Tag: crime

Documentário: DEEP WEB (Netflix)

 

Esse documentário conta uma história muito recente do que a internet pode ser no futuro.

Uma pessoa, ou mais de uma, criaram o site na Deep Web chamado Silk Road, um site para venda de drogas de todos os tipos, apenas drogas, e o gorverno dos EUA não ficaram nada contente com isso.

Todas as agências de seguranças foram acionadas para achar os responsáveis, mas na Deep Web você usa o programa Tor para navegar e ele é impossível de se rastrear, e aí fica a pergunta de um milhão de dólares, como o FBI conseguiu rastrear o servidor aonde estava  o site?

O filme só achei no Netflix, infelizmente, mas traz muitas questões importantes sobre como nossas vidas poderias ser de uma nova perspectiva, como por exemplo:

  1. – A guerra contra as drogas não tem como objetivo acabar com a venda de drogas, e sim criar um sistema onde várias áreas lucrem ao mesmo, desde o produtor das drogas até a policia, investigadores, cadeias, juizes, cria-se um movimento do dinheiro, onde há necessidade de melhorias é algo constante. A melhor prova disso aqui no Brasil é ver o helicóptero com pasta base de cocaína do senador que foi apreendido há pouco tempo, e nada foi feito contra ele, apesar de ele ser claramente o FABRICANTE de COCAÍNA e senador.
  2. – O governo deve estar consciente de tudo que se passa na sociedade? Isso é algo tão comum em nossas vidas que nem questionamos, mas realmente não seria poder demais para o governo? Quais são os interesses do governo, eles combinam com a sociedade? Pelo visto não.
  3. – Até onde uma investigação pode quebrar leis para capturar um fora-da-lei? As agências de segurança podem ser hipócritas nesse sentido? Não temos mais a proteção da privacidade?

Na Deep Web acontece muita coisa ruim, mas acontece muita coisa útil também, como é descrito no documentário a Deep Web serve para trazer segurança para informações sigilosas de empresas e bancos.

Ross Ulbricht, um dos Dread Pirate Roberts (nome inspirado em um personagem das telinhas que passava seu nome para o sucessor), era um pessoa idealista, falava sobre liberdade da informação e controle de nossas vidas não pelo governo, mas para nós mesmo, e por causa disso eu acredito que tudo isso foi armado de forma ilegal e injusta principalmente para prender perpetuamente Ross.

Felizmente nesse caso vários outros sites foram criados, e citando uma frase do filme: “Os ratos vão vencer, mas quando eles vencerem os gatos já estarão bem satisfeitos”

E isso é verdade, o governo não quer perder as rédeas da sociedade, e a deep web mostra um real potencial de se criar um sociedade a parte.

DICA: Vejam também o Documentário Making a Murderer da Netflix que também fala sobre casos injustos, e o Anime Ghost in the Shell que dá uma amostra do que a deep web pode ser no futuro.

 

 

Justiceiros, Quem Faz Justiça com Eles?

Será mesmo que justiceiros são abomináveis?

Realmente, no caso que presenciamos com o garoto que roubava o bairro terminou de forma no mínimo indelicada, pois todos esperamos que bandidos terminem amarrados desmaiados, ou presos por teias em algum lugar, mas preso pelado com o U-Lock no pescoço e tendo sua dignidade jogada aos cães, ninguém esperava.

Não é coisa de super herói que se preze.

E não é que eles, os tais justiceiros, também tinham fichas criminais.

Tem algo errado nisso tudo, não?

Continue reading

Documentário: Inside Job, A Verdade sobre a Crise Mundial

“Inside Job, Documentario sobre a crise de 2008.”

SINOPSE: “Através de uma pesquisa extensiva e entrevistas com economistas, políticos e jornalistas, “Inside Job – A Verdade da Crise”, mostra-nos as relações corruptas existentes entre as várias partes da sociedade. Narrado pelo actor Matt Damon e realizado por Charles Fergunson, este é o primeiro filme que expõe a verdade acerca da crise económica de 2008. A catástrofe, que custou mais de $20 triliões, fez com que milhões de pessoas tenham perdido as suas casas e empregos.”

Obs: Achei o filme muito bom, apesar de tentar ser didático o documentário se mostra bem confuso para a mente menos atenta, mas é possível com facilidade entender como funciona a mecânica principal das multiplas falências apesar das várias palavras e termos desconhecidos para a grande maioria leiga do que chamam de “economia”.

Download do Filme e Legenda

Trailer do Filme

Realidade Por Trás da Ocupação Eua/Iraque


Os videos são depoimentos de ex-soldados americanos que sinceramente falam muito do mesmo, mas é bom ouvir de quem estava lá dentro para ter uma espécie de confirmação de nossa desconfiança.

Mas duas coisas que instigou em uma das falas, que foi quando ele falou que se uma pessoa atirar na rua contra um soldado americano todas as pessoas da rua deveriam ser fuziladas por não passarem de “cúmplices” (e bota áspas nesse cúmplices), e a outra é que os prédios de lá estão todos destruídos.

Primeiro, vou falar dos prédios: temos que primeiro que pensar que nada é feito sem intenção, ainda mais numa guerra, a destruição de prédios não foi simplesmente consequência de tiros, bombas ou tentativas de eliminar o “inimigo iraquiano”, mas sim faz parte de um planejamento de “pseudo-guerra”, vou usar esse termo, pois a guerra já acabou, e esse mesmo fenômeno acontece muito na Palestina.
Quando não se pode mais dar um ataca direto no inimigo então mira-se em outros pontos, e destruir prédios é destruir a infra-estrutura do país, na Palestina vários hospitais são destruídos, e falar hoje em dia que foi erro, é esperar que o povo seja surdo e ignorante, o que não deixa de ser verdade muitas vezes, mas é porque não paramos pra pensar no que ouvimos, pois a informação muitas vezes é dita em eufemismos ou em tom que não ti chama atenção. Israel usa bombas de fósforos que são proibidas e é um  crime de guerra, asso, como destruir hospitais e escolas, mas fazendo isso se consegui atingir um inimigo indiretamente, pois não se visa matar seu exército e sim fazer com que sua possibilidade em voltar a ser um país com uma economia regula que possa dar o mínimo de conforto para seus povo seja impossibilitada até que se pare de fazer isso.

Segundo, hoje em dia não se pode dar um golpe sem pensar no psicológico do povo, como seria a reação dele perante a isso, atirar em pessoas inocentes causa medo/tristeza aos mais passivos e raiva as pessoas mais ativas, criando assim um povo que não progredi muito pela falta de expectativa de melhora, e os que tentam fazer essa melhora acontecer é através da expressão da raiva pela vingança (não digo justiça, pois há sentimentos negativos envolvidos, se tornou algo pessoal também), e também devo falar das pessoas que tem um perfil de pessoa esperançosa, mas infelizmente parentes seus morreram, lugares onde ia explodiram, sua saúde pode não estar bem e não se tem hospital, seu filho vai para uma escola aos escombros, e o pior, vive com um medo palpável de poder morrer a qualquer instante, pois além de ver o caos que sem encontra seu país, é bombardeado por notícias ainda mais aterrorizantes fazendo ficar em alerta a todo instante, a paz interna foi eliminada.

“Desse jeito não é difícil entender o porque as pessoas fazem coisas horríveis por aí como matar pessoas e explodir lugares” – Fala de um dos entrevistado no documentário Capistalim: a Love Story.

Facebook