Entre o corpo e a mente: o psicossomático

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Email -- Filament.io 0 Flares ×

Ainda dentro de minha leitura de Capra, ” teia da Vida”, vi pesquisas muito interessantes sobre o sistema imunológico. Pesquisadores descobriram um grupo de moléculas, chamadas de peptídios, que agem como mensageiros entre os sistemas nervoso, endócrino e imunológico. Ele interliga os três em uma grande rede. Neurologia, Endocrinologia e Imunologia, três disciplinas separadas que na verdade acabam por impedir a compreensão das relações entre as três. Os peptídios são fabricados tanto por células nervosas quanto pelos leucócitos, as células brancas do sangue, encarregadas da eliminação de elementos estranhos ao organismo.

Além disso, esses peptídios estão envolvidos nas alterações de humor. Por exemplo, o intestino te muitos receptores desses peptídios, o que se liga àquela sensação de frio na barriga, e estados de ansiedade que parecem se manifestar na barriga. O sistema Límbico, área do cérebro que controlas as reações emocionais é rio nesses peptídios.  As implicações dessas descobertas são incríveis, pois ela vai mostrar que todas nossas funções corporais, inseridas nesse amplo sistema, possuem um colorido emocional. Aí estaria talvez o fundamento biológico dos problemas psicossomáticos, de como estados emocionais desencadeiam doenças auto-imunes, por exemplo. Grandes implicações para a Medicina.

Outra questão muito interessante, agora mais propriamente sobre os linfócitos. Poucos repararam como é incrível que ele consiga distinguir o que é parte do corpo e o que é estranho? Pois essa é sua principal função, criar uma identidade corporal, identificar o que é o corpo, e o que não é. O que se vê aqui é o próprio corpo criando uma espécie de consciência de si, se é que se pode dizer dessa maneira.

Ao meu ver, temos antes que aprender a ver nosso corpo com novos olhos, a para daí podermos dizer o que é espiritual.

2 Comments

  1. Texto perfeito. Só acho que a última frase é equivocada, pois acaba nos levando ao erro cartesiano de separar nosso corpo físico de seu equivalente espiritual. Todas as nossas manifestações, visíveis ou não, são a mesma coisa, fazem parte do mesmo conjunto.
    Abraço!

  2. Olá Dedé, tudo bom?

    Agradeço muito o comntário e fico feliz por ter gostado do texto. Sobre a última frase, muito bom o seu alerta, realmente não foi isso que pretendia fazer, não acredito em uma dualismo tal como Descartes aponta em sua obra. Com a palavra “espiritual” quis me referir aos fenômenos que geralmente são referidos como fenômenos do espírito, como o pensamento. Me apóio muito no pensamento de um filósofo francês, Maurice Merleau-Ponty, em um de seus livros ele diz que o homem, antes de ser considerado uma soma de corpo biológico+razão (o que seria a ideia de distinguir o homem dos animais dizendo que ele é uma “animal racional”, forma de distinção incorreta), ele é uma outra corporeidade. Ou seja, antes de tentarmos compreender o que seriam estes fenômenos que chamamos de espirituais, deveríamos estudar o corpo. Não estou assim defendendo um dualismo, mas estou chamando os dualistas a reexaminarem seus dogmas.
    Qualquer ideia ou opinião estamos abertos paa ouvi-lo, muito obrigado!
    Abraço!

Deixe uma resposta para vitor Cancelar resposta

Your email address will not be published.

*

Facebook
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Email -- Filament.io 0 Flares ×