0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Email -- Filament.io 0 Flares ×

Açúcar é tóxico para o corpo humano, e como tal, deve ser regulamentado.

Uma colher de açúcar pode fazer a mal à saúde humana. O consumo de açúcar pode ocasionar um aumento da pressão arterial e do colesterol, juntamente com o risco de insuficiência hepática, obesidade, doenças cardíacas e diabetes.

Açúcar e outros adoçantes são, de fato, tão tóxicos para o corpo humano que deve ser regulamentado como álcool por parte dos governos em todo o mundo, de acordo com um comentário na revista Nature por pesquisadores da Universidade da Califórnia, em San Francisco (UCSF).

Os pesquisadores propõem regulamentações como o imposto sobre todos os alimentos e bebidas, que incluem açúcar, a proibição de vendas em ou perto de escolas e colocação de limites de idade em compras. Os cientistas citam numerosos estudos e estatísticas sobre que adição de açúcar – ou, mais especificamente, sacarose, uma mistura uniforme de glicose e frutose, encontrados em grande quantidade em xarope de milho e açúcar de mesa feita a partir de cana-de-açúcar e beterraba – é tão prejudicial para a sociedade como o álcool e o tabaco.

O amargo sabor do açúcar

Nos Estados Unidos, mais de dois terços da população está acima do peso, e metade deles são obesos. Cerca de 80% das pessoas que são obesas terão diabetes ou distúrbios metabólicos, de acordo com os autores do comentário, liderado por Robert Lustig.

Em todo o mundo, a obesidade ultrapassou o número de subnutridos, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). A obesidade é um problema de saúde pública na maioria dos países. E doenças crônicas relacionadas à dieta, tais como doenças cardíacas, diabetes e alguns tipos de câncer – pela primeira vez na história humana – matam mais pessoas do que as doenças infecciosas, de acordo com a ONU.

Os americanos consomem em média mais de 600 calorias por dia a partir do açúcar, o equivalente a 40 colheres de chá.

Muitos pesquisadores estão vendo o açúcar não apenas como “calorias vazias“, mas sim um produto químico que se torna tóxico em excesso.

Em questão está o fato de que a glicose, a partir de carboidratos complexos como cereais integrais, é metabolizada por células com segurança por todo o corpo, mas o elemento frutose do açúcar é metabolizado principalmente pelo fígado. Isto é onde o problema pode começar – ‘tributar’ o fígado, causando doenças e, finalmente, levando a resistência à insulina – as causas subjacentes da obesidade e do diabetes. Açúcar, mais do que a frutose em frutas ricas em fibras, atinge o fígado diretamente e pode causar mais danos.

Regulamentação do açúcar

Lustig, médico do Departamento de Pediatria da UCSF, compara o açúcar adicionado ao tabaco e álcool, sendo um fator viciante, tóxico e com impacto negativo na sociedade. Lustig defende um imposto de consumo em qualquer produto com adição de açúcar.

Entre as propostas mais radicais de Lustig é a proibição da venda de bebidas açucaradas para menores de 17 anos para apertar leis de zoneamento para a venda de bebidas açucaradas e petiscos ao redor de escolas e em áreas de baixa renda.

 Economistas da Iowa State University, liderada por John Beghin, sugerem taxar o adoçante no fabricante, e não o produto final com adição de açúcar.

Este conceito daria às empresas um incentivo à adição de adoçante aos seus produtos. Aumentando o valor do xarope de milho (que é praticamente onipresente em alimentos industrializados, em parte por ser muito barato) provocaria a mudança nos ingredientes dos alimentos produzidos, buscando opções mais saudáveis, já que o valor não seria mais um fator de grande consideração.