Médiuns – Minha Experiência

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Email -- Filament.io 0 Flares ×

 

Um assunto muito polêmico para alguns, uma certeza tão absoluta quanto a morte para outros.Peço primeiramente aos visitantes do site que entram aqui por causa dos outros assuntos que não fechem sua mente para isso, veja isso como uma experiência e tente entender os lados positivos de tudo isso a ser descrito, no final todos os assuntos convergem, as vezes até antes.No começo do ano eu escrevi um projeto de documentário sobre Psicógragfos e fui atrás de algumas pessoas que foram me indicando outras pessoas até chegar na Maísa Intelisano. Mas antes devo falar como tudo isso funciona, e vou colocar algumas partes do projeto, então por favor não reparem a linguagem formal de algumas frases do post que complementa esse. CLIQUE AQUI PARA VER.

Eu sempre estudei esse assunto, mas só nesses últimos tempos que fui ter contato com ele realmente, conheci pessoas que escreviam cartas sem ter intenção, e conseguiram parar com isso, e conheci outras que ainda escrevem apesar de tudo, e se sentem bem com isso. A Maísa teve a bondade de me conceder uma entrevista com uma boa duração e explicou bastante coisa bacana, de como tudo funciona e como as pessoas que psicografam reagem e sentem quando atuam (Irei colocar um pedaço da entrevista aqui no DDD). A minha experiência começou quando eu fui indicado pela minha professora Maria luisa Bairão a encontrar a médium Cristina Tanaka (Site Oficial) num sábado na casa em que ela dá algumas palestras explicando coisas sobre energia, espiritos e dando alguns exercícios de limpeza energética.

E a história começa assim: eu estava indo pra lá, mas a rua não tinha o número que me passaram, e entrei na casa com o número mais próximo, era uma igreja messiânica, uma vertente da religião sukyo mahikari (obviamente japonesa, veja mais em aqui), e ao perguntar lá percebi que não era lá, mas era uma grande coincidência, depois percebi meu erro e fui até o lugar certo, eu tinha ido na rua errada.

Ao entrar na casa eu entro com uma mulher ao mesmo tempo e me deparo com duas mulheres sentadas em uma escada, ao entrar a mais velha (que depois descubro que era a própria Cristina Tanaka) fala pra mim – “Quem é você?”, e eu respondo o porque de eu estar lá, e ela fala:”Repete comigo: Eu sou Babalaou”. Eu fico bem desconcertado com a falta de cerimônias, mas eu já sabia que algo assim poderia acontecer por se tratar de uma médium famosa e faço o que foi pedido, e elas tremeram ao sentir a energia solta pelas palavras. Em seguida ela me fala para falar a mesma coisa mas repetindo a última sílaba duas vezes no final e batendo no meu peito, e dessa vez o “negócio” que elas sentiram foi maior. E ela me explica que eu fui um Babalawo (forma correta, ou a mais usada), que seria um xamã, ela me fala que eu tenho uma energia rara prateada multicolorida de 142 cores (o prata seria a cor predominante), e só pelo fato de eu existir o planeta e as pessoas se beneficiariam com isso.

PAUSA
Queria fazer aqui um adendo, eu nunca até então tinha tido um contato direto assim com uma médium, e também nunca tinha ido atrás a não ser no caso da Maísa, mas esse encontro foi algo que eu esperei boa parte da minha fase adulta (curta ainda por ter 24 anos), para ver como era tudo isso, e ver qual era a extensão do “poder” de um médium, poder esse inato no ser humano de acordo com o Dr. Sergio Felipe de Oliveira (pesquisador da usp da Glândula Pineal). Esse é um assunto que eu não falava tanto na primeira geração do Site, mas agora vejo que merece uma atenção maior e vou colocar mais informações por aqui sobre o assunto.
Fim da Pausa

Na reunião foram dados vários exercícios de energização e limpeza de fluidos negativos, de uma maneira tão rápida que foi difícil assimilar no começo, não era nada parecido com o que eu tinha visto ou feito, era algo tão rápido quanto o pensamento, nada de meditação prolongadas e mantras, apenas concentração e vontade eram necessárias, o que eu descobri depois era que esse era o estilo de Cristina Tanaka em suas reuniões.

