Tag: agua (page 1 of 2)

Dos astros que possuem água do Sistema Solar a Terra é um dos que menos tem

 

Crédito de imagem: Steve Vance; NASA/JPL-Caltech

Na próxima vez em que alguém lhe perguntar qual o maior oceano, aponte na direção de Júpiter.

Com os seus quase 1,4 bilhões de quilômetros cúbicos de água, o nosso planeta é praticamente um deserto em comparação com outras partes do sistema solar.

Europa – a lua de Júpiter, não o continente -, por exemplo, possui aproximadamente o tamanho da nossa Lua, mas provavelmente esconde um oceano subterrâneo com mais do que o dobro da água existente na Terra.Ganimedes, outro satélite de Júpiter, possui cerca de 39 vezes mais água do que o nosso planeta, apesar da maior parte estar em forma de gelo.

E os cientistas continuam encontrando água onde quer que olhem: em setembro, pesquisadores revelaram que Dione – uma das luas de Saturno – provavelmente também tem um oceano subterrâneo.

O Business Insider, junto do cientista Steve Vance, da NASA, construíram o seguinte gráfico, que relaciona o raio de alguns corpos do Sistema Solar e o raio que uma esfera contendo toda a água do corpo em questão teria.

Inventaram uma torneira geradora de energia através do movimento da água

Duas coisas que são fundamentais para vida moderna – água e energia elétrica – ainda são artigos de luxo em algumas partes do mundo. Sabendo disso, o coreano Ryan Jongwood criou uma torneira que gera eletricidade com o movimento da água no encanamento. Dá pra acreditar?

Chamada de ES Pipe Waterwheel, o conceito é semelhante ao aproveitamento de energia cinética dos moinhos de água, por exemplo. A eletricidade fica armazenada em lâmpadas específicas e, quando estão carregadas, são utilizadas para iluminação ambiente.

ES Pipe Waterwheel foi finalista no Prêmio IDEA, uma das principais competições de design do planeta. Além de muitos benefícios, o sistema é fácil de usar e instalar no encanamento já existente. Assista ao vídeo ilustrativo, logo abaixo:

Fonte: http://engenhariae.com.br/

É possível captar energia das Ondas do mar, conheça a maior usina da América Latina no Ceará

Com orçamento estimado em R$ 18 milhões, o projeto já gera energia em modo experimental na região

Considerado uma fonte estratégica para todo o mundo e, principalmente, para o Brasil, o mar vem chamando a atenção de especialistas em energia, que já testam e implantam algumas alternativas de geração, como a usina de ondas.

Localizada no quebra-mar do Porto de Pecém, a 60km de Fortaleza, a usina de ondas é a primeira na América Latina responsável pela geração de energia elétrica por meio do movimento das ondas do mar. Com tecnologia 100% nacional, a estimativa é de que o equipamento de baixo impacto ambiental esteja completamente pronto para funcionar até o ano de 2020.

O projeto dos pesquisadores da Coordenação dos Programas de Pós-Graduação de Engenharia (COPPE), da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), é financiado pela Tractebel Energia, dentro do programa de P&D da Aneel, e conta com apoio do Governo do Estado do Ceará. O custo estimado é de R$ 18 milhões.

Deverão ser gerados 100 quilowatts (KW) para o abastecimento de energia do principal porto cearense. Ou seja, é possível abastecer cerca de 60 famílias.

Entenda o funcionamento

A Usina de Ondas traz como principal inovação a construção em módulos, o que permite a ampliação da capacidade.

Cada módulo é formado por um flutuador, um braço mecânico e uma bomba conectada a um circuito de água doce. A medida que as ondas passam, os flutuadores sobem e descem, o que aciona bombas hidráulicas, que fazem com que a água doce contida em um circuito fechado, no qual não há troca de líquido com o ambiente, circule em um local de alta pressão.

Essa água que sofre grande pressão vai para um acumulador, que tem água e ar comprimidos em uma câmara hiperbárica. Além das ondas, o mar oferece a possibilidade de geração de energia impulsionada pela movimentação das marés. De acordo com estudos, o Brasil tem condições de explorar todas essas fontes.

Estima-se que os 8 mil quilômetros de extensão litoral no Brasil podem receber usinas de ondas suficientes para gerar 87 gigawatts. Desse total, 20% seriam convertidos em energia elétrica, o que equivale a aproximadamente 17% da capacidade total instalada no País.

Confira o vídeo do projeto, divulgado pela Coppe UFRJ:

Estudantes criam parede que promete substituir ar condicionado

Aparelhos de refrigeração e climatização são comuns em muitas casas em empresas. Estes equipamentos, que ajudam a amenizar o desconforto das altas temperaturas, são responsáveis por grande parte do consumo de energia elétrica, além de contribuírem para a chamada “pegada de carbono”, que mede a quantidade de CO2 produzida diariamente por cada pessoa.

Pensando nisso, estudantes do Instituto de Arquitetura (IAAC), na Espanha, criaram um protótipo de parede que promete resfriar o ambiente sem a necessidade destes eletrodomésticos.

