Gigantes, nossos irmãos mais velhos e mestres.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Email -- Filament.io 0 Flares ×

Há milhares de anos, e em milhares de lugares se contam a história de que gigantes um dia viveram entre nós e nos ensinaram muitas coisas, astronomia, matemática, arquitetura, ética… Nos civilizaram.

Essa ao que tudo indica não é uma história fictícia extraída do imaginário humano, pois ela está em todo lugar mesmo. E assim como em uma investigação se observamos a mesma história sendo contada diversas vezes é porque algo de verdade tem.

A maioria, se não todas as construções megalíticas do mundo parecidas com Tiahuanaco, Sascsayhuacan, ilha de páscoa, muro das lamentações e por aí vai, são datas de outra era, mais de 10 mil anos atrás. As civilizações que lá moravam que conhecemos geralmente acharam esse lugares já construídos!

Representação da partida de Aztlan no códice Boturini.

Representação da partida de Aztlan no códice Boturini.

Wikipedia:
“A terra prometida por profecias foi encontrada através de um sinal numa ilha do lago Texcoco: alguns indivíduos avistaram uma águia (símbolo do deus Huitzilopochtli) sobre um cacto, e foi nesse local que se estabeleceu Tenochtitlán.” “A palavra asteca significa “gente de Aztlan”, uma importante cidade com localização desconhecida”

“Em meados do século XIX, Ignatius Donnelly, no seu livro Atlantis: The Antediluvian World, procurou estabelecer a ligação entre Aztlan e o suposto “continente perdido” Atlântida da mitologia grega; contudo os pontos de vista de Donnelly nunca foram reconhecidos como credíveis pela maioria dos académicos.”

Mas existem muitos documentários tentando provar a conexão entre a lenda e os povos antidiluvianos. Depois de acharem a estrutura megalítica no Japão em Yonaguni, e as pirâmides submersas do triângulo das bermudas (post altamente indicado pra complemento) fica realmente difícil de não acreditar, pois tudo leva a crer em uma civilização antes da nossa, antes de pelo menos 10.000 anos antes de cristo.

O Povo da ilha de Páscoa tem uma lenda parecida, eles saíram de uma ilha aonde moravam, uma terra sagrada jamais conhecida pra encontrar a terra prometida.

Uma coisa bem curiosa que vi outro dia no dicionário de hebraico é que incrivelmente a tradução de Sodoma e Gomorra é Atlântida e Lemúria, eu praticamente não acreditei quando vi isso, mas estava no dicionário.

Desejo mostrar pra reforçar um pouco esse ponto de vista um caso da Teosofia, um livro que a Madame Blavatsky recebeu, segunda ela o livro foi ditado por seres avançados (mahatmas ou lamas) que atingiram um estágio de iluminação superior. Estes seres evoluídos, habitariam o interior da Ásia e viveriam ainda em monastérios protegidos por antigas tradições místicas. Seriam eles os verdadeiros redatores de todos os livros sagrados conhecidos, passando pelos mais antigos manuscritos judaicos, da China, do Egito, da India, incluíndo o Alcorão e a Bíblia.

O texto de Dzyan tem a forma de poesias, ou stanzas que contam a origem da humanidade desde seu início e cobre desde a pré-história até o florescimento de civilizações perdidas. O tratado afirma que existiram quatro raças que deram origem à humanidade atual. A primeira raça constituída por seres etéreos que viviam em Vênus antes que um desastre condenasse o planeta. A segunda por uma raça de monstros humanóides estúpidos para a qual a raça original migrou sua consciência, a terceira teriam sido os habitantes do continente de Lemúria, a quarta a dos atlantes e a quinta seria a nossa raça atual.

Mapa com as Américas e a Antártida por Piri Reis

Difícil de acreditar? Pois é, mas realmente tudo está caminhando pra confirmar a existência desses seres, ou outras civilizações humanas antigas, com tecnologia incompreensível pra gente hoje em dia. Posso até citar mapas extraordinários como o de Piri Reis que o ano de 1.513, o almirante e cartógrafo turco chamado (1470-1554) desenhou vários mapas, dentre esses, um mapa do Atlântico Sul englobando a costa oeste da África, a costa oeste da América do Sul e o norte da Antártica.

Tábua de argila datado de no mínimo 3000 A.c.

Outro mapa é o mapa planetário dos sumérios. Reparem na quantidade de planetas e como eles já sabiam que o Sol era o centro do Sistema Solar.

Reparem nessa imagem suméria também, olhe o tamanho da pessoa sentada no trono, provavelmente um dos gigantes, e a figura acima dessa deve ser 3 gigantes da época, os famosos Anunnakis, que significa aqueles que do céu vieram, de acordo com Zacharias Sitchin, mas vemos em estudos sérios de arqueólogos que signfica Semente Príncipe, ou Sangue Principe, pois os Anunnakis vieram de Anu, o Deus Supremo. Existe também uma caverna chamada Boistã de acordo com o livro “O Despertar dos Mágicos” (livro esse que desconfio) que tem um mapa estelar de 13 mil anos atrás, as estrelas desenhadas estão numa posição que apenas nessa época era possível, infelizmente não consegui achar nenhuma foto ou referência na internet sobre a tal caverna.

