Emoções – Expressões

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Email -- Filament.io 0 Flares ×

Quantas expressões faciais você já deu hoje?

Dá pra contar? Provavelmente foram muitas. Fazemos expressões a todo instante e com bem mais frequência do que imaginamos, pois é algo automático.

Mas alguns pesquisadores tinham dúvidas sobre elas, e Paul Ekman foi um dos primeiros pesquisadores e ir visitar tribos que tiveram nenhum ou pouquíssimo contato com a sociedade para descobrir se nossas expressões são universais.

“Como assim?” – Você deve estar se perguntando.

Uma pessoa quando ri vai ter sempre a mesma expressão com um sorriso e bochechas pra cima? Uma pessoa com raiva sempre comprimirá os lábios, irá comprimir a sobrancelha e arregalar os olhos?

Todos teriam as mesmas expressões em todo o mundo ou as expressões seriam uma bagagem cultural que nós temos levado conosco desde a muito tempo atrás?

Perguntas importantíssimas que Paul Ekman e outros procuraram achar suas respostas.

A Carta Roubada –  Edgar Allan Poe

“Quando desejo descobrir quão sábia ou quão estúpida ou quão boa ou quão má é uma pessoa, ou quais são seus pensamentos no momento, amoldo a expressão da minha face tão perfeitamente quanto possível, de acordo com a expressão dessa outra pessoa, e, em seguida, espero pra ver quais pensamentos ou sentimentos resultam em minha mente ou coração, como se para combinar ou corresponder com a expressão.”

Nossas emoções são tão fortes que somos subjugados por elas. Frequentemente podemos ouvir histórias de pessoas que pedem desculpas, pois falaram algo que não deviam por estar tristes, nervosas, frustradas e não tiveram controle de seu comportamento ou palavras na hora por causa das emoções, e por incrível que pareça nós aceitamos as desculpas, e não digo por mostramos fraquezas ao fazer isso, devemos sim aceitar desculpas sinceras, mas aceitamos por entender o lado dessas pessoas por seres também seres emocionais estamos condicionados a sermos subjugados por elas.

Eckman diz que as expressões podem ter surgido como meio de comunicação para sobreviver, como por exemplo quando alguém vê um carro vindo em sua direção ela vai fazer a expressão de medo, e talvez até surpresa juntos (essas duas expressões são facilmente confundidas pela maioria das pessoas) e ao ver essa expressão você teria tempo de planejar suas ações.

Um ponto importante na leitura das expressões é a harmonia dela, Eckman em seu livro “A Linguagem das Emoções” fala que na maioria que as pessoas querem dissimular ou mentir sobre algo, elas vão querer mostrar um expressão que não condiz com o sentimento autêntico dela e isso vai ser delatado no seu rosto. Quando você sente que aquela pessoa fez uma cara estranha ao falar algo, é por que geralmente a parte de cima do rosto (nariz e olhos) não condiz com a parte debaixo (queixo, boca e bochecha), nós sabemos as expressões naturalmente, e uma falta de sincronia irá nos incomodar de alguma forma.

Nojo e aversão são duas expressões que são altamente confundíveis, no próprio livro de Eckman ele deixa um teste no final para você poder treinar um pouco a reconhecer, eu indico para todos que querem entender melhor os outros e por que sentem algumas coisas.

Aliás, pra você que viu a série Lie to Me, foi sim inspirada nele.

3 Comments

  1. Me interesso bastante pelas expressões humanas, pois sei o quão importante é entendê-las e a linguagem corporal é um idioma a parte e, aparentemente, universal.
    Obrigado pela dica, vou procurar sobre esse autor.

Deixe uma resposta para Leonardo Carrasco Cancelar resposta

Your email address will not be published.

*

Facebook
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Email -- Filament.io 0 Flares ×