Tag: corpo

O Corpo para além da carne: O Membro Fantasma

 

A amputação de um membro é, para o sujeito, ocasião de grandes mudanças, dores e tristezas. Se o corpo é o templo do indivíduo (mesmo que esse não cuide dele), grandes mudanças em seu formato e em suas potencialidades, quando ocorrem repentinamente, trazem grandes modificações psíquicas. Mas um fenômeno interessante, que acontece em inúmeros casos, é o surgimento do membro fantasma, isto é, a pessoa amputada sente dores e outras sensações no membro que não existe mais. Meses depois. alguns pacientes possuem dores crônicas e podem descrever tais dores com exatidão, localizando-a como se seu membro ainda estivesse ali.

É claro que há uma base neural para essas dores. O cérebro recebe dos nervos seccionados do membro estimulações que trazem a sensação do membro ausente, e a secção destes nervos leva ao desaparecimento do membro fantasma. Mas o que é interessante é que há casos em que uma terapia psicológica trouxe os mesmos resultados, fazendo desaparecer a dor. O que quero dizer não é somente que a terapia psicológica interfere nos circuitos neurais, o que é óbvio. Mas que a dor não é somente um problema do corpo, ela possui um sentido na vida do paciente. Esse sentido é o que o paciente encontra no processo de terapia, e que leva a uma mudança da visão que ele possui de seu próprio corpo. O comum é auxiliar o paciente a compreender internamente a perda do membro, e aceita sua nova situação.

Claro que a secção do nervo é uma solução mais rápida na solução do problema, mas ela deixa de lado toda a existência da pessoa, que foi grandemente modificada. Além disso, o membro fantasma não é de todo ruim. Como ele é a permanência da imagem que a pessoa tinha de si mesma antes da perda, ela auxilia o amputado quando este tem de se adaptar a próteses. É como se o corpo encontrasse na prótese um substituto, e é mais fácil a adaptação à prótese quando o paciente ainda possui o membro fantasma.

Esses fenômenos devem ser compreendidos como algo que ocorre nem no corpo nem na mente, mas na mistura entre os dois.

Emoções à flor da pele….

A ciência ainda não encontrou respostas exatas para muitos problemas de saúde humana. No entanto, é impossível desprezar a observação clínica quanto a influência do emocional em algumas doenças. Fatos circunstanciais levam a acreditar que efetivamente, em certas situações, estados emocionais específicos tiveram pelo menos uma estreita relação com a doença.

A conexão corpo-psique deve começar a ser entendida através do conceito de emoção. Há um plano psíquico e outro somático pelo qual podemos perceber qualquer manifestação emocional. Juntos formam uma unidade funcional. Não existe emoção que não seja manifestação fisiológica e psíquica simultaneamente. Toda emoção acompanha-se de alterações do fluxo sangüíneo, alterações elétricas na superfície da pele, mudanças respiratórias, bioquímicas, posturais, que envolvem o corpo em seus diversos sistemas e aparelhos. Ao mesmo tempo apresentam-se como vivência psíquica, que permite a quem as sente reconhecer o que está sentindo; se raiva, medo, tristeza, alegria. Portanto, a pele tem relação estreita com a nossa mente e reflete muito do que se passa em nosso interior, pois é altamente sensível às nossas emoções.

É sabido que, fortes emoções podem resultar em náuseas, vômitos, diarréia, desmaios, crises hipertensivas, derrames cerebrais ou infartos do miocárdio. Esses fenômenos são exemplos claros da ligação entre a mente e o corpo, facilmente observáveis, sugerindo ou mesmo confirmando que mente e corpo funcionam em conjunto.

Embora a medicina ocidental tenha procurado menosprezar a ação da mente sobre o corpo, o “rubor” da pele, em situações de constrangimento ou embaraço, a sensação de frio nas mãos em situação percebida como ameaçadora, a palidez da pele em ocasiões de susto ou o aumento do suor em momentos de tensão sempre indicou haver alguma ligação entre o que ocorria nos pensamentos e o que a pele manifestava. O aparecimento de coceiras sem causa aparente, em fases de maior preocupação, ou mesmo doenças como dermatites, urticárias, alergias, psoríaseprobl, indicam o que pode a mente provocar na pele. Continue reading

O que é Savant?

