Category: Destruidor de Dogmas (page 1 of 17)

Achar que você tem que ser bom em apenas uma coisa é uma babaquice

Nunca fui alguém que acreditasse nisso, e acho que ninguém deveria acreditar também.

Muita gente fala que você tem que ser muito bom em uma coisa, e que essa coisa vai te dar o sustento e a felicidade que procura, mas será que isso é verdade?

Ao meu ver o que o mundo precisa é muito menos de especialista e muito mais de pessoas que consigam enxergar a conexão entre áreas, assim como num time que cada um pode contribuir com a sua visão.

Um equipe consegue ir mais longe, vemos isso em todos os filmes e empresas, é preciso ter uma multiplicidade de conhecimentos para se destacar, sem muito bom em algo é bom, mas se interessar por outras áreas é ótimo.

Imagine que existem muitos psicólogos no mundo, mas psicólogos especializados em inteligência artificial já não tem ninguém ou muito poucos,

Poder trazer bagagens diferentes, perspectivas diferentes é um ganho que vai te destacar.

Na Grécia antiga e na renascença a pessoa que buscar conhecimento buscava várias áreas ao mesmo tempo, tendo consciência do entrelaçado que é as áreas do conhecimento.

seja especialista, mas seja também alguém interessado em expandir sua área, você mesmo.

 

Conheça sua Personalidade com um esses 3 testes

 

O Eneagrama é um estudo da personalidade de origem Sufi baseado num diagrama de 09 pontas. No mundo moderno, a presença do eneagrama se deve a George Ivanovich Gurdjieff, filósofo armênio que ensinou filosofia do autoconhecimento profundo no começo do século passado.

Clique aqui para fazer o teste

Esse teste de personalidade do Jung é o mais completo que já fiz, até fiz um post sobre ele há uns anos. Demora um tempo considerável, mas me parece bem preciso.

http://destruidordedogmas.com.br/os-tipos-psicologicos-de-jung/

Esse é bem fácil e rápido –  o meu deu Executivo.

https://www.16personalities.com/br/teste-de-personalidade

Renda básica universal (UBI) e o Triângulo de Maslow

A UBI, universal basic income (renda básica universal), já é uma realidade/necessidade.

Quem ainda reluta contra isso ainda não entender como estamos em questão de tecnologia, automação e inteligência artificial. Muitos dos empregos de fábricas vão ser dizimados e isso tem que ser feito estrategicamente, pois não dá pra jogar milhões de trabalhadores na rua, na verdade dá, mas é preciso pensar em soluções para essas pessoas.

Muitos países tem população descontrolada e muito acima da média, alguns estudiosos falam que a população ideal para o mundo seria menos de 1 bilhão de pessoas, e no futuro provavelmente alcançaremos esse número, ou chegaremos perto, pois para a renda básica universal funcionar é preciso ter menos gente no mundo. Como na Europa que alguns países para para pessoas terem filhos, ou simplesmente morarem em certas regiões, lá é possível, pois há uma população numericamente viável para se governar.

Um caso interessante é  como o fundador do eBay, Pierre Omidyar, pretende fazer um dos primeiros testes sobre a renda básica universal. Ele pretende financiar durante 12 anos as pessoas do Kenia e ver  qual vai ser o impacto disso. A ONG  GiveDirectly irá dirigir o processo que terá o investimento da empresa filantrópica de Pierre, a  the Omidyar Network.

Já é realidade e muito perceptível pra quem quer ver que quem tem mais acesso a cultura e  informação produz menos filhos, pois acaba focando em outras atividades, e existe um esquema que explica um pouco do porquê a UBI vai dar muito certo, ele se chama o Triângulo de Maslow.

A ideia é que para se alcançar a realização pessoal é preciso preencher com sucesso as partes inferiores, claro, nem tudo é tão quadrado assim, mas se olharmos atentamente muitas situações que já vimos em nossas vidas refletem isso.

E Dando a população as duas partes inferiores com a UBI as pessoas poderão focar em outras coisas de uma forma mais saudável, poderão fazer tudo de uma forma melhor e não se preocupar em trabalhar para sobreviver, a sobrevivência já estaria “garantida”, e essas duas partes são as maiores, assim deixando nossa atenção voltada a família, relacionamentos, realização pessoal e tudo isso feito de forma mais harmoniosa e não sofrida.

Hoje em dia um garoto que passa na FUVEST morador da favela é algo raro e digno de notícia, como se o que faltasse para as outras pessoas da favela é esforço, mas na verdade não, se as pessoas tivessem mais acesso a informação e não ter que trabalhar com 14 anos muitos poderiam ter sucesso e assim aumentando a taxa de negros em faculdades também.

E Refaço agora a pergunta que o governo suiço fez à sua população na primeira imagem desse post:

“O que você faria se sua renda fosse dada pelo governo?”

