Tag: ateu

Por que me afastei da espiritualidade depois de tanto tempo?


Desde de adolescente tive a vontade de procurar respostas para as questões internas, como ser cada vez melhor? Quais temas devo estudar para evoluir?

Uma das respostas apresentadas para um recém ateu, foi a espiritualidade, que não necessariamente envolve a existência de Deus, mas uma busca pelo equilíbrio e conhecimento.

Nesse caminho fui estudando religiões, mitologia, e todos os assuntos que discuto aqui, e vi muitas coisas boas naquilo que eu negava quando adolescente,  mas de 2003 para cá muita coisa mudou, e comecei a descobrir um outro lado da espiritualidade, eu e muitas outras pessoas.

Eu já disse aqui muitas vezes que sempre existe um BOOM da descoberta de algo e depois há uma procura pelo equilíbrio ou vai direto para a extinção, e a espiritualidade foi repaginada, agora era algo de jovens, podíamos nos preocupar com nós mesmos de uma forma prática, em espaços preparados para isso, ou até melhor, a meditação e o yoga invadiram os escritórios para levar qualidade de vida as pessoas, qualidade essa comprovada cientificamente.

Mas uma coisa me incomodava muito nesse mundo.

Antigamente quem procurava essas atividades era quem realmente buscava algo, se interessava muito, mas aí comecei e me relacionar com as pessoas que eram hardcore nesse universo, professores de escolas famosas de yoga, gente que era vegan, e percebi uma coisa que me fez repensar esse “movimento”.

E vou falar isso, que foi a minha experiência, em um português bem claro,  existia muita gente sem caráter que fazia parte desse estilo de vida, e o que era para ser algo popularizado, acabou virando algo elitizado.

E aí a frase “faz yoga e não dá bom dia pro porteiro” fez muito sentido, era um modismo, uma pseudo busca, para muitos, não para todos, de autoconhecimento, mas que não alcançava nada, se existia gente desonesta (como qualquer outro lugar) que fazia meditação, e foi nesse momento que me perguntei:

– O que procuram essas pessoas então?

Para mim era difícil separar a vida espiritualizada dos valores humanos, da honra, honestidade, coragem, justiça, e para muitas dessas pessoas uma coisa não se conecta com a outra, aliás, muito pelo contrário, basta apenas participar de aulas que você já estaria no clã deRose ou qualquer outro grupo de espiritualistas que isso o elevaria socialmente e espiritualmente.

Realmente achava uma pena.

Tive experiências boas também, não conheci só gente ruim, mas com certeza eu tiro algo negativo desse universo.

E até em outra categoria desse universo, a dos gurus do espiritismo, das pessoas que ensinam os “poderes” da alma tive experiências negativas, como viagem astral e psicografia.

Essa comercialização da espiritualidade me incomoda bastante, e não preciso nem dizer o porquê, você leitor sabe, conhece Chico Xavier, João de Deus, Jesus Cristo, citaria até Confúcio nesse meio.

Coloquei até essa sátira do youtube como foto desse post, que eu acho bem engraçado, dos espiritualistas hardcore, o Ultra Spiritual, e certas coisas ele nem muda muita coisa, a piada é a realidade mesmo.

Como disse no começo desse texto, acredito que estamos passando pelo boom, ou talvez estejamos no início de seu equilíbrio , acredito que tudo isso se tornará ainda mais popular e poderá ajudar ainda mais as pessoas, e principalmente abrir a cabeça delas, pois infelizmente não é possível crescer de olhos fechados, é preciso conhecer lugares e pessoas novas, viver experiências, e principalmente, aprender com tudo isso, não adianta viajar o mundo e continuar a mesma pessoa, fazendo as mesmas coisas, não saindo da própria bolha.

E acredite, muita gente viaja o mundo e não tem o mínimo de caráter.

Eu sempre tive uma máxima na vida que é: Se você faz o certo não tem como errar, seja no seu trabalho, no seu relacionamento com os outros, em questão de liderança e organização, a questão é quando não se faz o certo, e quando falo certo você deve se perguntar “Como posso fazer isso de forma eficiente e ao mesmo tempo ajudar as pessoas que estão envolvidas?”.

