0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Email -- Filament.io 0 Flares ×


Veja essa animação que ilustra o resulta da intolerância

Semana passada tivemos o ataque de extremistas islâmicos na França, e esse é um assunto recorrente nas conversas de bares, e até nas conversas de elevadores. Pensamos muitas vezes que humor não machuca, mas existem pessoas sensíveis a ser assuntos, existem povos sensíveis a certos assuntos, e não é por causa disso que se deve parar de fazer a piada, não é?

Não sei dizer ao certo a resposta para isso, acho que tem que ser moderado, eu mesmo adoro um humor negro, mas sempre existirão as pessoas sensíveis ao humor alheio, afinal, se uma pessoa ri uma chora, mas nem sempre tem que ser assim.

No Brasil vemos péssimos exemplos de humor negro na Tv, e podemos ver também com as pegadinhas juvenis e totalmente ofensivas de alguns canais amadores de pegadinhas do youtube americano, simplesmente ofensivo.

Um exemplo bem básico que posso citar dessa situação seria quando vamos visitar a casa da família da namorada, nunca expressamos todas as nossas opiniões, pois valorizamos nossa posição alí e não queremos causar atritos desnecessários, e acho que o mesmo poderia acontecer no mundo, apesar de as vezes realmente fazermos piadas ofensivas em nossos grupos de amigos, mas sabemos e conhecemos nossos amigos, sabemos como se comportarão, já na França e em muitos outros países essa linha fica muito nebulosa, pois há diversos tipos de pessoas, religiões, e estilo de vida, e muitas gente pode se ofender com muita coisa, e seria benéfico sempre se policiar com relação a isso, pois não estamos em nosso grupo de amigos, mas ao mesmo tempo, lê quem quiser ler, não é mesmo?

eu_nao_sou_charlieÉ muito complicado dizer o que é certo ou errado, mas algumas coisas é possível dizer sobre o assunto, poucas coisas merecem a morte nesse mundo, ainda mais a execução a sangue frio, e uma frase pode ser dita que acho que resumo muito bem tudo isso.

“Uma faca pode te ferir, mas palavras só se você deixar”

Eu não sou Charlie, e tenho meus olhos bem abertos com essa situação.

Não chamo nossos irmãos perdidos de terroristas, pois ele acreditam numa ilusão assim como todos nós, mas infelizmente a deles envolve mártir e morte. Não acredito na palavra terrorista, palavra fabricada, os extremistas não são terroristas, não tem como missão ameaçar o mundo como algum tipo de vilão de quadrinhos, eles estão agindo como animais encurralados por serem fechados demais, intolerantes demais, desesperados demais.

É possível falar sobre tudo, mas não se pode exigir consciência de quem não está preparado.

E podemos ver que consciência se falta dos dois lados com essa notícia que saiu no Estadão -> França Proibe mulçamanos de rezar em público