O que você faria?

A renda mínima universal não é de esquerda ou direita. É pra frente.

A Tecnologia vai ditar a “política” no futuro

Hoje em dia vemos a tecnologia mudar o mundo pouco a pouco, só no século passado tivemos milhares de invenções e todas mudando o no dia-a-dia quando lançados no mercado.

A eletricidade, o.microondas, o carro, computador, celulares, smartphone, todos foram implementados em nossas vidas, e vieram para ficar, até se tornarem outra coisa ainda mais.moderna.

Estamos chegando num momento crucial dá huamnidade, hoje políticos não estudados estão no poder com seus interesses próprios, e a cada dia nasce algo novo, como uber e outros apps que mudam como as cidades e pessoas se organizam, mas isso já está saindo do controle, ou melhor, do.meio observável dos políticos.

Em poucos anos com a ajuda de empresas como Tesla, Microsoft e Google iremos criar tecnologias novas numa velocidade tão grande que estaremos constantemente nos modelando as novas facilidades quanto mais complexo a vida se torna, mas dependeremos de ferramentas para dominar todo esse conhecimento.

A empresa Tesla, pra quem não sabe, é a empresa de Elon Musk, uma das pessoas que terá uma sessão só dele nos livros de história. Ele além de ter encabeçado a maior empresa de carros elétricos do mundo, vai colonizar Marte em 2022 e agora está começando a criar computadores que se comuniquem com o cérebro, fazendo a internet literalmente fazer parte de nós.

Tesla será a primeira empresa a custar 1 trilhão de dólares se tudo correr como está, justamente por investir nas coisas certas pra humanidade, coisas que mudarão e muito como pensaremos o nosso futuro.

E é exatamente esse o tópico desse texto, vai chegar uma hora que vão ser algumas poucas empresas que vão tomar a decisão de dar forma para a humanidade, e não instituições governamentais, será tanta invenção ao mesmo tempo que o governo já não poderá acompanhar, como já vemos hoje em dia.

 

Quantas coisas você faz sério na vida?

Nos consideramos bons em muitas coisas, os Millenniuns mais ainda, mas será que realmente somos?

Para sermos bons em algo não basta apenas predisposição ou talento, é preciso ter certas qualidades como disciplina, empenho, determinação , perseverança e assim conseguir extrair bons resultados das atividades que nos interessamos, ou que nos dispomos a fazer.

Agora, sabendo disso eu te pergunto, quantas atividades você pratica ou praticou na sua vida a sério, visando ser melhor?

Tenho certeza que o número despencou aí na sua mente.

Por que?

Nos satisfazemos com o menor resultado positivo.

Busque na sua mente quantas vezes isso não aconteceu na sua vida acadêmica ou profissional.

Não há algo que nos impulsione a ser melhor, não há prazer.

O paradigma da estrutura social nos fala para apenas ter uma profissão, uma habilidade, e ir ficando cada vez mais nela, afinal, é com ela que você ganhará seu sustento ou terá seu sucesso.

Mas, como sempre tento mostrar aqui, é preciso enxergar o mundo de várias perspectivas, só assim para ver que a tampa da garrafa de refrigerante vai virar lixo, que vai pro rio, que vai pro mar, aí um passará vê, come, come depois de ter comido vários, solta de novo o plástico no ambiente, que vai pro mar de novo, aí encontra outros plásticos e eles juntos formam um continente de sujeira. Isso é real existem 5 ilhas gigantescas de plástico no mar.

É preciso ter consciência e habilidades extras, assim você seguirá passos de gênios do renascimento como da Vinci, e outros.

Procurar ter mais habilidades possíveis te faz entender melhor o mundo e as pessoas, mas claro, não é garantido, mas com certeza te dará mais possibilidades.

Mas é preciso fazer com empenho, para melhorar, não adianta fazer aula de inglês e tirar 6 toda prova.

Comece a aumentar o seu número de habilidades.

E se nós fôssemos os alienígenas?

Nos perguntamos como seria encontrar seres de outros lugares, outros planetas, dimensões há milênios e isso mostra o início de um ponto de vista, o da raça humana e o que vemos como centro do universo e “real”.

Entendemos o que é observável e mensurável, por enquanto achamos que somos a única raça inteligente viva no universo, mas e se enxergamos tudo isso errado?

Como diria Aldous Huxley, e se aqui for o inferno de outro planeta?

Enxergamos o mundo de forma objetiva, cima, baixo, esquerda, direita, mas e dentro? Quantos dentros existem?

Na série da Netflix Stranger Things nos é contado que existe uma realidade espelho, Chico Xavier nos fala, através de André Luiz, que existe uma realidade das almas sobre a Terra, cima de nós, como se fossem de outra densidade e não conseguíssemos enxergá-los.