Consciência muda qualquer ambiente de trabalho ou de amigos

E caráter muda a sua vida inteira.

Animação: Você conhece Deus?

 

Acho que é um ótima animação para refletirmos, mas não só do ponto de vista ateu, mas do ponto de vista dos religiosos também.

Todos experienciamos coisas que muitas vezes não compreendemos, nossa consciência se transforma em rituais religiosos as vezes e sentimos algo diferente, um calor, uma leveza, ou o que for, e muitas pensam pensar ser o contato com Deus, pensam que a resposta de seu cérebro, corpo, e espírito para aquela situação é Deus falando com eles, mas falo que não é, e é ao mesmo tempo.

Como assim?

Continue reading

Debate: Deus Existe?

 

Parte 2
Parte 3
Parte 4
Parte 5
Parte 6
Parte 7
Parte 8
Parte 9
Parte 10
Parte 11
Parte 12
Parte 13
Parte 14

Uma coisa dentre todas as discutidas me chamou muita a atenção, todas as pessoas reclamam do sofrimento no mundo, pois não conseguem enxergar além dela, e claro, tem medo de que seu dia de experimentá-la chegue, mas nessa discussão há Deus como fator determinante, o que muda muita coisa nesse questionamento se o sofrimento deve ser evitado a todo o custo ou não, o que na minha opinião não deve, pois ele serve como alavanca para o crescimento do ser humano, mas vemos no mundo mortes de milhões de crianças por malária, uma doença bem simples se tratada no começo, e esse fato de muitas crianças morrerem, obviamente bem cedo em suas vidas, mas se tomarmos o pressuposto que existe uma consciência viva por trás do universo (sendo ela a da bíblia ou não), há de haver um ciclo de reencarnação, pois se Deus é  todo poderoso e apenas bondade, ele não daria apenas uma vida, ou um corpo físico, para uma pessoa experiênciar, pois se não há intervenção na maldade e no sofrimento “desnecessário”, como a morte de crianças de fome ou doenças, então há por meio de uma necessidade de se dar sentido a vida e entender o mecanismo da mesma a necessidade de uma pessoa/alma ter mais do que um só corpo, pois como dito na religião cristã, nós só temos uma vida (o que na minha opinião é uma afirmanção equivocada, mas não tenho o conhecimento ainda para debatê-lo), mas seria demasiadamente injusto, para não dizer falho, um sistema que possibilita em larga escala a “anulação” da experiência vida de um ser.  Sendo que de acordo com a interpretação comum da bíblia ou a pessoa vai para o inferno ou para o céu, mas no céu apenas uns poucos estarão, algumas centenas somente como é falado na bíblia, enquanto no inferno bilhões perecerão.

Quero chamar a atenção para a falta de congruência nesse aspecto, ou nossa interpretação da bíblia é muito fraca, pra não dizer nenhuma, ou ela não condiz consigo mesma. Acredito que seja a primeira opção.

E uma outra coisa surgiu no meio da discussão que acho bom ressaltar, SE existir um, ou vários, ser pensante além da nossa dimensão e que veio antes da criação do tempo e espaço, portanto se há algo/alguém agindo por trás de tudo que acontece no universo, ele tendo uma compreensão além do tempo como o experienciamos não agiria de forma tão direta como descrito na bíblia, pois ele teria uma mente tão avançada, como por exemplo o Dr. Manhatam do quadrinho Watchman ou mesmo os Observadores da série de Tv Fringe, que não teria ações com o pensamento tão humano, e sim algo muito mais compreendedor da mecânica do universo. Claro, isso não é nenhuma certeza, mas faria mais lógica se assim o fosse.

O ateu, Austin Dacey, fala no final que a alma/consciência não implica nada nesse assunto o que mostra certa ignorância nesse da parte dele, pois há vários experimentos demonstrados pelo Dr. Jacobo que demonstram uma possível ligação, por favor leia a parte Pensamento Quântico do blog.

Peço a todos que não tentem converter alguém que não queira ouvir, ou que não esteja preparado, além da inutilidade da tarefa, você tem que ligar pra quem a pessoa é e não na crença dela de onde ela vai depois da morte.

