer discipulos deve-se entender trazer gente pra igreja, e quando se fala que outras pessoas vão ser ajudadas na verdade é o pastor, pois todo mundo sabe, ou quase todo mundo hoje em dia que as igrejas evangélicas são movidas pelo dinheiro, e que seu Deus, Jeová já “morreu” e agora só querem dinheiro, claro que não pra muitos, mas pros muitos pastores sim, que vêem essa vida como profissão e não como um como um caminho de espiritualidade.

Continue reading

Animação: Você conhece Deus?

 

Acho que é um ótima animação para refletirmos, mas não só do ponto de vista ateu, mas do ponto de vista dos religiosos também.

Todos experienciamos coisas que muitas vezes não compreendemos, nossa consciência se transforma em rituais religiosos as vezes e sentimos algo diferente, um calor, uma leveza, ou o que for, e muitas pensam pensar ser o contato com Deus, pensam que a resposta de seu cérebro, corpo, e espírito para aquela situação é Deus falando com eles, mas falo que não é, e é ao mesmo tempo.

Como assim?

Continue reading

Partículas de Deus

Cum sociis natoque penatibus et magnis dis parturient montes, nascetur ridiculus mus. Nunc semper viverra quam. Pellentesque egestas, est feugiat tempor egestas, elit enim sagittis ante, eu sollicitudin erat felis vel ante.
Continue reading

Agora, agora, agora…

Enquanto as Trombetas não tocarem,
Enquanto o Ciclo não acabar,
Enquanto ele não Retornar,
Enquanto o mundo não Afogar,
Enquanto o Sol não apagar,

Estaremos vivendo,
estaresmo duvidando,
estaremos crescendo,
estaremos escrevendo,
estaremos apagando,
estaremos construindo,
estamores preservando
e destruindo,
tocando e silenciando.

Enfim, acontecendo..

Enquanto o mistério continuar
teremos o porquê não se preocupar
se Deus um dia irá Chegar…

O homem assim como Deus é o verbo.

Por que as Igrejas recebem Dinheiro?

Uma pergunta com muitas respostas, qual será a mais profunda?

Por que dar dinheiro para a Igreja?

Caso não saibam eu tive uma família muito ligada a religião (não digo que era religiosa, pois eles não praticavam) e pude presenciar que ela e muitas outras pessoas de várias igrejas me contarem seus casos e o porquê delas estarem ali, o que elas desejavam em suas vidas e entender o porquê delas irem lá buscar como última forma desesperada de salvação.

Não preciso, para os leitores do DDD, nem explicar o quão absurdo é você participar das milhares de campanhas que as igrejas mercenárias de hoje em dia exigem e fazem parecer, para o povo ignorante e desesperado, que sua necessidade é elemental para o sucesso da sua vida, desconsiderando todo fator pessoal de mudança, todo o potêncial humano, para eles somos apenas zumbis andando a esmo. Post Sobre a Igreja Universal. E também nem preciso citar todo o histórico da igreja com relação ao dinheiro, que a igreja católica fazia lavagem cerebral em seu povo e ele, inocentemente, acreditava nesse sentimento de culpa que a igreja vendia, pois caso peque, pague algo para se redimir, e o pagamento é equivalente a sua redenção, e também, como é sub entendido ao seu lugar no céu, até hoje esse pensamento se perpetua nas mente do povo.

Mas acho que devemos começar pela superfície, a igreja utiliza do sofrimento do povo médio e das necessidades fúteis implantadas pela mídia para suprir de forma infantil os desejos do povo. Não há necesidade de dizer que dar dinheiro para uma casa/instituição ou pessoa e esperar receber algo isso de forma aleatória, ou divina é algo absurdo, como se as regras do universo se contorcessem quando você utiliza o dinheiro na igreja, essa foi a jogada que os produtores do documentário/livro The Secret tiveram. Utilizar dessa nova onda Quântica para explicar de forma “científica” a fé (ou pensamento positivo, mentalização) é algo exagerado, mas a necessidade é tão grande pelo povo que ela consegue vendar qualquer olhar sóbrio. É engraçado que antigamente se pagava para não ir pro inferno, e hoje se paga para conseguir coisas, evitar o sofrimento que nós mesmos criamos, a igreja vende a idéia do caminho mais curto, a fé na recompensa material.

Continue reading

Debate: Corpo, alma e consciência: somos o mesmo depois da morte?