“O Populvuh, um livro sagrado dos Quichés da América do Norte, fala de uma civilização extremamente remota que conhecia as nebulosas e todo o sistema solar. “Os da primeira raça, segundo ali se lê, eram capazes de tudo saber. Examinavam os quatro cantos do horizonte, os quatro pontos da abóboda celeste e a superfície redonda da Terra.” ” – Professor Frédéric Soddy, 1910 prêmio nobel por ser o descobridor dos isótopos e das leis de transformação da radioatividade natural.

Outra história interessante seria a da chegada do homem branco a Tiahuanaco, Bolívia, que fica a 4 mil metro de altura, e foi construído a mais de 10 mil anos atrás, numa época em que o clima da Terra estava com temperaturas baixíssimas, o homem branco foi chamado pelo povo de lá de “Vira Cochas”, que é o primeiro Deus, o Deus criador, mas que também significa Senhor Branco de acordo com alguns textos que li, mas em estudos confiáveis significa “O Mar de Gordura”, que seria uma celebração ao corpo. Pedro Sarmiento de Gamboa descreveu Viracocha como “um homem de média altura, branco e vestido com um manto branco, carrega um livro e um cajado em suas mãos”, a parte do Branco provavelmente foi criada pelos espanhóis, especificamente o Pedro Sarmiento.

O Universo deles são divididos em três partes:

  • Hanan Pacha: o mundo de acima, habitam os seres celestes, constelações, astros, raios, estrelas, arco-íris, nuvens.
  • Kay Pacha: o mundo daqui, convivem os seres terrestres, as montanhas, os lagos, os homens, os animais, as plantas.
  • Uchu Pacha: o mundo subterrâneo, vivem os mallquis que são as sementes, os ancestrais enterrados para que na terra nasçam os homens novos.

Em textos não confiáveis vi que Os Vira Cochas eram seres gigantes, vindos do sol, que haviam desaparecido, ou talvez fossem de outra dimensão. Mas se formos vermos em textos credenciados veremos que na verdade o Vira Cocha é o Deus da Criação, ele criou tudo no universo, e para criar os humanos primeiros ele soprou nas pedras e criou gigantes sem cérebro o que não agradou ele, para acabar com eles ele criou o dilúvio, e criou seres melhores utilizando pedras menores. Vira Cocha eventualmente sumiu andando sobre as águas do pacífico e aparecia de vez em quando na forma de um pedinte para ensinar os básicos da civilização, ele também faria várias milagres nessas aparições. E era acreditado que um dia ele voltaria em tempos de perigo.

Vimana

Vimana

Há milhares de exemplos que posso dar rapidamente, nos livros antigos indianos, como o Ramaiana contam histórias de naves de deuses (palácios voadores), chamadas de Vimanas (tradução para palácio, que depois virou tradução apenas para palácios dos deuses e depois virou apenas para coisas voadoras),  com um raio da morte, “cabelo e unhas caíam, a louça de barro quebrava sem causa aparente, os pássaros tornavam-se brancos. O raio ficou reduzido a uma poeira fina”. A descrição bate perfeitamente uma bomba atômica.

Há também alguns lugares no planeta que estão vetrificados, efeito esse que só acontece quando a matéria aumenta muito de temperatura, uma bomba atômica produz tal efeito, um raio e meteoro também, mas ficamos na dúvida.

E para finalizar queria deixar aqui o registro de algo que aconteceu com a Universidade de Oklahoma, 1954. Eles Publicaram algo que aconteceu em uma tribo da Guatemala no século XVI.

“Narrativas fantásticas aparições de seres lendários, costumes imaginários de deuses. Examinando-as mais cuidadosamente, apercebemo-nos de que os índios cackchiquels não contavam historias loucas: mencinonavam a seu modo os primeiros contatos com os invasores espanhóis”. Eles incluíram esse “evento” na sua mitologia e o descreviam como fabuloso, assim como em toda mitologia.

Quantas coisas ignoramos por pensarmos serem frutos da imaginação? 

Deveríamos dar mais créditos aos nossos antepassados, e ao mesmo tempo, devemos tomar muito cuidado com o que lemos.

2 Comments

  1. Ola, muito interessante seu texto!! so uma correcao: Tiahuanaco fica na Bolivia.. ja visitei e eh um lugar assustador! La tem coisas q o homem nao conseguiria fazer hj imagina a tanto tempo atras!! Uma sugestao: ja ouviu falar sobre um livro chamado O Antigo Segredo da Flor da Vida? procure-o.. volume I e II! Eh muito esclarecedor, fala a respeito de Atlantida, antigo Egito, tecnologias de ponto zero, descobertas pitagoricas, projetos de Leonardo da Vinci, a Genesis Hebraica.. tudo a partir da forma geometrica da flor da Vida!

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Facebook
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Email -- Filament.io 0 Flares ×