Porta do Inferno

O Poço de Darvaza está queimando há 40 anos graças a ação impensada do homem.

Quantas coisas a gente faz sem pensar nas conseqüências. Será que o geólogo que teve a idéia de colocar fogo nesse buraco sem saber o quanto de gás havia ali pensou nas conseqüências ou ele só quis resolver um problema?

A gente no nosso dia a dia, também precisa resolver problemas, mas nem sempre a solução mais fácil é a melhor. Separar o lixo, economizar o planeta, consumir conscientemente pode não ser a via mais fácil, mas com certeza trará melhores resultados.

Leia a história abaixo e veja um exemplo claro de que a preguiça para pensar e fazer, causa grandes problemas no futuro.

Em pleno deserto de Karakoum (Turcomenistão) perto da pequena localidade de Darvaza, encontra-se uma cratera com uns cinqüenta metros de diâmetro e de mais de vinte de profundidade, batizado pelos habitantes de A porta do inferno.

No interior deste poço arde um fogo há décadas em um incêndio que parece não ter fim.
O poço de Darvaza não é uma obra da natureza, mas o resultado de uma desastrada prospecção mineira soviética feita em 1970.

Uma equipe de geólogos perfurava o solo em busca de uma jazida de gás natural, quando súbita e acidentalmente encontrou uma cavidade subterrânea que provocou o desaparecimento da equipe de escavação.

Ninguém ousou descer pela cratera para resgatar a equipe de escavação, devido a grande quantidade de gases tóxicos.

Os geólogos decidiram atear fogo aos gases que emanavam do poço, incinerando a equipe, até que todo o gás fosse consumido…
A ação não foi muito bem sucedida, já que os soviéticos subestimaram grosseiramente as dimensões da caverna e de seu conteúdo inflamável. O gás, que deveria se consumir em algumas semanas, continuou a queimar sem parar desde 1971, ou seja há quase 40 anos.

Não se sabe por quanto tempo ainda o gás continuará a queimar na Porta do Inferno.

Fonte: http://virgula.uol.com.br/ver/noticia/sinalverde/2009/10/05/223237-as-portas-do-inferno