O material recebeu o nome de hydroceramics (hidrocerâmica) e é composto de bolhas de hidrogel que são capazes de reter até 400 vezes o seu volume em água. Graças a essa propriedade, as esferas absorvem a água e, em dias quentes, evaporam, resfriando o ambiente.

Basta um dia de chuva para que a bolinhas sejam reabastecidas e fiquem prontas para reiniciar o processo, dispensando energia elétrica e garantindo um uso limpo e sustentável.

Confira no vídeo o conceito do novo produto:

fonte: http://www.pensamentoverde.com.br/

ar-condicionado natural

O JARRO DE VIDRO: UMA HISTÓRIA QUE VOCÊ NUNCA MAIS VAI ESQUECER

20121017-215457“Big Rocks” (ou “Jarro da vida”) é uma historia curtinha, sobre a importância do conceito de prioridade, bastante utilizada por professores, filósofos, palestrantes e em muitos textos pela internet. Por aqui acho que ainda não tinha sido publicada, então vamos lá.

Um professor coloca um grande jarro de vidro vazio sobre uma mesa.

Em seguida, pega uma sacola cheia de bolas de golfe e vira todas dentro do jarro, até a boca.

 

PROF: “Muito bem. Meus caríssimos alunos, como vocês puderam observar, acabei de encher esse jarro de vidro. Certo?”

ALUNO: “Certo.”

PROF: “Não. Errado.”

O professor agora pega outra sacolinha, cheia de pedrinhas bem pequenas e, segurando o jarro com as mãos, dá umas chacoalhadas até elas irem preenchendo os espaços vazios.

20121017-215555

PROF: “Ahá. Como vocês podem ver, o jarro não estava cheio! Ainda cabiam umas pedrinhas nos espaços vazios. Agora sim está cheio! Ou … não está?

ALUNO: (…)

Mais uma vez o professor pega outra sacolinha, cheia de açúcar.

20121017-215657

E sorrindo para a turma, que já desconfiava que vinha algo assim pela frente, fala:

PROF: “Muito bem, o jarro ainda não estava cheio – como vocês desconfiaram – e ainda dá para colocar um monte de açúcar aqui dentro. Agora sim! Cheio! Certo?”

ALUNOS: “Hmmm acho que agora sim”

O professor pega então seu cafezinho que estava em cima da mesa, levanta à sua frente como quem faz um brinde e abre um sorriso esperto. Os alunos dão risada. E o café é despejado beeeeeeem lentamente no jarro.

cafe

A CONCLUSÃO

 

PROF: “O jarro é a sua vida. As bolas de golfe são as coisas que você acha mais importantes: sua família, sua saúde, seus amigos, suas crenças, seus valores, suas paixões. São aquelas coisas que, se todo o resto faltasse, ainda assim sua vida estaria preenchida.

As pedrinhas são as outras coisas que você vai acumulando: a sua casa, o seu carro, suas músicas, seus filmes, o seu emprego, seu smartphone, etc.

E o açúcar é todo o resto, é o seu cotidiano.

Então… qual é a melhor conclusão dessa história?”

ALUNOS: “Hãnn.., tem sempre espaço para tudo na sua vida?”

PROF: “Melhor que isso. A parte importante é a sequência.

Se eu tivesse começado pelas pedrinhas pequenas, ou pelo açúcar, não teria conseguido preencher totalmente o jarro. É uma demonstração da importância das prioridades e da consequente hierarquia dessas coisas. De outra forma, nem todos os espaços teriam sido preenchidos.

Se você usar toda a sua energia e seu foco só nas coisinhas pequenas o tempo todo, vai chegar uma hora que aquilo te ocupa tanto que não sobra espaço para coisas maiores. Saber dar prioridade para as coisas que são realmente importantes é algo crítico nas tomadas de decisões. Investir tempo na sua família, fazer seus check-ups médicos, viajar com alguém importante para você são bolas de golfe. Mas muitas vezes a gente fica só brincando no açúcar o tempo todo porque distrações docinhas não faltam por aí.

Aprenda a despejar as coisas na ordem certa. Aprenda a dizer sim, aprenda a dizer não. Aprenda a priorizar.

Escreve aí um post it: “BOLAS DE GOLFE” e gruda no monitor. Faz uma telinha de fundo “BOLAS DE GOLFE” pro celular. Dois lugares muito indicados para o lembrete.

ALUNO: “Professor, mas e o café? Representa o quê?”

PROF: “Ah é! O café! O café é só pra lembrar que sempre dá pra enfiar um cafezinho despretensioso com alguém na sua agenda. Esse sempre cabe”

 

Obs: essa história, que era contada inicialmente com pedras grandes (e por isso o “Big Rocks”) é de autor desconhecido, mas há registros na internet que datam lá de 2005. Existem também alguns videos, são fáceis de achar pelo Google. A narrativa acima é uma adaptação livre minha, de texto e também do açúcar ao invés da areia original 😉

Japão vai construir a maior usina solar flutuante do mundo

Espaço é um problema para projetos de energia limpa

O Japão tem cerca de 233.000 quilômetros quadrados, mais ou menos o tamanho do estado de São Paulo. Mas tem 128 milhões de habitantes, e o estado brasileiro tem 44 milhões. A falta de espaço  é um problema não só para atividades como agricultura. Também é para um governo que pretende adotar uma política de abandonar a energia nuclear, depois do acidente da usina de Fukushima.