Para esquentar as discussões no site, começaremos a promover, esporadicamente, discussões entre os moderadores, tendo um tema em comum e buscando conflitar ideias, debater pontos opostos, para que todos possam ver os diversos lados que cada reflexão pode nos levar.

O tema desse debate, realizado entre Vitor e Mako, foi a questão da alma, da consciência e da vida após a morte. a inspiração para essa discussão está nesse texto (clique aqui) postado no site, sobre Reich.

Vitor:

Sabe q to ensaiando ler Reich? Gosto da ideia das couraças de carater, mas não entendo de onde ele tira a ideia do orgônio, essa energia única que move o individuo. Eu acredito em multiplas energias. Você já leu Frijof Capra, principalmente o livro “A teia da vida”? O interessante de sua teoria é que a vida é considerada um sistema sintrópico (o oposto da lei da entropia – enquanto a entropia fala da tendência à desordem, ao menor nível de energia, a sintropia fala das organizações que visam manter um nível estável de tensão, como os organismos vivos, que precisam constantemente de energia, senão morrem), uma organizacao contraria a entropia, e que necessita de um constante fluxo de material e energia para que mantenha a organizacao.

Entao, creio q somos, como dizem as modernas filosofias, uma “dobra”. Imagine o mundo como um conjunto de forças, que se degladiam constantemente. Em um determinado momento, essas forcas exteriores se dobram, criam um “dentro”, o sujeito. A dobra, como um espelho, reflete as forcas (Quem quiser saber mais sobre isso, leia o livro de Deleuze sobre Foucault, clique aqui, principalmente a partir da página 101)… ou seja, o sujeito adquire a capacidade de manipular o mundo, mudar suas forcas… surge uma forma de liberdade.

Entretanto, essa ideia de sujeito acaba por eliminar a vida eterna, pois a dobra se desfaz com a morte. A não ser que se considere haver um “tecido” que mantenha a forma, a dobra, sem o mundo.

Essa é a questao da alma. A alma seria compreendida como uma forma, que existiria fora da matéria. Mas na teoria do Capra, a materia que se organiza, e a forma depende do fluxo de materia. Se cessa o fluxo (ar nos pulmões, água, comida, e a saída, urina, fezes, isso sem falar na entrada e saida do fluxo de informação e de conhecimento), cessa a forma, como quando forma um redemoinho de agua na pia, que acaba quando a agua acaba.

A questao é: quem garante a forma do espirito? Teríamos que imaginar que as formas são independentes, e que elas vem de outro lugar. Esse seria um problema semelhante ao de Platão, aristóteles, Descartes, das filosofias religiosas, etc., de todos que acreditavam em algo fora da matéria.

Perguntaria pra você, como provocação: de onde vem a alma?

Mako:

 Nunca li Capra, mas milhares de pessoas ja me falaram para ler…. Reich eu acho demais, queria ler mais sobre ele, o Orgone que ele fala seria o Chi dos chineses e o Ki dos japoneses, uma energia que participa da vida e a move, seria uma energia eletromagnética de algum tipo de frequência alguns dizem, mas acho que está além do que nossa ciência consegue captar por enquanto, assim como a teoria do Campo morfogenético, algo que não compreendemos totalmente por enquanto, pelo menos a maioria das pessoas, mas que desconfiamos de sua existencia pelo simples fato de sentirmos ela…

