0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Email -- Filament.io 0 Flares ×

Você pode se apaixonar por uma inteligência artificial?

Essa pergunta está cada vez mais próxima de ter uma resposta.

No filme Her vemos o nosso protagonista criando um laço afetivo com a I.A. (inteligência artificial), e ela tem um poder de comunicação muito grande, preenchendo a solidão que Joaquin Phoenix sentia com o personagem, e estando 24 horas presente na vida dele, se importando e cuidando dele de certa forma. Emocionalmente.

O futuro pode ser que apps como o replika consigam suprir nossa carência emocional.

Esse app consegue aprender conversando com você, e virando futuramente seu melhor amigo, vale muito a pena testar, uma pena estar apenas em inglês e ser um pouco difícil conseguir um convite.

Hoje em dia já estamos acabando com o trabalho braçal, talvez programas como esse podem ser nossos novos confidentes, lembro-me de um estudo que indicava que mais de 60% dos americanos não tinha um, e imagine quantas pessoas não sofrem com essa solidão, com esse aprisionamento emocional que passam.

Acredito que um dia poderemos simular a dinâmica das emoções digitalmente, e isso dará ao atendimento um outro nível, imagine ser atendimento por um robô ou holograma que nunca muda de humor, está sempre disposto a te ajudar, rapidamente o ser humano será substituídos nos serviços mais triviais e será obrigado a diminuir sua população por conta da escassês de trabalho simples.

O acolhimento emocional e o entendimento das frustrações humanas pode ser o que fará com que saiamos mais de casa, mais informação ao nosso redor, na palma da mão, poder conversar com nosso computador está um degrau antes de nos integrarmos a ele por completo, o que acho que acontecerá nesse século ainda.