2 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 2 Email -- Filament.io 2 Flares ×

Para muitos que pensam que a Armênia é só uma estação de metrô em São Paulo, a Armênia é um país com muita história e muitas delas triste. Estive lá ano passado coletando essas histórias para um documentário e falarei um pouco sobre essa experiência, minha primeira fora do país.

Um pouco de história primeiro.

A Armênia foi o primeiro país oficialmente cristão, tem até a primeira igreja cristão do mundo, que hoje em dia parece um mini vaticano. O país fica no oriente médio, mas bem perto da Europa, e esse foi um dos fatores críticos para a sua história, pois era um país que dividia o mundo cristão do islâmico, por isso alguns deles falavam que era o escudo do cristianismo, e foram de certo modo.

Armenia

Essa posição que o país ocupa é muito desprivilegiada infelizmente, o povo armênio ao longo dos séculos já mudaram de localização algumas vezes, mas eles hoje em dia consideram essa a “sua terra”, no meio das montanhas, e quantas montanhas. No país há várias cidades destruídas, e algumas nunca foram recuperadas, outras foram deixadas intencionalmente, pois eram cidades povoadas pelas povo do Azerbaijão.

No Século passado a Armênia passou por 2 casos que marcaram sua história.

Primeiro foi que o Império Otomano, atual Turquia, decidiu fazer um genocídio no povo Armênio, matando assim milhões de pessoas. Fato esse aceito por pouquíssimos países, ou seja, ninguém quer criar mais conflito sobre isso, mesmo que seja pra fazer justiça. Em um dos últimos dia que estive lá vi uma passeata lembrando os 99 anos do massacre, e as fotos meus amigos, não são para qualquer estômago.

10257221_10202717969562955_8042807873555783188_o

Padre que liderava a procissão

Quem quiser ler um pouco mais sobre isso, pode ler no wikipédia que tem bastante coisa.

Muitos armênios tiveram que fugir de seu país e criaram famílias em outros lugares.

Anos depois, a União Soviética se apoderou de vários países vizinhos, e quando ela se desfez deu uma parte da Armênia (Nagorno Karabakh) para o Azerbaijão, e claro isso não ficou barato.

A guerra foi feroz, um pedaço minusculo da Armênia contra um país inteiro, houve sequestro de pessoas, troca de reféns, mas o mais curioso foi que não existia ódio entre os povos. A guerra foi mandada pelo os governantes do país, mas nas trincheiras muitas pessoas só fingiam que atiravam, pois os dois povos eram amigos até então, faziam comércio e se conheciam muito bem, muitos falavam triste sobre a separação outorgada. Eles se comunicavam pelo rádio nas trincheiras falando que não queriam matar ninguém e que aquela guerra era algo inútil, todos sabiam que aquele pedaço de terra era da Armênia, não havia por que brigar por isso.

O símbolo do País, a mulher e homem montanha.

Nagorno não tinha uma população muito alta, e vendo que não havia alternativa, mandaram jovens de até 13  e 14 anos para guerra, e até mulheres. Vi e entrevistei algumas mulheres que dirigiam tanques, eram especialista em snipers.

E depois de muita morte, eles venceram.

Todas as pessoas perderam alguém que amavam, muitos perderam a família inteira, e a dor dessas pessoas era palpável, densa.

Mas apesar de tudo o país é lindo, os habitantes são felizes, e me convidavam para tomar chá em suas casas praticamente todos os dias, mesmo eu não falando nada de armênio.

Em uma parte do vídeo é possível ver o Monte Ararat, onde Noé teoricamente teria deixa sua Arca depois do Dilúvio.

O povo é bem pobre, mas não falta nada pra ninguém, não existe ostentação. Restaurantes e hotéis são vazios, a não ser quando tem campeonatos de xadrez. Muitas pessoas tem hortas em casa, pois a comida é cara, e o salário mínimo é de 100 dólares aproximadamente. E muita gente recebe ele.

 

966217_10202717978523179_10700045876123298_o

Antiga Opera bombardeada

10250178_10202717985643357_6119233753454132325_n

Antiga Opera Bombardeada

Fora duas cidades que eram a capital e a ex capital todas as outras que passei eram vilas praticamente, muita estrada de terra e canos pra tudo que é lado. Se eu não me engano o gás passa por eles, mas eles não ficam em cima da terra, e nem são tão finos quanto os daqui, são canos enormes que passam do seu lado em toda calçada, fazendo até desvios para os carros passarem, curioso.

Muitos achavam que eu era iraniano, pois eu sou moreno e tenho cabelo liso, não pensavam que eu era japonês, o que foi uma surpresa pra mim. Iranianos que vão pra lá tem fama de serem ricos, e de escolherem uma mulher armênia para ser sua esposa. Até tentaram me ajeitar para uma vendedora lá, ou seja, me casar hahah.

Pra finalizar queira contar alguns casos curiosos que acontece lá.

Um dos heróis da história. Esse senhor ficou 1 ano sendo torturado e não abriu a boca. Pessoas pagavam 10 centavos para poder bater nele enquanto ele estava vendado. =/

Um dos heróis da história. Esse senhor ficou 1 ano sendo torturado e não abriu a boca. Pessoas pagavam 10 centavos para poder bater nele enquanto ele estava vendado. =/

No país simplesmente não existe assalto, todas as pessoas se conhecem. Um dia eu estava gravando um visão bonita em cima de uma montanha do lado de uma estrada, e um cara obviamente fumado, chegou perto da gente e ficou do lado, eu automaticamente entrei no modo de defesa esperando um assalto. A mulher, que era de lá, que nos acompanhava perguntou se pensávamos se ele ia nos roubar e concordei, ela riu e falou que lá qualquer pessoa pode andar qualquer hora do dia e tudo bem. Esse pensamento era inconcebível pra ela.

E outra, que é uma infelicidade que já está mudando, é que quando se casa você tem q desvirginar a mulher, e no dia seguinte a família se reúne para mostrar o lençol sujo de sangue. Felizmente a juventude está começando a passar suas noites em hotéis impossibilitando a futura vergonha.

E claro, experimentem o Shawarma, uma das comidas mais deliciosas que já comi.

10273216_10202717990203471_1486302489132168153_o

Idoso em um evento religioso numa igreja que fica no topo de uma das montanhas

10361995_10202717986123369_6214914066381321907_n

Uma cachoeira chamada Guarda-Chuva

Os almoços tinham muito pão, queijo, tomates inteiros, e não poderia esquecer das vodkas caseiras que derrubavam as pessoas.Os almoços tinham muito pão, queijo, tomates inteiros, e não poderia esquecer das vodkas caseiras que nocauteavam as pessoas.