Tag: bullying

Os psicólogos identificaram o tipo de inteligência emocional que faz com que os trolls da Internet sejam maus


O que há com o comportamento das pessoas online? Por que a prontidão para atacar, o tom sarcástico, a falta de cortesia inerente a tantos comentários? 
A internet pode trazer à tona o pior das pessoas, que quando levado a extremos se transforma em trolling - aquele bizarro hábito impulsivo de prejudicar os outros na internet, sem serem punidos.

Pesquisadores na Austrália começaram a descobrir quais características em pessoas “normais” (usuários de mídias sociais acima de 18 anos que não pareciam ser trolls) poderiam torná-las suscetíveis ao comportamento de trollagem. 
Usando um questionário online, os pesquisadores da Escola de Ciências da Saúde e Psicologia da Federation University em Mount Helen testaram 415 homens e mulheres para uma série de traços de personalidade, bem como para comportamento online que indicava uma propensão ao troll - como concordar com a declaração, "Embora algumas pessoas pensem que minhas postagens / comentários são ofensivos, eu acho que eles são engraçados".

Os pesquisadores estavam procurando características particulares, incluindo habilidades sociais, psicopatia, sadismo e dois tipos de empatia: afetiva e cognitiva. Ter alta empatia cognitiva significa simplesmente que eles podem entender as emoções dos outros. Ter alta empatia afetiva significa que uma pessoa pode experimentar, internalizar e responder a essas emoções. Os “trolls” no estudo pontuaram acima da média em dois traços: psicopatia e empatia cognitiva.

Assim, mesmo que os “trolls” exibam um tipo de empatia, acoplá-lo à psicopatia acaba por torná-los desagradáveis, sugeriram os pesquisadores. A psicopatia, que inclui a falta de cuidado com os sentimentos dos outros, foi medida usando uma escala em que os participantes foram solicitados a concordar ou discordar com um conjunto de declarações como “o retorno precisa ser rápido e desagradável”.

Altos níveis de empatia cognitiva tornam essas pessoas acostumadas a reconhecer o que vai aborrecer alguém e saber quando pressionaram os botões certos. A falta de empatia afetiva permite que os trolls não experimentem ou internalizem a experiência emocional de suas vítimas.

“Os resultados indicam que, quando se trata de psicopatia de alto traço, os trolls empregam uma estratégia empática de prever e reconhecer o sofrimento emocional de suas vítimas, enquanto se abstêm da experiência dessas emoções negativas”, escreveram os pesquisadores. Eles acrescentaram que, como a psicopatia está associada à busca de adrenalina e à impulsividade, é possível que “criar o caos on-line seja um motivador central para trollar”. Eles também descobriram que os trolls provavelmente eram ricos em sadismo – a vontade de ferir os outros – e mais provável que seja do sexo masculino.

O estudo é publicado na revista Personality and Individual Differences. Ele não oferece conselhos sobre como interromper o comportamento de pesca esportiva, mas adiciona uma ruga ao nosso conhecimento de por que as pessoas agem on-line. Em pesquisas anteriores, pessoas que exibem traços psicopáticos mostraram um desequilíbrio de empatia similar: falta de empatia afetiva, mas níveis normais de empatia cognitiva. Este estudo ligou os traços psicopáticos e os níveis mais altos de empatia cognitiva às pessoas que provavelmente trilham.

Explorar a ligação entre psicopatia, alta empatia cognitiva e trolling poderia ajudar a aprofundar nossa compreensão dos tipos de personalidade que gravitam em torno desse comportamento e potencialmente ajudar a detê-los.

Fonte: Quartz
tradução Destruidordedogmas

 

Planta Sofre Bullying Durante 30 Dias, veja o que mudou

Em um experimento, planta sofreu bullying durante 30 dias

Em uma campanha super inovadora e inteligente, a IKEA, empresa conhecida nos EUA e Canadá, resolveu disponibilizar duas de suas plantas para um teste contra bullying.

O experimento contou com duas plantas e centenas de crianças para ajudar a promover o esclarecimento sobre o Anti-Bullying Day – que ocorreu no dia 4 de Maio.

O Anti-Bullying Day surgiu no Canadá e é um dia onde as pessoas usam laranja, rosa, azul ou roxo para simbolizar a luta contra o bullying.

