Estamos atrás da Tecnologia Ainda

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Email -- Filament.io 0 Flares ×

Vejo que a tecnologia muitas vezes é usada de forma errada, principalmente aquela que usamos todos os dias, como ipads, videogames, dvd portáteis.

Existe uma característica nesse tipo de tecnologia quando se é lançado, é uma ordem de reações sobre ela. Quando o ipad foi lançado, muitas pessoas compraram, mesmo quem não usasse nada nele, estão dando para crianças, e fazendo elas esquecerem  o significado de brincar e usar a imaginação para criar aventuras imaginárias, ou mesmo jogar algo no mundo real, lá fora. Exemplo.

E estamos passando por essa fase agora, a da introdução da tecnologia no dia-a-dia das pessoas, uma fase única na história da humanidade. Mas infelizmente não estamos sabendo domar ela, aliás, não se vê motivo para isso, pois as empresas lucram em cima da venda e não do quão eficiente o consumidor pode ser com o produto que adquiriu, e isso me causa certo medo, pois utilizamos além da necessidade a maioria das tecnologia adquirida nas últimas décadas, e isso nos faz perceber que, como diria o mestre Gonzalo Ferreyra: “o ser humano está numa época de se reconstruir”, e isso com certeza é verdade, podemos ver o como vivíamos a 100, 50, 20, ou mesmo 5 anos atrás, as coisas mudaram demais, e isso afeta o funcionamento de nosso cérebro, consequentemente nosso comportamento.

As pessoas mal informadas (não são poucas e muitas são muito estudadas, talvez a melhor palavra fosse mal capacitadas) pensam que a TV,video game e internet deixam as pessoas burras, quando o que acontece não é nada disso, essas tecnologias, ou linguagem se preferir, usam mecanismos diferentes da realidade em que as crianças estão acostumadas, como sua relação com pais ou professores, e essa falta de consciência é um dos fatores que causa problemas de aprendizagem, pois essas mídias atuam em velocidades de mecânicas diferentes, pensando nisso criaram o termo Gameficação, que seria a resposta de como ensinar as crianças sem ser tedioso e lento demais para elas. Um post explicando isso já está sendo feito.

Outro fator para isso citado no documentário Consuming Kids: The Commercialization of Childhood é o fato de em todas essas mídias terem os tentáculos do marketing nelas, e isso afeta as crianças, e adultos também, aumentando o número de pessoas com depressão e ansiedade, pois os valores propagados pela mídia são: Tenha isso e ganhe status e satisfação social, sua imaginação não é suficiente para brincar você precisa ter todos os produtos do Homem de ferro ou Ben 10, e outro, o mundo virtual tem muito mais vantagens que o real. Estamos criando os super consumidores do futuro, se você pensava que os pais de hoje em dia não tem “educação”, ou melhor, competência para criar um filho, imagina tendo um inimigo multibilionário enganando seu filho por todas as tecnologias que ele fez o próprio pai comprar, o que era pra trazer felicidade e facilidade acabou cultivando ganância e individualismo.

Nossa geração consegue fazer muitas coisas ao mesmo tempo, posso citar eu mesmo agora escrevendo esse post, estou vendo o documentário citado acima, vendo uma entrevista do autor do livro Paz Guerreira, tocando violão e mandando mensagem SMS no celular, sem contar as outras 13 abas abertas no meu navegador, e isso sou só eu.

Acho que a forma como a tecnologia é apresentada para nós é totalmente errada, mas esse talvez seja o BOOM dela, ainda vamos equalizar isso, se conseguirmo leis melhores para as propagandas e uma melhor adaptação da tecnolgia, em vez de usarmos apenas para recreação utilizarmos todo esse poder que a tecnologia nos possibilita para algo útil em vez de apenas perpetuarmos nossa situação de acomodados do sofá.

A Tecnologia apesar de ser criada por nós ainda não está incluso de forma harmônica na sociedade, ela afeta ela negativamente em muitos aspectos, apesar dos esforços de muitos para que isso não aconteça.

As pessoas sempre esperam que algo vá acontecer para eles começarem a fazer algo, ou a se preocupar.

E mais uma vez outra frase do Gonzalo cabe muito bem aqui. “O importante não é ter Mestre… é ter o compromisso de ser Discípulo”.

 “meu desejo… e a minha luta… é para que as pessoas apreendam a se comprometer com a Vida, a Verdade, a Amizade, e todos o demais.” – Gonzalo Ferreyra

 

Obs: Gonzalo dá aulas de filosofia e Nei Kung na Nova Acrópole. Recomendadíssimo, cheguei a conhecer a instituição graças a uma leitora.

1 Comment

  1. É bem isso mesmo. É estranho eu falar isso, pois a minha atual profissão é enfiar tais tecnologias para os consumidores. O que eu sempre digo, a obsolescência dos produtos hoje é meramente imposta, pois não é necessário um celular a cada 4 meses, como lançam as grandes marcas, é necessário otimizar o uso de cada aparelho que você tem, assim as propagandas em geral não afetará tanto essa parte do cérebro que nos faz ter vontade de tudo o que os marketeiros nos mostram. E o trabalho de marketing hoje é incrível porque os valores estão ficando para trás e com isso, esses que dependem de uma grande rotatividade de produtos, usam seu poder de persuasão, baseada em “vontade de ser algo mais” que o próximo, para nos enfiar os produtos criados para morrer daí poucos meses. Viva o consumo!

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Facebook
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Email -- Filament.io 0 Flares ×