Olha esse caso muito curioso sobre uma pessoa que é Savant, que é geralmente uma pessoa que tem um modo único de pensar, e tem uma memória fora do comum, mas nesse caso a pessoa não consegue parar de pintar depois que teve um acidente.

Muito casos de pessoas com sindrome de Savant tem sua origem com alguma batida na cabeça, existem pessoas que conseguem decorar os placares de todos os jogos de todos os campeonatos que aconteceram no seu país de algum esporte e ainda falar quem fez os pontos, ou gols.

São casos absurdos, quase inacreditáveis, que nos faz pensar como seria a cabeça de outros seres nesse universo, se até aqui na Terra temos casos que achamos absurdos imagina na nossa Galáxia?

Mas venho chamar a atenção dessa pessoa em específico é o tipo de arte que ele faz, é muito parecido com outra que já postei aqui no site do chamado Wingmaker

O que falta não é energia, mas Teleologia!

 

Pintura de Alex Grey

Estava hoje lendo na internet sobre o conceito de energia. Para falar a verdade, não entendo nada de física, não a estudei na escola nem para o vestibular. Sempre tive problemas com cálculos, e estudar as fórmulas era inútil. Mesmo assim, sempre senti um profundo respeito por essa área, e li algumas coisas sobre vários assuntos dessa disciplina, sobretudo os livros que “romantizam” a física, ou seja, que traduzem as fórmulas em teorias mais fáceis de serem compreendidas por nós, pobres mortais…

Fico sobretudo atento aos novos avanços da ciência física, principalmente a quântica, e os efeitos que elas criam em nossa concepção de realidade. Muitos se baseiam nessas novas teorias, como o caso das ciências noéticas, que mostram o poder da consciência e do pensamento em modificar o mundo. Esse é o novo paradigma: temos o poder para mudar tudo, para criar novas realidades. O pensamento possui um poder gigantesco, que se souber ser usado daria conta dos fenômenos parapsicológicos, como mover objetos (telecinesia) ou ler pensamentos.

O conceito de energia aqui ganha um estatuto essencial: compreende-se que o corpo possui campos energéticos, alguns provados e outros a serem provados, o que daria status científico a essas explicações.

Entretanto, acho que o buraco é mais embaixo… ou seja, compreender a mecânica de como o corpo realiza esses fenômenos ainda não aceitos pela ciência oficial, compreender também que há, para além do corpo físico, um corpo energético capaz de sobreviver após sua decomposição no mundo físico, tudo isso somente possibilita para a gente dizer: tá, é assim que funciona!

Sim, esses fenômenos seriam então considerados reais, novas pesquisas seriam realizadas e o campo científico seria modificado grandemente. Sim, as religiões teriam muito de seus dogmas confirmados ou refutados, as pessoas repensariam na forma como vêem o mundo… mas ainda falta algo, que a explicação em termos da física ainda não dá conta.

– Em primeiro lugar, é o que se chama de Teleologia, o estudo das finalidades últimas das coisas. Esse mundo que temos aqui, ele é gratuito? Ele surgiu do nada, por uma explosão (Big Bang), sem causa e nem motivo? Há algo que age, como em Aristóteles, como causa final, aquilo que explica o porquê de todas as coisas?

– Em segundo lugar, a Liberdade: há alguma liberdade, ou seja, alguma escolha livre e indeterminada, que parte de algum lugar, ou de alguém, ou de algum ponto no espaço? Ou tudo tem uma determinação específica, tem uma causa e um efeito específico?

Ora, não importa que haja uma alma, ou seja, que haja uma espécie de “corpo espiritual” exterior ao corpo material, biológico. Interessa sim se essa alma, ou mesmo esse corpo biológico antes da morte, possui uma liberdade de escolha, uma individualidade que opta por algo. E, no contexto mais geral, como é que fica a questão entre o mundo ter uma finalidade, um propósito, ou em ser aleatório, determinado pela rede de causa e efeito?