Onde estes projetos podem ser construídos? Em parte na água, segundo planejaram conjuntamente duas grandes corporações do país, Kyocera e Century Tokyo Leasing.

Elas se associaram para montar duas enormes ilhas de painéis solares que irão flutuar em dois reservatórios e gerar 2.9 megawatts de energia.

Uma das “mega usinas”, conforme o anúncio, ficará sobre a superfície do lago Nishihira, e vai gerar 1.7 megawatt, o que fará dela a maior instalação de seu tipo no mundo. A segunda estará localizada no lago Dongping, com capacidade de 1.2 megawatt. A construção começa este mês e deverá estar pronta em abril de 2015.

Continue reading

Graças a um Besouro Descobrimos como Tirar Água do AR.

O deserto da Namíbia onde a chuva é rara, mas a neblina é comum , um besouro sobrevive por condensação de água em suas costas até as gotas rolares pra boca do inseto . Agora este princípio foi ampliada em grande escala proporcionando uma possível solução para o desesperada falta de água que assola as populações de muitas das regiões secas do mundo.

Não há falta de soluções que estão sendo experimentadas por falta de água. A empresa Wells de técnicas e métodos para limpeza de água envenenada reciclagem têm atraído todos os esforços consideráveis ​em particular desde a fundação Bill e Melinda Gates fizeram desta questão uma prioridade para os seus recursos.

No entanto muitas dessas técnicas não deram certo, inadequadas para as condições do mundo real. Essas tecnologias que são rentáveis ​​representam apenas soluções parciais, funcionando bem onde uma fonte de água permanente está disponível, mas inadequada para regiões onde a água de superfície desaparece na estação seca e de águas subterrâneas é de difícil acesso. Como o desmatamento e o aquecimento global expandir as áreas onde a água é escassa ou irregular algo mais é necessário .

Enquanto Warka Waters trata com cautela depois de tantas falsas partidas ele tem a vantagem de ser projetado para combinar com as condições em que a maioria das alternativas executam o pior.

  Continue reading

Pirâmide Gigante Descoberta Submersa em Portugal

Piramide-Açores

Uma descoberta incrível teria sido realizada por um velejador português, entre as ilhas Terceira e São Miguel, no arquipélago Açores. Em uma entrevista concedida à rede de televisão estatal portuguesa, RTP, Diocleciano Silva afirma ter descoberto uma enorme pirâmide submersa, com 60 metros de altura e 8 mil metros quadrados de base, quando fazia uma busca por navios de pesca. A identificação aconteceu pelo uso de aparelhos de navegação, e a estrutura foi detectada por leitura batimétrica. A partir dos relatos do velejador, o Governo Regional afirmou que o assunto está sendo investigado pela Marinha portuguesa. Na opinião de Diocleciano Silva, esta pirâmide não é uma estrutura natural, já que, segundo ele, o seu vértice está na orientação norte-sul, como acontece nas pirâmides de Gizé, no Egito. – fonte

piramide-portugal-history-channel

Veja o vídeo abaixo.

Continue reading

As 6 Enormes ilhas de Plástico

trashpattern_ gyre ocean trash plastic

Você já deve ter ouvido falar da gigantesca ilha de lixo que bóia no meio do Oceano Pacífico, entre a California e o Havaí. Ela é formada por pedaços minúsculos de plástico arrastados para um ponto de convergência de diversas correntes marinhas. Seu tamanho é incerto – as estimativas mais conservadoras falam em 400 mil quilômetros quadrados, algo como o tamanho do Pantanal brasileiro, mas ela poderia ocupar até 10% da superfície do Pacífico (ou duas vezes a área dos Estados Unidos).

O que você provavelmente não sabe é que existem pelo menos outros 5 lixões oceânicos similares, além de algumas formações menores nos dois pólos. Há estimativas de que 10% de todo o lixo plástico – algo como 91 milhões de toneladas anuais – acaba nos oceanos. A maior parte acaba afundando, mas cerca de um terço do total é arrastado para essas zonas de atração.

The 5 Gyres Project- iniciativa da Algalita Marine Research Foundation, organização dedicada à pesquisa e à conservação marinha – está promovendo uma série de expedições para coletar amostras e investigar qual o real impacto desse fenômeno. O projeto está convocando navegadores de todo o mundo a participar, para que relatem o que encontram nos sete mares que percorrem. O capitão Charles Moore, fundador da Algalita, é considerado o primeiro a ter identificado a ilha de plástico do Pacífico Norte.

Continue reading

Homeopatia, uma Conclusão sobre o Assunto.

Continue reading

Older posts