No mesmo dia marcamos uma reunião para o dia seguinte, pois Cristina continuava a falar da urgência em eu saber “o que eu tinha que saber”.

Dia seguinte, Domingo.
Na casa de Minha professora, estamos eu, ela, uma amiga dela e Cristina. Cristina dita uma carta que parece ser ditada por ela por um espírito, ou pelo eu superior dela(seria a alma dela sem a personalidade terrena), que seria a minha missão aqui na Terra(infelizmente ela me pediu para nunca divulgar o conteúdo, portanto o farei). Mas os exercícios feitos lá foram bem legais, em vez de energizar devagar como fazia no Ki Gong (arte marcial terapêutica), era algo na hora, como se fosse um entrelaçamento quântico, uma partícula se move como a outra independente da distância entre eles, basta pensar para acontecer. Quando eu energizava o mundo (sim, ela pediu para eu energizar o mundo inteiro) elas sentiam, o que era bem legal, mas eu mesmo não sentia a vibração que a Cristina falava, aí ela fez uma limpeza em mim (tirou 3 espíritos obsessores), e depois me perguntou se tinha alguma mulher na minha vida que guardava algum sentimento negativo de mim, e eu respondi que essa mulher seria minha mãe, pois não a vejo a 8 anos, contato nenhum, mas não guardo rancor. Duas horas depois fui embora com elas, ao me despedir e sair do carro eu me senti muito “leve”, como se todo meu corpo estivesse equalizado, equilibrado, como se tivesse durmido a exata quantia pro meu corpo se sentir inteiramente perfeito, e quando dei dois passos fora do carro, eu tive um arrepio durante 2 minutos quase, o que foi algo extremamente inédito na minha vida, eu consigo controlar quando arrepiar boa parte das vezes, mas dessa vez estava incontrolável, e foi um arrepio atrás do outro. Devo contar também que meu braço direito sempre teve uma pequena dor, pouca coisa, apenas um incômodo e depois disso eu não sinto mais, o que foi bem legal, e uma “prova” pra mim que isso afetou algo.

Claro, você caro leitor lendo tudo isso, os mais céticos podem estar começando a me chamar de Crente em suas cabeças, mas saiba se ainda não sabe eu tento analisar todas as possibilidades da situação, e eu fiz esse teste, meus estudos me levaram a acreditar que sim, nossa ciência não compreende e não aborda todas as áreas do nosso universo, por mais que possa parecer óbvio isso, pra muita gente não é, aliás, muita gente nunca pensou que a ciência não descobriu MUITA coisa sobre o que rege o universo.
O que eu tive não foi fé, foi um aprendizado de uma experiência que teve efeitos físicos e psicológicos. Aliás, até consegui um estágio na mesma semana, sendo que eu estava procurando a dois anos. Não que tenha alguma conexão.

Fica aqui meu relato, não preciso pedir para vocês acreditarem, os mais sábios dentre vocês irão tirar isso a limpo por si mesmo, pois diferente da ciência convencional a espiritualidade só se pode mostrar para terceiros em ocasiões especiais apenas.

Mas a maioria das experiências tem que ser experimentadas por você mesmo.

2 Comments

  1. mako querido,
    a ciência sempre está se autocorrigindo afinal ela é feita pelos Homens que são seres imperfeitos!
    é por isso q cada qual deveria ser o cientista da própria Vida e como vc disse: experimentar! ir pra dentro do proprio mundo!
    bjoka
    adorei o post! senti seu coração nele! tum tum tum tum! hihihihi
    bjoka

  2. o encontro com este ser de Luz é incrível
    , quero repetir diversas vezes, ela consegue em segundos passar tanta energia boa que fiquei estasiada.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Email -- Filament.io 0 Flares ×