O mundo dos mortos vem sendo examinado desde que a humanidade se organizou em cidade, e como se acredita, os mortos podem ver a gente, mas a gente não pode ver eles.

Isso tudo é especulação claro, mas cientistas estão descobrindo que talvez a resposta que queremos está dentro das coisas e não fora, como boson-higgs e como a matéria escura.

Talvez realmente seres menos densos possam enxergar mais dimensões que nós, talvez até nós poderemos um dia, talvez caminhemos pra isso na evolução, seja ela programada ou não.

Em outra série da Netflix, The OA fala sobre pessoas que voltam da morte e experienciam o outro lado, muitas pessoas que tiveram Experiência de Quase Morte, a EQM, voltaram diferentes, com habilidades, pessoas que bateram a cabeça começaram a falar outras línguas, de onde vem essas informações transferidas para nosso cérebro?

Asimov, escreve em seu livro “Os próprios Deuses”, que um outro universo pode ser menos denso que o nosso e como seria as criaturas dessa universo, podendo atravessar coisas, e outros seres também, aliás, é assim que fazem “sexo” na história.

As questões são muitas e talvez estejamos vendo que talvez sejamos o inferno dos outros, talvez não consigamos ver o que se passa em outras densidades, a não ser, como afirma o espiritismo, através de projeção astral.

Como diria a ciência, o mundo é fractal, e como diria Hermes trimagestro, tudo que está em cima está embaixo, e como diria a bíblia, assim na terra como no céu, talvez a resposta que estejamos procurando não está assim, mas embaixo, na terra, e nós, dentro de nós.

No meio de tantos “talvezes” imagine o quão estranho deve ser para um ser olhar para o seu lado e ver pessoas humanas se movendo, civilizações, e elas não conseguem se comunicar conosco, fazemos o que bem entendemos e não o que eles querem, erros ou acertos, te lembra algo?

Tudo isso se baseia no hipótese da transcendência que você pode aprender sobre no vídeo abaixo.

Esse é um vídeo que pode explicar científicamente o que estou falando.

A Identidade do agora

Você é quem é somente no agora, apesar de nós acharmos que é difícil mudar, mas é você que escolhe trazer quem você era ontem, ou no passado, pro agora.

Digo isso pois um dia alguém me falou que queria andar com a postura correta como eu ando, e na hora pensei: “eu apenas escolhi andar correto, e andei.”

Temos em nosso entendimento da realidade que somos algo construído com o tempo, algo linear, e realmente faz todo sentido pensar assim, mas também somos o agora, e apenas o agora, o passado já foi, o futuro é incerto e somos apenas o presente, o que vivemos agora, e é você que decide o que trazer de bagagem pro agora.

Você tem a opção de deixar muita coisa pra trás, muito coisa inútil ou danosa, temos muitas delas e digo que algumas é fácil largar, assim como uma postura errada.

O Silêncio pode ser a melhor conversa que você terá hoje

Na hora do chuveiro temos idéias incríveis, antes de dormir também, outro momento em que as idéias surgem são nas férias ou numa viagem, mas por quê?

Todos são momentos de reflexão, introspecção, de silêncio .

O que é a ausência de som, palavras, mensagens para você, vindos de fora é na verdade uma ponte construída para a sua criatividade, seu inconsciente.

Recebemos as mensagens de dentro que tanto repondiamos como ocupado, o mundo físico sempre tinha mais importância, mas teria mesmo no final das contas?

Meditar muitas vezes nos é dito que seria a ausência de pensamento, mas na verdade ela pode ser vista como silenciar o exterior, pois trazemos para a cama ou para o nosso momento sozinho toda a rotina e hábitos do mundo físico e emocional.

São poucas as chances que damos para termos uma conversa com nós mesmos, recebemos informações e insights grandes nesses momentos e devem ser valorizados.

Um caso interessante é o do Leonardo da Vinci, ele costumava dormir/relaxar 15 minutos a cada uma hora, pois entendia os benefícios do silêncio no seu trabalho e nos estudos.

A rotina de sobreviver na cidade pode te privar desse momento precioso que todos deveríamos ter no dia a dia, mas é bem possível alcança-lo em poucos minutos, como disse, momentos naturais em que ele acontece é no banho e antes de dormir.

Procure aquele momento do seu dia em que é possível tirar 5 minutos isolado, para apenas deixar fluir, sem preocupações, apenas respirando, esse é o momento de você se recuperar, e claro, não tenha pressa, ansiedade não é bem vinda aqui.

A viagem de ônibus para casa, o esperar do almoço chegar, no seu dia existem milhares de pequenas janelas utilizáveis para se recarregar/reconectar.

Comece a tentar, mas faça um plano, um desafio para se empenhar, tente durante um mês achar quais são essas janelas, e comece a utiliza-las.