Assim, a questão muda de figura. Os espiritualistas querem a física para se mostrarem reais e científicos, mas o que fica de lado é o essencial. Somos livres? somos determinados? há um propósito em tudo isso? Não posso responder diretamente a essas questões. Muito o que diria seria crença, fé, ou apenas opinião. Me entusiasmo mais em achar a verdadeira questão do que em respondê-la. Pergunto à vocês, leitores, o que acham? Qual a opinião de vocês e como vocês defendem essa opinião? Vou deixar aqui duas perguntas, e seria interessante se quiserem se envolver nesse debate.

– Existe liberdade? onde (no espiritual, no material, etc) ou em quem (no homem, em Deus, na alma, em todos os seres, etc)?

– O que existe possui finalidade, propósito? Essa finalidade, se existe, é vontade de alguém (ou seja, os homens ou Deus ou qualquer outro ser é quem deseja e faz o mundo ser o que é), ou ela é fruto do acaso, das coisas como surgiram (por exemplo, somo o que somos pois as vivências que tivemos aumentaram a possibilidade de sermos desse jeito)?

E aí, o que vocês acham?


A Peste Emocional

Esse texto, com a autoria de Elisabeth Cavalcante, foi-me enviado por e-mail, sem fontes. Como é um texto interessante, com uma temática muito importante para o site, decidimos postá-lo aqui para que todos tenham acesso às contribuições proporcionadas por Reich, um dissidente da psicanálise que deu atenção ao corpo e suas energias na constituição de nossas vidas.
A peste Emocional
A maior contribuição que Wilhelm Reich, – um dos gênios que a existência enviou a este planeta – deu à humanidade, foi a forma brilhante com que ele definiu as raízes da insanidade humana, a qual chamou de “a peste emocional”.

Para Reich, ela é o resultado da maneira como, ao longo da história, o ser humano foi se afastando cada vez mais de sua verdadeira natureza, livre, inocente, espontânea. E um dos motivos que mais contribuiu para isto foi a repressão da sexualidade, que passou a ser condenada e vista como algo pecaminoso.

As emoções e impulsos naturais do corpo se reprimidos, acabam por se manifestar como violência, ambição, busca de poder sobre o outro, enfim, pela mais diversas manifestações de inconsciência.

Qual é o preço do futuro? – Parte 2: O Outro “eu” na Internet

A internet possibilita hoje que nos dupliquemos dentro da rede, e tenhamos assim um “avatar”. Essa palavra é interessante. Em seu sentido original, avatar significa a manifestação corporal de um ser imortal, segundo o hinduísmo. Já na linguagem da internet, o avatar é uma representação que as pessoas fazem de si mesmo. Essa representação não precisa ser fiel, uma foto de si mesmo, mas é através dela que interagimos com os outros na rede. Toda vez que você se cadastra em algum site, você preenche uma série de informações pessoais: nomes, endereços, e-mails, etc. É assim que os sistemas informatizados e as pessoas do outro lado vão conhecer você.

Mas e suas emoções, suas vivências pessoais, suas reações corporais quando você fica surpreso ou leva um susto? Isso também faz parte de você, mas ainda não pode ser completamente “informatizado”, ou seja, transformado em informação da internet.

Continue reading

Qual é o Preço do Futuro? – Parte 1: Internet e controle

Big Brother, do filme 1984, baseado na obra homônima de George Orwell

As redes sociais são hoje uma das maiores formas de se manter contato com diversas pessoas, próximas ou distantes, e de reencontrar pessoas que há tempo não se vê. Facebook, Orkut, Twitter, entre outras, elas estabelecem diversas formas de contato entre as pessoas, e se tornaram uma febre mundial, uma nova forma de se relacionar com as pessoas. Entretanto, a maioria das pessoas não compreende o potencial de controle das redes sociais. Se pararmos para pensar, a informatização da vida (ou seja, o quanto dependemos da tecnologia para viver) já controla nosso corpo: Por exemplo, em vez de escrevermos cartas à mão, ter de ir até o correio para enviá-la, aguardar dias por uma resposta, precisamos somente acessar a internet, digitar e clicar em “enviar”.