Espero que leiam alguns complementos para esse post que já há no blog.

Posts relacionados:

Como Fazer Alguém Virar Ateu
Documentário: O Código da Bíblia
Documentário: Falsos Profetas?
A Segunda vinda, e a Função do Sonho de que Tudo vai Melhorar
Ashtar Sherar – O Trabalhador da Luz
A Suméria é Devastada por Armas Nucleares

Religião, O Outro Lado do Meu Ego

Parte 2

Vemos nesse video um ateu (PC Siqueira) falando o que acontece com certos tipos de religiosos, o religioso que acredita nas palavras cuspidas dos pastores que mais parecem vendedores. Há certa explicação para ele fazer esse video, e é porque ele foi ofendido ao falar sobre Deus em um de seus videos, e isso me fez voltar a pensar nesse assunto que pra mim já é bem antigo, o porque as pessoas acreditam em Deus, e porque sempre se ofendem e defendem vorazmente contra qualquer questionamento ou ofensiva para a moralidade emprestada dos líderes religiosos.

O que nosso amigo PC Siqueira e muitas pessoas que lêem esse blog provavelmente devem sentir quando encontram pessoas assim, super defensivas e confusas, não é raiva e sim uma frustação, pois raiva se sente quando estamos errados para a maioria das pessoas, o que acontece muito com esse tipo de pessoa religiosa, que baseia sua moralidade não em experiências/conclusões pessoais, mas sim de má interpretações e mensagens super-confiantes de pessoas superficiais.

Existem algumas pessoas como Richard Dawkins (o considerado líder ateu mundial) que mostra sua ofensiva de modo inteligênte porém não sábio, por ter muito ego, ofender e constranger as pessoas, e seu único argumento ser a teoria ainda não completa da evolução de Darwin, o que para muitos pode funcionar, mas com certeza essa não é a melhor abordagem que se pode ter do assunto, não se pode ridicularizar a crença dos outros, existem pessoas que acreditam que “precisam” de um Deus se não o mundo não faz sentido, ou seja, pra eles “Deus é sempre a resposta para nossa ignorância”, o que de fato por milhares de anos demos explicações divínas a coisas físicas.

Muitas pessoas usam Deus como preenchimento de seu vazio interior dado devido a ignorância e falta de sabedoria, e são essas pessoas que não admitem que se fala mal de Deus ou duvide, pois o grilhão do medo e da ignorância não se despreenderá facilmente enquanto não houver uma chave para separá-lo e dar uma nova direção que tenha volume para preencher o vázio, para deixar de ser um vazio e ser algo do ser do indivíduo.

E quando eu falo no título desse post que religião é outro lado do ego, estou equivocado, pois religião não é somente algo de relação bem estreita com o ego, mas está sim muito mais para o Superego, que seria a parte moral da mente humana e representa os valores da sociedade.

O superego tem três objetivos:

  1. inibir (através de punição ou sentimento de culpa) qualquer impulso contrário às regras e ideais por ele ditados
  2. forçar o ego a se comportar de maneira moral (mesmo que irracional) e
  3. conduzir o indivíduo à perfeição – em gestos, pensamentos e palavras.

Veja a tamanha semelhança com o tipo de religião que se vê por aí hoje em dia.

Leia também o Post: Como Fazer Alguém Virar Ateu?

Como Fazer Alguém Virar Ateu?

darth-vader-star-wars

Como Fazer Alguém Virar Ateu?

Frequentemente ouço isso, antigamente me perguntava isso também.

Fazia esquemas, juntava argumentos imaturos usando a bíblia como fonte, e as contradições dela e das pessoas que pensam viver segundo sua palavra.

Um ateu nasce de uma revolta para com o sistema religioso que nos envolve hoje, pela descrença nas divindidades, por um simples trauma ou por ter uma falsa idéia que é o mais lógico não acreditar em Deus e tirar o crédito de milhares de anos de sabedoria escrita em todas as religiões.
Ser ateu é apenas o outro lado da moeda, é ser tão cego quanto um crente fanático, devemos como diria Buda, “Seguir o caminho do meio”,pois apenas com o equilíbrio é que se consegue viver feliz e em harmonia.
Mas o que venho falar aqui na verdade não são palavras zen apenas, e sim mostrar uma outra razão por trás das crenças religiosas.