Quando você menos perceber você vai ver o quanto se comunica quando se está em silêncio.

Quer ser um cidadã0 do primeiro país fora da Terra? Conheça Asgardia

Nação Espacial Asgardia
Divulgação | James Vaughan

 

Se você sempre se sentiu deslocado na Terra, sua hora chegou. O primeiro país espacial foi oficialmente fundado – pelo menos no papel – e você já pode até dar entrada no pedido de dupla cidadania.

A astronação ganhou o nome de Asgardia, em homenagem a Asgard, terra de Thor, Odin e os outros deuses nórdicos. O slogan do país é “Paz no Espaço” e a ambição do projeto é evitar que os conflitos geopolíticos da Terra sejam transferidos junto com a colonização humana do espaço.

Mais de 370 mil pessoas já se inscreveram para ganhar a cidadania de Asgardia. A maioria delas mora hoje na China, nos EUA e na Turquia. Com a população atual, Asgardia seria o 178º país mais populoso do mundo, à frente de Belize e da Islândia, e os números só crescem.

As condições básicas para ser um asgardiano é ter mais de 18 anos e morar em um país que permite a dupla cidadania. Os candidatos  podem se inscrever no Asgardia.space.

A ideia é que os primeiros 100 mil inscritos tenham preferência no processo de seleção, mas os experts por trás do novo conceito de nação também estão buscando as pessoas baseadas em suas competências. Profissionais de tecnologia, ciência e direito espacial estão entre os mais cobiçados. Investidores nessas áreas também podem furar a fila para ganhar a carteirinha de asgardianos.

A nova nação pretende decidir sua bandeira, sua insígnia e seu hino com participação popular. O concurso para o design da bandeira, inclusive, já está disponível. Qualquer um pode mandar sua ideia, que vai ser votada online pelos asgardianos.

Falando sério

O fundador de Asgardia é o cientista e empresário Igor Ashrbeyli, russo nascido no Azerbaijão. Ele se cercou de cientistas renomados para seu projeto visionário. Um dos que mais chamam a atenção é Ram Jakhu, diretor do Instituto de Direito Aéreo e Espacial da Universidade McGill, uma das mais importantes do mundo (a Harvard canadense, de acordo com Os Simpsons).

Em termos práticos, o time de empresários e cientistas por trás da iniciativa está colocando grana própria e buscando parcerias para lançar um satélite na órbita terrestre e dar o primeiro passo na democratização da exploração espacial, que hoje só faz parte da realidade de um pequeno grupo de nações desenvolvidas. A ideia é que esse satélite seja lançado entre 2017 e 2018, em homenagem ao aniversário de 60 anos desde que o primeiro satélite humano entrou em órbita.

Como o lançamento tem que ser feito da Terra e Asgardia não pretende ter território no nosso planetinha, o objetivo dos fundadores é fazer uma parceria com um país em desenvolvimento, que não tem tradição de exploração espacial – tipo o Brasil.

É aí que entra o dilema muito sério que o projeto de Asgardia, por mais bizarro que seja, se propõe a discutir. Só 20 dos mais de 200 países da Terra tem algum acesso ao espaço e alguns deles já estão pensando em como explorar recursos extraterrestres. Enquanto isso, o direito espacial está anos-luz de ter criado medidas regulatórias para lidar com esse tipo de situação. O risco é que se criem monopólios nacionais, que a desigualdade aumente absurdamente (aqui e lá) e que as tensões econômicas e geopolíticas que temos por aqui se reflitam no Universo afora.

No momento, o que Asgardia vai fazer é reunir pessoas dispostas a pensar sobre essas questões indo além das limitações nacionais, porque estariam todos unidos sob a nação asgardiana, para proteger os direitos da humanidade.

Para que o país seja reconhecido pela ONU, ele precisa ter território próprio. Então, a ideia é que Asgardia tenha uma nave tripulada passeando pelo espaço – sim, a nave seria um território perambulante. Mas pode segurar a empolgação. O objetivo não é que Asgardia seja uma nação geográfica, em que todo mundo vive junto. Então, dificilmente todo cidadão vai sair da Terra para conhecer o país.

 Fonte: Super

Somos todos Pavões apaixonados pelas nossas próprias caudas

Somos quem nós somos, mas o que mais somos?

Todos temos características, personalidades, estilo, preferências, movimentos, muitas coisas diferentes.

Ao nos enxergarmos como indivíduos percebemos que somos nós mesmo, não nos confundimos com outros, apesar de muitas vezes encontrarmos pessoas parecidas.

Mas o mundo não é apenas nosso reflexo na superfície de um lago como Narciso viu, somos também o que os outros vêem, somos muitas vezes o que não somos para os outros.

Proposital?

Sim e não.

Continue reading

Older posts