Digitar significa que você não precisa de uma boa caligrafia, pois todas as letras seguem os padrões definidos pelo programa de edição de textos. O corpo muda assim sua forma de interagir com o mundo: é mais fácil, ágil e econômico. O contato à distância também fica mais fácil. Cada vez mais podemos falar e ver o outro. E ainda sonhamos com o dia em que poderemos sentir o outro, com novas tecnologias que possibilitarão a criação de um mundo virtual e de instrumentos para codificar o tato, o cheiro, o gosto. Desejamos isso.

Desejamos entrar na Matrix.

Continue reading

Santo Daime, Experiência fora do Corpo, e ET’s

Aviso que aqui conectaremos vários assuntos, portanto mantenha a mente aberta, ou leia um pouco dos assuntos para receber melhor a informação desse post.

Pra quem não sabe, Graham Hancock é um dos maiores arqueologos/historiadores/pesquisadores do mundo, escreveu muitos livros e já fez alguns documentários como a série Ancient Alien, que é muito boa por sinal e já foi postado aqui no DDD.

O video fala sobre DMT: A molécula do espírito, que é ativada pela Ayahuasca combinada com outras plantas, ela também conhecida pelo nome Santo Daime, hoje em dia difamado por causa dos assassinos do quadrinista Glauco no começo do ano e das discussões ridiculas proporcionadas pela maioria ignorante sobre o assunto, é possível ver um pouco disso no debate feito pela MTV, onde Lazaro Freire e o dono do Blog Saindo da Matrix expressam suas boas opiniões, uma pena o Sidarta ter ficado quieto boa parte do tempo, enquanto o resto apenas gira no mesmo lugar.

Peço que descarte toda a informação que você adquiriu até agora e vamos nos focar não se o Santo Daime é uma droga ou aluscinógeno ou um expansor de consciência, porquê esse tipo de discussão não satisfaz ninguém, a não ser o povo ignorante que se acalma quando classificamos algo, sendo muitas vezes esquecida de contar como ele funciona ou quais são todos os seus efeitos.

O que o Santo Daime faz conosco o que para muitos é descrito como uma experiência pra vida de tão impactante que ela pode ser sobre o indivíduo, essa experiência é chamada de desdobramento, ou seja, uma experiência fora do corpo induzida, muitas vezes chamada de Projeção da Consciência ou Projeção Astral, e isso acontece quando nosso espírito sai do nosso corpo, na verdade não seria espírito, mas alguns dos 7 corpos sutís que temos junto com o corpo físico, e ele fica ligado por um fio de prata ao soma, o corpo físico. Mas por ser usado uma substância para se chegar a esse estado e não técnicas de concentração e relaxamento como normalmente ela é feita, ela acaba sendo mais intensa, pois a sensibilidade fica muito maior, dando ao usuário do Santo Daime um salto nas experiências da Projeção e acabando por achar tudo extraordinário “demais”, e isso acaba sendo uma espécie de Revelação para ele, pois é uma ruptura de sua realidade, e uma das grandes, saber que se tem outro mundo quando se fecha os olhos não é uma informação que se aceite facilmente nos dias de hoje.

Você já deve ter tido a experiência de acordar e não conseguir se mover, ou talvez até flutuado acima de seu próprio corpo, o primeiro caso acontece porque seu corpo acorda antes de seu “espírito” ter voltado para o corpo, e o segundo caso é o próprio espírito flutuando e se vendo, provando que o nosso ser sim em algo mais sútil do que o nosso corpo físico, muito provavelmente a consciência, ou mônada como é chamado pelos indianos. Você já deve ter vistos filmes em que a pessoa se vê flutuando (Filme Enter the Void é um ótimo exemplo disso, agradeço ao leitor Eduardo da Cruz pela dica), isso acontece as vezes com as pessoas que estão muito doentes. Tal experiência é chamada de EQM, experiência de quase morte, explicada muito bem no Documentário Vida Após a Vida e nos livros do Amit Goswami.