Ateus geralmente estudam bastante as ciências para ter argumentos contra religiosos, mas esquecem um fator muito importante, “Como viver a vida?”. Qual seria a importância de saber, ou pensar saber, sobre todas as ciências e esquecer de como se comportar, como tratar as pessoas, como respeitar e ser alguém moral? Além de estudarem algo totalmente distorcido como é a ciência que nos apresentam hoje em dia (resultados são manipulados para o bem das multinacionais), pois me responda uma coisa, você leitor, acreditar em algo sem você mesmo ter tirado de veracidade dela, é ter naquele que dizem que é certo? E isso se assemelha muito ao que as pessoas religiosas fazem, mas existe uma diferença, e claro existem exceções em todos os casos, uma pessoa que procura Deus não como fim, mas como meio, é muito tranquila e geralmente está feliz, sim, muitas vezes isso é uma felicidade ilusória passada pela igreja, mas ela encontra tranquilidade, e existem muitas pessoas sábias e inteligientes que gostariam de acreditar ou acreditam, e a bíblia foi a primeira experiência e a mais próxima que apareceu para eles.

Dizem que a religião roubou a moralidade, e sim muitos religiosos afirmam isso com seus discursos sobre bem e mal, mas existe muita coisa por trás do que simples mitologias.

Mas o que eu quero dizer na realidade é, de que adianta tentar converter um religioso, mostrar as “falhas” ou “má compreensões” de seus ensinamentos se ela vive tranquilamente, tem gente que não está preparado para ouvir certas coisas, e existem pessoas que precisam de certezas para viver suas vidas, como crentes e ateus, já outras apenas vivem, como os agnósticos, e na realidade é isso que importa, é o jeito que você vive a vida.

Se tudo fosse destruido, e nada sobrasse do mundo, você ateu ia ser uma pessoa melhor que um religioso? Essa é a questão, crenças as vezes ajudam as pessoas a se tornarem melhores.

Tem uma frase da bíblia que me lembro, “os justos terão o caminho eterno”, algo parecido.
E com certeza é nisso que devemos nos focar.

Não tente converter ninguém, tente compreendê-lo, pois até por que como venho mostrado aqui no site a compreensão do que é Deus verdadeiramente está longe das que nos vendem em igrejas e mesquitas no mundo.

Veja o Episódio de South Park que serve para tirar uma dos Mormons, mas no final eles mostram essa visão que tenho.
Baixe por aqui.

Níveis de Crenças.

catedral-divina

1 Teísta convicto. Probabilidade de 100% de que Deus existe. nas palavras de Carl G. Jung, “Eu não acredito, eu sei”.

2 Probabilidade muita alta, mas que não chega aos 100%. Teista de facto. “Não tenho como saber com certeza, mas acredito fortemente em Deus e levo minha vida na pressuposição de que ele esta la.”

3 Maior que 50%, mas não muito alta. Tecnicamente anostico, mas com uma tendência ao ateismo. “tenho muitas incertezas, mas estou inclinado a acreditar em Deus.”

4 Exatamente 50%. Agnostico completamente imparcial. ” A Existência e a inexistência de Deus têm probabilidades iguais.”

5 Inferior a 50%, mas não muito baixa. Tecnicamente agnostico, mas com uma tendência ao ateismo. ” Não se se Deus existe, mas estou inclinado a não acreditar.”

6 Probabilidade muito baixa, mas que não chega a zero. Ateu de facto. “Não tenho como saber com certeza, mas acho que Deus é muito improvavel e levo minha vida na pressuposição de que ele não esta la.”

7 Ateu convicto. ” Sei que Deus Não Existe, com a mesma convicção com que Jung ‘sabe’ que ele existe.”

Richard Dawkins, Apesar de não concordar com tudo que ele diz, pois ele ignora qualquer fato religioso/espiritual/divino,  ele classifica bem as coisas e mostra bem seu ponto de vista uma pena ele ser bem agressivo na demonstração dele.
Facebook