É claro, existem estudos sérios sobre chakras e canais de energia no corpo, mas energia que fica a solta na natureza como o orgone ainda não há estudos pelo o que eu sei.
Muitos pensadores tentam explicar a alma, mas quando se fala na alma se vê a necessidade de separá-la do corpo, e mostrar que ela pode sim existir depois do término do corpo físico. Mas ela faz parte das engrenagens da vida, eu costumo dizer para as pessoas que, quanto menos algo é sólido, mais necessitamos dele, se formos colocar em ordem, sem comida duraríamos uma semana, sem água alguns dias, sem ar, alguns minutos, sem energia, nenhum segundo.
Nos meu estudos sobre espiritismo e o mundo espiritual,percebo que a alma é algo constante, ela está entrelaçado com várias coisas e pessoas, não de um modo físico, como por exemplo você se amarra a sua TV, celular e computador na sala com linhas, mas sim algo de frequência, como na física quântica (que fótons distantes vibram na mesma frequencia e agem da mesma forma a milhões de km de distância), há uma conexão ainda não desvendada.
No espiritismo parece que vamos perdendo a “forma” com o elevar da consciência até nos tornarmos parte do todo, ainda não descobri o propósito de crescer pessoalmente, e nem de onde surgiu a iniciativa de se ajudar as pessoas para isso, mas como tudo indica que há um caminho correto, esse caminho tem que ser algo que faz parte da estrutura do universo, como o sentimento de amor ter a frequência que une pessoas, tudo é interconectado.
É como você falou de multiplas energia, eu realmente acredito que elas existam, mas tendemos a acreditar que quando falamos de algo mais “sutil” estamos determinando sua energia, como por exemplo o chakra ser um campo eletromagnético, os estudos indicam e confirmam que sim, mas se for muito mais,  e se tivermos esse véu de ignorância e limitações tecnológicas nos privando de ver um pouco mais do que chamamos de realidade?
É muito provável que sim.
Outra questão:
Como deixar de ter consciência de si mesmo com um individuo único pode significar a morte? Acho que a morte foi mal compreendida, ela é apenas uma palavra para identificarmos o fim de uma fase, não diriamos que os peixes estão mortos por não terem consciência de si próprios, eles, assim como os outros animais e plantas, fazem parte de um organismo maior, que seria o Planeta inteiro sendo um ser vivo, eles (os animais) fazem parte da mecânica, ou se preferir, consciência da Terra, acho que perdemos a capacidade de nos distinguir dos outros seres vivos é rumar em direção a fonte primordial da vida, do universo, fazer parte do todo de novo.
Realmente acho que não perdemos a consciência, e sim iremos fazer parte de outra ainda maior, que contém outras da nossa frequência, ou elevação espiritual, e todos desse nível teriam a mesma compreensão do universo, sendo assim tomando as mesmas decisões, e nunca entrando em conflito, como olhar para um cardume de sardinhas e ver que apesar da gigantesca numerosidade delas, elas nunca colidem. Acho que deixamos o que nos faz humano para tras e nos tornamos algo a mais.
Muitos escritores de ficção cientifica se deparam com algo parecido quando vão falar de vida artificial, ou seja, robôs, alguns teriam uma consciência compartilhada, um cérebro que controla todos, outros teriam a noção de indivíduo e nunca tomariam decisões contando com todos, pois ele não faz parte daquele grupo.
Mas não diria que um deles é mais evoluído que outro, mas com certeza ter uma consciência compartilhada tem suas vantagens.
Vitor:

A questão aqui, creio que não é a morte, mas a concepção de sujeito por trás de tudo. Homem e animal são vivos, mas não há como saber se o animal possui uma subjetividade.

O homem enquanto sujeito já está integrado a um todo, ele não é um indivíduo isolado. Porém, isso não tem relação com o que se chama de alma. O conceito de alma, historicamente falando, se associa a uma essencia individual, ou seja, a algo que determina a individualidade de uma pessoa. Estou falando de forma grosseira, mas a questão é: essa mudança de fase que a morte cria, ela mantem essa “individualidade”? Se unir ao todo, á consciência do todo, é se ver misturado ao outro. Ora, o que marca nossa relação com o mundo é a diferenciação/identificação: como em Espinoza – algo nos compõe e algo nos decompõe. Para ser afetado, deve haver uma relação de diferença, para haver diferença, não pode haver o todo. Ser tudo é, ao mesmo tempo, ser nada.

Como conceber que somos uma alma que se integra ao todo, e ainda tem conciência dessa união? Se não é importante ter consciência de si, o conceito de alma se torna irrelevante, pois a materia do corpo e sua energia já se integram ao todo do mundo. Nossos átomos estão por aí a bilhões de anos.

Creio que ai está um problema: de que tipo de sujeito falamos? Um sujeito, totalmente consciente de si, cuja unidade persiste depois da materia, ou uma subjetividade momentânea, que depende das relações que traça com as coisas e com os outros?

A ideia de alma perde sentido quando se fala em uma consciencia partilhada. Aliás, consciência de si implica em um poder de conhecimento para além do que o homem pode ter, e por isso hoje vemos tantas críticas as teorias de Descartes.

Creio que a ideia de se sentir parte de um todo maior é somente pensar numa consciencia em grande escala. Um Deus formado por todos os seres unidos. Aí, a individualidade e a consciência de si, que não sentimos no unico homem, passa a fazer parte da Terra, um ser cósmico.

Então, a questão seria: há um ser cósmico? Bom, essa e outra questão, e não cabe aqui, talvez para uma próxima conversa…

Older posts