Agora vamos para parte mais controversa…

ET’s sempre dão o que falar, sempre muita crítica, vociferações de negativas e ceticismo pra lá e pra cá, mas antes de você já começar a construir inconscientemente que agora o post se desviou do caminho, ou se perguntar “o que tem os et’s a ver com isso?”.

Primeiro devo dizer que não são Et’s e sim seres de outra dimensão, e o que isso quer dizer? Quer dizer eles estão no mesmo universo que a gente porém não conseguimos ver ou ter contato com eles em nosso estado normal de consciência. A DMT, molécula do espírito, citado no video mostra acima é o que aparenta ser o fator que dá ignição a experiência da forma alterada de consciência, sendo ela liberada e produzida pela glândula pineal que também tem a função uma antena como dito por Graham Hancock na entrevista.

O Santo Daime até então só vem confirmando que não faz mal, e não causa dependência da substância, então por enquanto para quem é curioso vale a pena a experiência, se antes for estudada e visto suas reações.

Obs: Ainda não usei, mas vou. Postando de Ilha grande.

Apotilas sobre Projeção da Consciência que eu li.

Destruidor de Dogmas: Astar Sheran.

Destruidor de Dogmas: Glândula Pineal – Novos Conceitos e Avanços nas Pesquisas

Site Oficial de Graham Hancock.

Quociente Espiritual: Desdobramento Espiritual.

Quociente Espiritual: O Ser Multidimensional.

Blog Animus Libertus

Déborah Sach fala sobre Projeção Astral no Jô Soares

Documentário: BBC – 10 Coisas que Você tem que Saber Sobre Perder Peso

Sinopse: Todo ano, milhões de pessoas tentam perder peso e a maioria fracassa. Somos constantemente bombardeados com dicas sobre emagrecimento e as últimas dietas da moda. Neste programa, o médico e jornalista Michael Mosley investiga as últimas descobertas científicas em emagrecimento, revelando 10 formas bem simples de perder peso. Do segredo da sopa à resposta do nosso cérebro após eliminarmos uma refeição, o que ele descobre pode mudar o que você pensa sobre dietas, saúde e perda de peso. Michael não aparenta ter sobrepeso, mas, ao fazer o documentário, ele descobriu que, como milhões de outros, tem gordura interna ao redor dos seus rins e fígado. Em razão disso, ele mesmo testa as dicas científicas e, ao final do programa, mostra o resultado alcançado. Além disso, o músico Alex James, um apaixonado produtor de queijos, testa uma intrigante descoberta científica – que os laticínios com pouca gordura podem ajudar a excretar mais gordura dos alimentos. A apresentadora de rádio, Amy Lame, aprende como pequenas alterações em sua rotina diária podem ajudar a queimar mais calorias, dica útil para quem odeia exercícios e academia. A atriz Debbie Chazen, que se alimenta de forma saudável, tem seu metabolismo testado e faz um diário de sua alimentação, obtendo resultados surpreendentes. O programa revela o motivo pelo qual a sopa nos mantém saciados por mais tempo que o alimento sólido. Cheio de dicas práticas e observações científicas, o documentário mostra como qualquer um pode emagrecer mais facilmente.

Obs: Você sabia que proteínas deixam você satisfeito por mais tempo? talvez por ficarem no intestino por mais tempo também para serem absorvidos. Você sabia que ingerir derivados de leite com pouca gordura faz você excretar mais gordura do que o normal, ou seja, você ingeri menos dela. Você sabia que fazer exercício não faz você perder muitas calorias, e sim depois dele (24 horas seguintes) que você vai perdendo. Só vou falar alguns para não estragar o documentário.

Aproveite você que está preocupado com a sua saúde, ou simplesmente querendo emagrecer. Informações que vão quebrar o paradigma sobre como emagrecer.

Filme Torrent
Legenda
Ver Online

Baixar o Filme

Pode parecer um pouco fora do foco do DDD, mas a saúde tem que ser um preocupação constante, não apensar ser levada em conta em tempos difíceis em quando há uma preocupação estética de seu corpo.

Facebook