A ideia envolveu a empresa IKEA que levou duas de suas plantas para uma escola. Nessa escola, uma das plantas era alimentada com elogios e palavras de encorajamento; enquanto a outra era agredida verbalmente com palavras de ódio. Isso aconteceu por 30 dias consecutivos.

Os alunos poderiam ir pessoalmente ao local ou gravar suas vozes para serem usadas através de uma interação por mídias sociais. Dessa forma, os alunos podiam gravar as palavras de amor ou ódio e enviá-las para serem utilizadas com as plantas.

Após 30 dias, os resultados foram impressionantes e falavam por si mesmos. A planta que recebeu elogios continuava bem, enquanto que a planta que sofreu o bullying estava visivelmente mal. Confira a foto abaixo:

Ambas as plantas foram tratadas da mesma forma: receberam a mesma quantidade de água. Elas também foram expostas à luz do sol, água e fertilizantes. A única diferença entre o tratamento foram as palavras ditas às plantas.

Enquanto uma recebia palavras de encorajamento, a outra somente recebeu palavras de ódio durante os dias que se passaram.

bullying

Estudos na área

Esse experimento é muito importante para ajudar a esclarecer o quanto o bullying é prejudicial não só para humanos, mas também para o meio ambiente como um todo.

Além disso, esse teste mostra que as plantas são perfeitamente capazes de perceber agressões. Elas também parecem ter consciência do que acontece ao seu redor e até mesmo de intenções ocultas na mente humana.

O assunto já foi tema de importantes pesquisas e até de um livro: A Vida Secreta das Plantas, de Peter Tompkins e Christopher Bird.

Ao longo da história, a vida e sensibilidade das plantas foi sendo desvendada por diversas pessoas. Nas comunidades pré-históricas, os xamãs já sabiam que as plantas possuíam uma vida secreta. O místico alemão Jacob Boehme (1575-1624) também dizia ser capaz de penetrar na consciência das plantas.

Dessa forma, inúmeras pesquisas foram sendo conduzidas até que se tivesse uma percepção melhor sobre o assunto. O brasileiro Arlindo Tondin, mestre em eletrônica pela Universidade de Nova York, fez uma investigação para comprovar a tese da seiva. Ele fixou eletrodos próximo à raiz e num dos galhos de um limoeiro.

O engenheiro também averiguou se as agressões externas eram capazes de afetar a corrente elétrica que circulava na planta. Para saber mais sobre essa pesquisa, clique aqui.

Essa pesquisa faz parte de um conjunto de inúmeras descobertas que prometem revolucionar a visão que temos do mundo. É provável que haja um relacionamento mais harmonioso entre a natureza e o homem.

Fonte: http://somosverdes.com.br/planta-sofre-bullying-durante-30-dias-e-os-resultados-sao-inacreditaveis/

Os “vingadores online” estão de olho em você. Entenda como comentários preconceituosos podem destruir sua vida

10959790_10155151848185125_4023274581240081750_n

Milhares de pessoas mundo sofrem comentários homofóbicos, xenofóbicos ou simplesmente ofensivos todos os dias, e uma grande parte delas não sabe o que fazer ou como reagir, perpetuando assim uma cultura negativa e de certa forma facilitando ações e pensamentos preconceitosos.

Em 2013, uma mulher chamada Justine Sacco antes de pegar um voo muito longo dos EUA até a África do Sul, fez o seguinte comentário no Twitter: –“Going to Africa. Hope I don’t get AIDS. Just kidding. I’m white!”, traduzindo seria- “Indo pra Africa, espero não pegar AIDS, Brincadeira, eu sou branca!

E esse comentário foi retwitado por um escritor de um site famoso de tecnologia, Sam Biddle, e isso virou assunto na internet rapidamente, sendo que já estavam pedindo pra alguém tirar uma foto dela quando ela chegasse no solo, pois tudo isso aconteceu enquanto ela estava no avião, ou seja, ela nem sabia que tinha virado simbolo de preconceito e humor negro.

Ela acabou perdendo seu emprego e namorado, tudo isso por causa de um comentário, um outro caso um pouco diferente, mas que envolve uma vingança online é o de uma menina que jogava online e foi ameaçada de estupro pelos jogadores, ela fez o que ninguém pensaria, achou as mães dos jogadores e as notificou dos comentários infelizes de seus filhos, uma vingança do bem?

Continue reading

Facebook