0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Email -- Filament.io 0 Flares ×

Você com certeza já conheceu aquela pessoa que está sempre animada e sorridente, e outra que é difícil você ver dançando de felicidade pois, na maior parte do tempo, a pessoa não demonstra emoções de felicidade genuínas.

Esses são casos padrões no seu humano. Temos dentro de nós níveis de liberação de serotonina e outros neurotransmissores como a dopamina, oxitocina e endorfina, e eles têm certo grau de variação, por exemplo: alguém que ganhou uma promoção que fará ele ganhar 20 mil por mês pode ficar feliz com isso. Se ela tiver uma variação de 4 a 8 (em uma escala ilustrativa que vai até 10), com certeza ele irá liberar 7 ou 8. Agora, se uma pessoa com o mesmo perfil no séc. XIV conseguir vender seus porcos por um ótimo preço, garantindo seu sustento por meses, ela também terá sua liberação de serotonina no nível 7 e 8, não importando o que exatamente o fará feliz, mas sim o quanto de felicidade essa pessoal é capaz de gerar dentro de si mesma.

Alguns estudos mostram também que ser casado leva você a ser mais feliz, mas será mesmo?

Muitas vezes o que essas pesquisas deixam de mencionar é que pessoas mais felizes tem mais facilidade de encontrar outras pessoas, e que, juntas, conseguem se manter em um nível alto de serotonina, evitando com mais frequência os baixos momentos de infelicidade, aliás, muitas vezes a pessoa tem uma escala tão alta, você já deve ter visto, que alguém querido pode morrer que essa pessoa não encontra o nível baixo que todos esperavam.


Felicidade gera felicidade?

Você já percebeu que quando está com certo tipo de pessoa você está mais feliz, ou tem menos momentos tristes com ela, enquanto outras sempre te deixam pra baixo? Alguns relacionamentos podem elevar ou abaixar essa média da serotonina, mas sempre mantendo o nível máximo e mínimo fixos.

E na depressão?

Muita gente toma alguns remédios, como o Prozac. Ele eleva nossos níveis de forma artificial, fazendo com que a pessoa mais depressiva não experiencie tanto seus baixos de serotonina.

Outra dica que psicólogos dão para depressão é tentar fazer alguma atividade física, que consequentemente vai alterar a quantidade de serotonina também. Existem várias maneiras para aumenta-la .

Respondendo a pergunta do título, não é possível ser mais feliz, mas com certeza é possível ter mais momentos felizes do que tristes.

Não achei pesquisas que demonstram mudanças na escala do indivíduo na liberação dessas substâncias, mas acredito que seja possível.

Muitas vezes a pessoa tem uma média 3 a 7 e não sai do 3 e 4 – ela esqueceu que existe um 7, ela está tão distante, faz tanto tempo, que não o experiencia. Alcançá-lo pode ser uma experiência catártica, mas para isso é preciso sair da bolha do 3 e 4, e para isso é preciso fazer coisas novas, mudar sua rotina, sua vida e repensar amizades.

Não é fácil, mas ninguém disse que seria.


Melanie Klein, uma das discípulas mais famosas de Freud, escreve sobre um dos fatores que podem criar infelicidade, a inveja.

Para Klein, seria impossível alguém com inveja gozar da vida, pois o desejo dela não seria apenas ter o que o outro tem, mas também tirar do outro e o ver na miséria. Ela faz essa observação analisando muitos bebês e, claro, sua teoria aprofunda bastante o tema, mas não vou conseguir entrar muito nesse assunto.

Não se tem o desejo de conquistar apenas, mas de derrotar o outro. Ela explica que o objetivo maior para sair desse ciclo seria introjetar um objeto bom (no caso do bebê, a atenção e carinho da mãe) e assim encontrar gratidão na vida.

No budismo, a prática da gratidão é muito comum, e há muitos anos atrás, milhares, buda e seus seguidores descobriram a importância de tal sentimento em nossas vidas.

“Se você nunca encontra razões para agradecer. A falha está em você.” – Buda

Como diz a Dhammapada: “Ódios nunca cessam pelo ódio nesse mundo; através somente do não-ódio eles cessam. Essa é uma lei eterna.”

Não é pela raiva que cessa a raiva – é somente pela não-raiva que a raiva cessa. E a Gratidão é um grande remédio para a “raiva” e “ódio” – uma grande parte da prática da “não-raiva”, do “não-ódio”.

Existe até uma área da psicologia que estuda a gratidão e a felicidade, chamada Psicologia positiva.

Na bíblia também é possível identificar trechos que falam sobre gratidão:
Que a paz de Cristo seja o juiz em seu coração, visto que vocês foram chamados para viver em paz, como membros de um só corpo. E sejam agradecidos.
Colossenses 3:15

Nos livros sagrados indianos também é de grande importância essa conduta do agradecer.

Uma Lista das Qualidades Demoníacas que se deve
Abrir Mão Antes de Podermos Iniciar a Jornada Espiritual

Ó Arjuna, o sinal daqueles que nascem com qualidade demoníacas são: hipocrisia, arrogância, orgulho, ira, perversidade e ignorância (16.04).

Uma pessoa mal agradecida é uma pessoa perversa.

 

Devemos abandonar semelhante pessoa (MB 12.168.26).
Não há reparo para aqueles que não sentem gratidão neste mundo (MB 12.172.25).
Diz-se que mesmo os carnívoros não comem a carne de uma pessoa mal agradecida (MB 5.36.42).
Deve-se sentir e expressar autêntica gratidão se alguém aceita alguma coisa de outra pessoa.

Para finalizar, devemos primeiro saber o que nos deixa feliz exatamente, e isso pode ser uma tarefa difícil nos dias de hoje com o incrível número de demandas e desejos que supostamente deveríamos ter para ser felizes.

“Não se pode escapar do consumo: faz parte do seu metabolismo! O problema não é consumir; é o desejo insaciável de continuar consumindo… Desde o paleolítico os humanos perseguem a felicidade… Mas os desejos são infinitos. As relações humanas são sequestradas por essa mania de apropriar-se do máximo possível de coisas.” (Bauman em entrevista ao jornal espanhol La Vanguardia)

A felicidade Ocidental é pontuada: acontece quando eventos ocorrem em nossas vidas, e depois passam, e esperamos pelo próximo evento. No oriente, felicidade é algo constante, muito mais semelhante ao equilíbrio e harmonia do que o conceito de felicidade ocidental.

Faz você pensar, né?

Ser feliz parece complicado, mas na verdade é mais simples do que pensamos. Já traçamos muitos caminhos para encontrá-la, mas a sociedade tem um grande papel em confundir esse caminho, e todos temos uma parte dessa culpa.

Pergunte a você mesmo, você é agradecido pela vida que tem? Faz algo para mudar? Esse algo que você faz realmente gerará felicidade, seja ele pontual ou harmonia em sua vida?

Sempre questione! Eu mesmo fui pego uma época por um momento de não agradecer, e as coisas não estavam se encaixando, mas recuperei o meu estado mental, encontrei minha harmonia, apesar de tudo. A vida acontece – e como lidamos com ela é que determina nossa felicidade.

Seja feliz!